domingo, 16 de março de 2014

SIGA O IMPULSO DE DEUS  
O que Annie Dillard diz sobre o trabalho de autores em seu livro “A Vida do Autor” é verdade sobre a vida: “Não segure o que é melhor para um lugar mais adiante no livro, ou para outro livro; dê, dê tudo, dê agora.”
Há o que se admirar na vida. Siga-o. Cace-o. Não escute o choramingar daqueles que se contentaram com uma vida de segunda categoria e querem que você faça o mesmo para que eles não se sintam culpados. Seu alvo não é uma vida longa – é uma vida vivida!
Você não pode ser criticado por aquilo que você não experimenta, não é? Você não pode cair se nunca escalar, não é verdade? Então, tome o caminho mais seguro. Ou… você pode seguir os impulsos de Deus. Ele diz “Aquele que tentar salvar a sua vida a perderá.” O tempo escapa. Os dias passam. Anos minguam. A vida termina. E aquilo que viemos fazer precisa ser feito enquanto há tempo!
(Max Lucado, em “ELE AINDA REMOVE PEDRAS”)

terça-feira, 11 de março de 2014


SE DESNUDE DIANTE DE DEUS 
“E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer” Lc 18:1
Se o povo de Deus não persistir em oração, será que Jesus encontrará fé na terra? O Senhor narra essas histórias para que entendêssemos a importância de persistir em oração. Precisamos aprender a orar com insistência, precisamos agarrar-nos a Deus até receber a resposta. Temos que orar e continuar orando, e abalar os céus até vermos a resposta de nossas petições. Essa persistência não tem como objetivo “acordar” Deus, nem implorar, nem fazer barganhas com Ele, nem convencê-Lo a nos dar o que pedimos. Ele já está convencido e desejoso de abençoar-nos, ajudar-nos e salvar-nos. Isso é do caráter Dele. Ele é que deseja acordar-nos e convencer-nos.
Além de ser persistentes em oração, precisamos também fazer orações incisivas e específicas. Em Marcos 10:46-52, encontramos a história do sego Bartolomeu que gritava enquanto Jesus passava pelas ruas de Jericó. Jesus foi até ele e perguntou: “Que queres que eu faça?”
Jesus gosta quando insistimos e não O largamos de mão, MESMO não recebendo uma resposta imediata, aliás seria melhor dizer – PRINCIPALMENTE quando não recebemos uma resposta imediata. Ele quer que insistamos e continuemos em oração. E quer também que façamos orações específicas. Hoje Ele ainda nos diz:
“O que queres que eu faça?”
Reconheço que nem sempre sabemos definir com precisão todos os detalhes de nossa petição, mas procuremos ser objetivos quanto ao que sentimos e necessitamos, devemos evitar orações vagas, cheias de religiosidade, orações sem “coração”. Devemos colocar todos os nossos sentimentos expostos em nossas orações diante do Senhor. Se estivermos pedindo algo que não entra em Seus planos para nós, Ele mudará nossa oração no decorrer do tempo. Mas, se orarmos em conformidade com Seus propósitos, Ele nos abençoará nos atendendo.
Devemos orar com destemor, certos que Deus responderá da melhor maneira para nós. Vamos abandonar as tradições religiosas e nos livrar de convenções para assim buscarmos a Deus “nus”, em total entrega e confiança. Se nos convencermos que Deus tem TOTAL interesse em TODAS as questões que envolvem nossa vida, oraremos assim. E se orarmos veremos Seu poder, repleto de amor, operar em cada problema, necessidade e aflição que enfrentamos.
(Dean Sherman, em “BATALHA ESPIRITUAL”)

sexta-feira, 7 de março de 2014

ALEGRIA AO SEU ALCANCE 

Existe uma deliciosa alegria que vem de Deus. Uma alegria cujas consequências não podem apagar. Circunstâncias não podem roubar a paz que vem dela.
Ele promete isto nove vezes. E o faz para um publico meio inesperado. Aqueles que choram. Os mansos. Os que têm fome e sede. Os misericordiosos. Os puros de coração. Os pacificadores. Os perseguidos. É para este bando de peregrinos que Deus promote uma bênção especial. Uma alegria celestial.
Mas esta alegria não é barata. O que Jesus promote não é um truque para lhe dar arrepios ou uma attitude mental. Não, Mateus capítulo 5 descreve a reconstrução radical do coração. Não é uma mudança de atitude acidental. É a demolição da antiga estrutura e a criação de uma nova.
Alegria de Deus. E está dentro de seu alcance. Você está a uma decisão de distância dessa alegria.
(Max Lucado, em “O APLAUSO DO CÉU”)