terça-feira, 30 de agosto de 2011

SILÊNCIO SATURADO DE AMOR
Por que estou fazendo referências a uma confiança cega? Porque numa confiança cega não há dúvida nem questionamento. Ela é incondicional, absoluta.
Quando a sombra da cruz de Jesus se projeta sobre nós, quando a dor e o sofrimento nos invadem, e nossa vida organizada e segura é atingida, quando a tragédia faz uma visita inesperada e ficamos surdos para todas as coisas, exceto para o clamor do nosso desespero, quando o ânimo desaparece e o mundo em nossa volta se torna repentinamente escuro, a auto-piedade é a primeira reação normal e inevitável. Contudo, embora inevitável, não deve ser alimentada indefinidamente, é na confiança cega na misericórdia de Deus que devemos nos atracar.
É essa confiança inexplicável e redentora que nos faz perseverar em oração durante o tempo que for necessário sem nenhum sentimento de consolo, crendo que “Deus fará justiça aos Seus escolhidos que a Ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê-los” Lc 18:7. É a confiança cega que nos faz atentar para a advertência: “Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles” Mt 6:11, levando-nos a , em vez disso, a praticar atos de bondade que ninguém jamais saberá, confiantes que nosso “Pai, que vê em secreto, recompensará” Mt 6:6.
É a confiança cega que nos leva a ter coragem nas noites escurar, quando estamos mergulhados em trsteza, mas sabemos que a ausência de Deus é apenas aparente. Conforme diz Bede Griffiths; “Sinto-me no vazio, mas o vazio está totalmente saturado de amor.”
(Brennan Manning, em “CONFIANÇA CEGA”)

domingo, 28 de agosto de 2011

TEM MAIS!
É possível ter o suficiente de Deus? Ou tê-lo em excesso? Será que existe determinado ponto a partir do qual a pessoa pode se sentir satisfeita com a quantidade de intimidade, conhecimento e poder de Deus que experimenta? Não consigo ver como isso é possível. Afinal, cada encontro nosso com Deus não deveria produzir em nós uma sede ainda maior do Senhor?
Permita que eu seja ainda mais claro: não se trata de uma convocação para que você se torne um extremista desinformado, mas para reconhecer que, como cristãos, não podemos jamais dizer que “agora chega” de Deus. Ele é infinito, e nós, finitos; sempre haverá mais de Seu caráter para descobrirmos, mais de Seu amor para sentirmos e mais de Seu poder para usarmos no cumprimento de seus propósitos.
Não posso dizer exatamente o que acontecerá quando você admitir que nunca poderá conhecer por completo ou experimentar o suficiente do Espírito Santo e, mesmo assim, fizer a escolha por segui-lo, independentemente dos resultados. Sei apenas que, quando uma pessoa se rende inteiramente ao Espírito Santo, Cristo é glorificado, e não ela (Jo 16:14).
Talvez o problema principal tenha mesmo que ver com nossa resistência a nos entregarmos a Deus, e não com o fato de acharmos que temos “muito” Dele. É possível que, quando uma pessoa diz: “Eu só quero um pouquinho de Deus, muito obrigado”, ela esteja querendo dizer, na verdade: “Eu prefiro não entregar a Deus as áreas de minha vida com as quais me importo de verdade, por isso vou continuar controlando isso aqui, aquilo ali e, claro, mais aquilo…”
Só que a coisa não funciona assim. Quando leio as Escrituras, vejo a verdade e a necessidade de uma vida totalmente rendida ao Espírito Santo e dependente Dele.
Há mais do Espírito Santo e mais de Deus do que qualquer um de nós experimenta. Eu quero chegar lá — não apenas em termos de conhecimento, mas também na vida, com tudo quanto sou. Estou cansado de apenas falar sobre Deus. Quero vê-Lo agindo por meu intermédio, por intermédio do Corpo de Cristo espalhado pelo mundo inteiro. Sei que há mais. Mais a conhecer, mais a sentir, mais a receber, mais a viver. Todos nós sabemos que há mais.
Que nosso desejo de experimentar mais do Espírito Santo possa se tornar nosso ponto de partida a cada nova aurora. E que abramos — mais amplamente e como nunca antes — o coração e nossa vida à sua presença e às suas ações. Pelo poder e pela presença do Espírito Santo, que possamos ser pessoas mais parecidas com Jesus ao final de cada dia.
(Francis Chan, em “O DEUS ESQUECIDO”)

sábado, 27 de agosto de 2011

REORGANIZANDO AS PRIORIDADES

C. S Lewis disse; “Existem dois tipos de pessoas: as que dizem a Deus ‘seja feita a Sua vontade’ e aquelas a quem Deus diz ‘Então, tudo bem, faça do seu jeito’. Tragicamente, muitas pessoas terão de suportar a eternidade sem Deus, pois escolheram viver sem Ele aqui na terra.
Quando você compreender plenamente que há mais na vida que apenas o aqui-e-agora e perceber que a vida é apenas uma preparação para a eternidade, você começará a viver de forma diferente. Você começará a viver à luz da eternidade, e isso lhe dará nova perspectiva de como lidar com cada relacionamento, tarefa ou circunstância.
Subitamente, muitas atividades, metas e até mesmo problemas que pareciam importantes se mostrarão banais, insignificantes e indignos de sua atenção. Quanto mais próximo você viver de Deus, menor todo o resto parecerá.
Quando você vive à luz da eternidade, seus valores mudam. Você utiliza mais sabiamente sue dinheiro e seu tempo. Você passa a dar maior valor a sua personalidade, em vez de valorizar fama, riqueza e realizações. Suas prioridades são reorganizadas. Paulo disse: “Antigamente eu pensava que todas essas coisas eram muito importantes, mas agora eu as considero sem valor por causa do que Cristo fez” Fp 3:7.
O aspecto mais prejudicial da vida contemporânea é o raciocínio em curto prazo. Para tirar o máximo da vida, você deve manter sempre em sua mente a visão da eternidade em seu coração, e o valor que ela representa. Há muito mais na vida que apenas o aqui-e-agora!
(Rick Warren, em “UMA VIDA COM PROPÓSITO”)


sexta-feira, 26 de agosto de 2011

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

EMOÇÕES PARALISANTES



















Nas lutas…durante o enfrentamento de qualquer adversidade…. nas guerras que travamos, é preciso em primeiro lugar, a presença de DEUS. Invoca-Lo para liderar em nosso lugar, declarar que Ele é o Senhor da situação.
Depois desse primeiro e decisivo passo, é preciso que você tome mais duas importantes atitudes:
Adormeça as emoções – coloque “no canto” do teu coração a saudade, o medo, a ansiedade, a raiva….seja quais forem as emoções que maltratam você durante tuas lutas, paralise-as! Não permita que elas te atordoem. Durante as lutas, as emoções tomam espaço da fé dentro de nós. Elas sufocam a fé.
Segunda atitude: Não se deixe influenciar pelo que você vê. Lembre-se que existem duas realidades, a que nós enxergamos e aquela que não vemos, este é o mundo espiritual, é ele que vale, é nele que as maravilhas acontecem, é nesta dimensão que a verdadeira batalha é travada. Considere as circunstâncias, mas, para repreendê-las. Profetize sobre elas a vontade de DEUS. Declare cura. Declare vitórias. Declare transformação.
Não perca tempo e não gaste energia se deixando consumir pelas emoções. Ore….louve….profetize! Somos colaboradores de Deus nessa terra, a oração é também o canal onde liberamos a vontade de Deus e o poder de Deus sobre as circunstâncias.
ACREDITE que a realização dos teus desejos e sonhos estão se formando no mundo espiritual. Acredite que a cura que você espera está sendo tecida no mundo espiritual. Creia que a transformação das circunstâncias adversas estão ocorrendo na esfera espiritual.
Comece agora a olhar pra cima, não olhe pra baixo!
Não deixe as situações te derrotarem, não seja dominado pelas emoções; em vez de sentir medo, raiva, ansiedade, ou qualquer outra emoção paralisante, arme-se com a FÉ e ore. Olhe a situação de frente e as ataque com sua FÉ – “Profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do SENHOR….” Ez 37:12
(Neuma Fernandes)

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

SOMOS IMPORTANTES DEMAIS
Em seus contatos sociais, Jesus saía do caminho normal para abraçar os não amados e indignos, aqueles sem muita importância para o resto da sociedade, mas muito importante para Deus. As pessoas com lepra em quarentena fora dos muros da cidade, Jesus as tocou mesmo que seus discípulos retrocedessem com repulsa. A mulher de raça mista que já tinha tido cinco maridos e com certeza era o centro da indústria da fofoca da cidade, Jesus a usou como primeira missionária. Outra mulher envergonhada demais sobre sua condição humilhante para se aproximar de Jesus face a face, tocou sua vestimenta, torcendo para que Ele não a notasse. Mas Ele a notou. Ela aprendeu, como tantos outros “desconhecidos”, que não é fácil escapar do olhar de Jesus. Somos importantes demais.
O Criador de todas as coisas me ama e me quer. Essa é a frase que Jesus proclamou, tão alto quanto um doce trovão. O Criador de todas as coisas e de toda a humanidade, uma espécie que Ele inexplicavelmente considerou digna de atenção e amor individual. Ele demonstrou esse amor em pessoa, nas colinas da Palestina e por fim numa cruz.
Minhas dúvidas, confesso, nunca desaparecem completamente. Mas quando fico me revolvendo em autocomiseração, medo, ansiedade, volto-me para o relato das histórias e dos atos de Jesus nos evangelhos. Se concluo que a minha existência “debaixo do sol” não faz diferença para Deus, contradigo uma das principais razões pelas queis Deus veio à terra. Para a pergunta “Será que meus anseios, temores e sonhos são importantes para Deus?” Jesus é de fato a resposta.
Por causa de Jesus, posso confiar que Deus realmente entende minha condição. Posso ter a certeza de que sou importante para Deus, e que Deus se importa visceralmente comigo. Independente das aparências à minha volta.
(Philip Yancey, em “A BÍBLIA QUE JESUS LIA”)

terça-feira, 23 de agosto de 2011

ATMOSFERA AREJADA
Numa das declarações mais surpreendentes de toda a Bíblia, Jesus diz: “…chamo vocês de amigos” (Jo 15:15).
Agostinho faz o seguinte comentário sobre essas palavras: “Um amigo é alguém que sabe tudo sobre você e o aceita plenamente do jeito que você é”. Será que todos nós não sonhamos com isso? Um dia, em algum lugar vou encontrar aquela pessoa que realmente me entende – entende as palavras que falo e até mesmo as que eu não falo. O evangelho proclama que Jesus de Nazaré é a realização desse sonho. Para mim, a definição de confiança apresentada por Paul Tillich sempre foi a que me faz mais sentido. Ele define confiança como “coragem para aceitar a aceitação”.
Diante de Jesus, a verdade nua e crua acerca de nossas dúvidas e ansiedades, nossa luxúria e preguiça, nossa vida de oração medíocre e religiosidade insípida, nossas motivações dúbias e coração dividido é o risco que assumimos na certeza de sermos aceitáveis e aceitos. É a expressão plena a madura da confiança insuperável. Jesus é o amigo que nunca nos deixa na mão, amigo fiel a quem nunca falta fidelidade, mesmo quando as pessoas Lhe são infiéis, e é Ele que nos aparta do ódio contra nós mesmos.
Quer sejamos iniciantes na jornada, quer sejamos veteranos, gigantes espirituais ou anões, a resposta que Jesus procura é sempre a mesma: confiança. Lemos na primeira carta de João: “E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós” .
Se não permitirmos que Jesus transforme nossa percepção de Deus, se continuarmos agarrados a nossas imagens e projeções distorcidas e pré-cristãs, se pensarmos que não é fácil nos relacionar com Jesus (Ele é sensível, inacessível e se melindra facilmente), estaremos rejeitando a dádiva da Sua amizade, desprezando a atmosfera clara, aberta e arejada do Seu reino e escolhendo as masmorras escuras e repugnantes da desconfiança.
(Brennan Manning, em “CONFIANÇA CEGA”)

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

… ASSIM COMO VAI BEM A SUA ALMA 











“Amado, oro para que você tenha boa saúde e tudo lhe corra bem, assim como vai bem a sua alma” (3 Jo 2).
Cristãos maduros, e os ainda no caminho do amadurecimento, podem se empolgar com a promessa de prosperidade e cura, porque isso é tudo que eles conseguem ouvir neste versículo. Eles pensam: ual! Glória a Deus! Ele quer que sejamos prósperos e tenhamos saude!
Mas os cristãos maduros que têm os ouvidos santificados e que são sensíveis às intensões santas de Deus também ouvirão a parte do versículo que diz: “assim como vai bem a sua alma”. Eles ouvem com entendimento que Deus vai lhes dar prosperidade e cura em CORRELAÇÃO com a forma como suas almas estão prosperando.
Nos últimos anos, desenvolvi o hábito de parar com frequência para avaliar o que sinto em meu espírito. A nossa alma (ou mente) pode estar cheia de ansiedade; a nossa voz interior pode estar gritando e trazendo dúvida à nós, como:
Você não vai conseguir!
Isto não vai dar certo!
Esta idéia é estúpida!
Você não tem poder para ouvir a voz de Deus!
Os pensamentos negativos podem esmurrar a nossa mente a ponto de querermos desistir de fazer o que é bom, adequado e benéfico. Mas, se pararmos e perguntarmos: “Senhor, o que Tu tens a dizer a respeito disto?”, lá no fundo do nosso coração, onde o Espírito Santo habita, sentiremos a Sua resposta subindo com a fé, a promessa e a verdade que nos liberta de toda a ansiedade com a queal a nossa mente tem nos alimentado.
Em síntese é isso, quando o medo, a incredulidade e a dúvida martelarem em sua cabeça, feche os olhos por alguns minutos e diga: “Senhor qual é a verdade?”
Sim, a orientação do Pai, e todas as Suas demais promessas, são bençãos que estão à disposição de cada um de nós, desde que, estejamos com a alma sinceramente voltadas para Ele, esperando Nele, confiando Nele, descansando Nele. (...assim como vai bem a sua alma.)
(Joyce Meyer, em “COMO OUVIR A VOZ DE DEUS”)

domingo, 21 de agosto de 2011

sábado, 20 de agosto de 2011

VOCÊ CONFERE BOA REPUTAÇÃO A DEUS?
A vida é muito curta para perdermos tempo e energia nos preocupando com o que os outros pensam a nosso respeito. Ou será que deveríamos nos preocupar com os julgamentos alheios justamente porque isso é de fato importante nesta vida curta? Alguns textos bíblicos parecem dizer que o que os outros pensam é importante. Outros, porém, parecem dizer o contrário.
Paulo afirmou que, se tentasse agradar aos homens, não estaria servindo a Cristo: “Porventura, procuro eu, agora, o favor dos homens ou o de Deus? Ou procuro agradar a homens? Se agradasse ainda a homens, não seria servo de Cristo” (Gl 1:10).
Provérbios 22:1, entretanto, diz: “Mais vale o bom nome do que as muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a prata e o ouro”. Isso parece mostrar que a reputação é, sim, importante.
Como, então, resolver o aparente dilema entre esses dois grupos de passagens bíblicas?
Será resolvido ao perceber que o nosso alvo na vida é que “será Cristo engrandecido no meu corpo, quer pela vida, quer pela morte” (Fp 1:20). Em outras palavras, como diz Paulo, o que realmente importa é o que os outros pensam a respeito de Cristo. A salvação deles depende daquilo que pensam de Cristo. Nossa vida é uma demonstração da verdade e beleza de Jesus
Não devemos nos importar muito com o que os outros pensam de nós, para o próprio benefício. Nosso interesse final é a reputação de Cristo, e não a nossa. A atenção não recai sobre o valor, a excelência, a virtude, o poder ou a sabedoria que possuímos. Ela recai sobre o fato de Cristo ser honrado pela maneira como as pessoas nos vêem. Você acha que o modo como vivemos confere boa reputação a Cristo? Será que a excelência de Cristo está sendo demonstrada em nossa vida? Será que damos bom testemunho de honradez, de sinceridade, de fé, de confiança no amor do Pai? É isso que deve nos interessar, e não se nós mesmos estamos sendo aplaudidos.
(John Piper, em “A VIDA É COMO A NEBLINA”)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

MISSÕES IMPOSSÍVEIS












Deus trabalha por intermédio de Seu povo para realizar tarefas humanamente impossíveis. Ele costuma moldar as pessoas de personalidade, experiências e treinamento diferentes, de modo a prepará-las para o Seu propósito, e essas pessoas não costumam sequer ter idéias do que Deus tem reservado para elas. Deus preparou e posicionou um homem chamado Neemias para realizar uma dessas tarefas “impossíveis” da Bíblia.
Neemias era um homem comum em uma posição especial. Ele estava seguro na condição de um bem-sucedido copeiro do Rei Artaxexes, da Pérsia. Neemias possuuía pouco poder, mas grande influência. Ele tinha a confiança do Rei. Era também um homem de Deus preocupado com o destino de Jerusalém.
Os muros de Jerusalém ainda estavamem ruínas. Aofalar com Deus, um plano começou a tomar forma na mente de Neemias, inclusive quanto ao seu próprio papel na reconstrução dos muros da cidade. Ele voluntariamente deixou a segurança de seu lar e de seu trabalho na Pérsia para seguir a Deus em uma missão “impossível”. E o restante tornou-se história.
Do início ao fim, Neemias orou pedindo a ajuda a Deus. Ele nunca hesitou em pedir que Deus se lembrasse dele, encerrando sua autobiografia com as seguintes palavras: “Lembra-te de mim, Deus meu, para o bem”. Durante a “impossível” tarefa, Neemias demonstrou uma capacidade de liderança incomum. Os muros ao redor de Jerusalém foram reconstruídos em tempo recorde, a despeito da resistência e oposição dos inimigos. Não apenas isso, mas Deus trabalhou através de Neemias para realizar um despertamento espiritual entre o povo judeu.
Talvez você pense que está numa posição onde nada pode fazer para Deus, mas existem duas formas através das quais você pode ser útil ao Senhor. Primeiro, mantenha seu diálogo com Deus sempre ativo, compartilhe com Ele suas preocupações, seus sentimentos e seus sonhos. Segundo, ande com Deus, pratique Seus ensinamentos. Deus pode ter uma missão “impossível” para realizar através de sua vida.
(BÍBLIA DE ESTUDO – Aplicação Pessoal)

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

AS SUTILEZAS DO SUCESSO












“Porque o desvio dos néscios os matará, e a prosperidade dos loucos os destruirá.” Pv 1:32
Quanto melhor o resultado, maior a confiança depositada; o que leva, a propósito, a maiores momentos de descuido e, portanto, de vulnerabilidade. Com respeito a esta última, F. B. Meyer escreve acertadamente:
Podemos esperar tentação nos dias de prosperidade e conforto, em vez de nos de privação e trabalho. Não nas encostas geladas dos Alpes, mas nas planícies ensolaradas da Campagna; não quando o jovem está subindo arduamente a escada da fama, mas quando tiver adentrado os portais de ouro; não onde os homens franzem a testa, mas onde abrem sorrisos lisonjeiros — é ali, bem ali, que a tentadora espera! Cuidado!
Que exortação sábia! Tal advertência não se refere à pessoa que está abatida e desanimada. Sua mensagem é dirigida aos bem-sucedidos, aos executivos em- preendedores, ao homem ou à mulher a caminho do topo, ao indivíduo que está experimentando as dádivas e o favor de Deus, que está colhendo os benefícios de maior privacidade e confiança.
O ensaísta escocês Thomas Carlyle tinha razão ao dizer: “A adversidade é algumas vezes difícil para um homem, mas para um homem que pode suportar a prosperidade, há cem outros que suportarão a adversidade”. As tentações que acompanham a prosperidade são muito maiores (e muito mais sutis) que aque- las que acompanham a adversidade.
Quando tudo estiver indo bem em sua vida, é hora de ficar mais atento á sua comunhão com o Senhor e avaliar permanentemente seus gestos, suas palavras e suas ações. Cuide em ficar mais tempo de joelhos quando as coisas melhorarem, quando as respostas do Senhor chegarem e quando seu milagre lhe for entregue.
(Charles Swindoll, em “DIA A DIA COM OS HERÓIS DA FÉ”)

terça-feira, 16 de agosto de 2011

GRAVADOS NAS MÃOS DE DEUS
“Quando contemplo os Teus céus”, diz o salmista ao admirar as estrelas, “que é o homem que dele te lembres?”. Cada livro do Antigo Testamento que analisei gira em torno dessa questão. Sofrendo no Egito, os hebreus quase não conseguiam acreditar na confiança que Moisés tinha de que o próprio Deus estava se importando com a causa deles. Os amigos de Jó riram da noção absurda de que o ínfimo Jó era importante para o Senhor do universo. O pregador de Eclesiastes teria formulado a frase de forma mais sarcástica: “Será que existe alguma coisa debaixo do sol que importe? A vida não é completamente sem sentido?”
Certa vez abri o livro de Isaias e li no capítulo 49: “Vê, as palmas das minhas mãos te gravei”. Descobri, observando o contexto desse versículo, que Deus estava fazendo essa declaração impressionante a pessoas que passavem, talvez, pelo momento mais desesperador de todo o Antigo Testamento. Israel tinha sido aniquilada, a cidade de Jerusalém estava profanada. Não houve resistência aos soldados babilônicos que entraram no Templo; dessa vez Deus não salvou seu povo. Os hebreus foram arrastados por correntes para o exílio na Babilônia.
De repente clareou para mim a idéia de que os hebreus na Babilônia que receberam a mensagem de Isaias 49 estavam agonizando sobre exatamente as mesmas questões que estavam me afligindo: Somos de fato importantes para Deus? É isso que significa sermos o povo de Desus – ter a terra arrasada, nossas cidades derrubadas, nossas mulheres e filhos assassinados? Perguntas semelhantes foram feitas por cristãos que sofreram ao longo dos séculos.
“O Senhor me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim”, os hebreus lamentaram durante esse tempo de crise, e é a essas pessoas que Deus faz o voto: “Pode uma mulher esquecer-se de seu filho que ainda mama?”, Deus pergunta retoricamente. “Mas ainda que esta esquecesse, Eu todavia, não me esquecerei de ti. Vê, nas palmas das minhas mãos te gravei”.
“O Senhor me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim?”, nos perguntamos no meio de nossas crises pessoais, e é igualmente para nós que Deus faz este mesmo voto.
(Philip Yancey, em “A BÍBLIA QUE JESUS LIA”)

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

DEUS GOSTA QUANDO VOCÊ COMPARECE!



















Se Deus, porém, é tão bom quanto se fala, se Ele sabe tudo o que precisamos, e muito melhor que nós, por que seria necessário pedir-lhe alguma coisa?
Respondo: E se Ele sabe que a oração é a coisa de que mais necessitamos e com a maior urgência? E se, na concepção de Deus, o objetivo principal da oração é suprir nossa mais ampla e incessante necessidade, a necessidade Dele? A fome pode levar a criança fugitiva de volta para casa, e ela talvez não seja alimentada de imediato, pois precisa mais da mãe que do jantar. A comunhão com Deus é a necessidade da alma que está acima de todas as demais necessidades: a oração é o começo dessa comunhão, e certa necessidade é o motivo dessa oração. Assim tem início a comunhão, uma conversa com Deus, um processo de união com Ele, que é o propósito único da oração.
Brennan Manning e eu conversávamos depois de termos palestrado na mesma conferência. Para onde você pretende ir depois? perguntei. Daqui a dois dias começo um retiro solitário de oração, de uma semana. Eu nunca tinha feito nada assim, por isso fiquei curioso. O que uma semana como essa faz por você? Como Deus responde a você orando por uma semana? Brennan fez uma pausa, pareceu um tanto desconcertado e por fim disse: - Nunca me ocorreu o que posso ganhar com isso. Apenas penso que Deus gosta quando compareço.
(Larry Crabb, em “EM NOME DO PAI”)

domingo, 14 de agosto de 2011

Pai, Deus Abençõe o Senhor
Deus, é o maior dos homenageados neste dia, pois Ele,
sem dúvida nenhuma é o maior dos Pais, pois tem toda
a humanidade como filhos, e isso inclue você, meu pai.
Você é digno de muitas homenagens no seu grande papel
de pai. Sei que no mundo em que vivemos, é muito difícil falar
de coisas do coração. Mas mesmo assim, quero ofertar a você
todo meu carinho, todo meu amor e todo meu agradecimento.
Que Deus, nosso Pai maior, lhe de muita saúde, muita paz, e muitas
bençãos, que neste dia seu coração possa sentir emoção de
ser pai, de ser uma pessoa muito amada por Deus e por mim.
O Senhor Deus foi maravilhoso comigo, me presenteando com
um pai tão grandioso e que é verdadeiramente meu porto seguro.
Pai, palavra sem definição no dicionário dos homens, com
grande poder para Deus.
Tenha um grande dia meu pai.

sábado, 13 de agosto de 2011

ESPERANÇA E PROPÓSITO
Sem Deus, a vida não tem propósito algum, e sem um propósito a vida não tem significado, sem um significado, a vida não tem relevância ou esperança.
A esperança é tão essencial para a sua vida como o ar e a água. É preciso esperança para vencer, é preciso fé para resistir, é preciso confiança em Deus para perseverar. Um grande médico amigo meu descobriu que podia prever qual de seus pacientes, vítimas de graves enfermidades, apresentariam melhoras, ao perguntar: “Você quer viver até os cem anos de idade?”. Os que tinham profunda noção do propósito de sua vida respondiam sim, e eram aqueles com maiores probabilidades de sobrevivência. A esperança é gerada quando se tem propósitos.
Se você tem se sentido sem esperança, não desista de confiar em Cristo! Coisas inacreditáveis acontecerão na sua vida quando você começar a viver com os propósitos para os quais Deus te criou. Deus diz: “Porque sou Eu que conheçao os planos que tenho para vocês; planos de fazê-lo prosperar e não de lhes causar danos.” Jr 29:11. Você pode ter a sensação de estar enfrentando uma situação impossível, invencível, insuperável, mas a Bíblia diz: “…pelo Seu grandioso poder operando em nós Deus é capaz de fazer muito mais do que nós jamais ousaríamos pedir ou mesmo imaginar, infinitamente além de nossas mais sublimes orações, anseios, pensamentos ou esperanças.”Ef 3:20
(Rick Warren, UMA VIDA COM PROPÓSITOS”)

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

VIVER É SE DEIXAR USAR POR DEUS
Ao contrário do que dizem muitos livros famosos, filmes de grandes bilheterias e seminários dos mais variados, você não irá descobrir o significado de sua vida olhando dentro de si mesmo. É provável que você já tenha tentado isso. Você não criou a si mesmo, logo não há jeito de dizer a si mesmo para que foi criado.
Você não pode chegar ao propósito da sua vida concentrando-se em si mesmo. Você deve começar com Deus. Você foi feito por Ele e para Ele – e, enquanto não compreender isso, a vida jamais terá sentido. É somente em Cristo que descobrimos nossa origem, nossa identidade, o que significamos, nosso propósito, nossa importância e nosso destino. Todos os outros caminhos levam a um beco sem saída.
Muitas pessoas tentam usar Deus para sua auto-realização, mas isso é contrário à natureza e está fadado ao fracasso. Você foi feito por Deus, e não o contrário; viver é deixar Deus usá-lo para Seus propósitos, e não você usar Deus para o que deseja.
Já li muita coisa que sugere formas de descobrir o propósito da minha vida: “Dê importância aos seus sonhos. Defina claramente seus valores. Estabeleça metas. Descubra no que você é bom. Aspire grandes objetivos. Vá a luta! Seja disciplinado. Acredite em si mesmo. Envolva outras pessoas.”
É lógico que essas recomendações frequentemente levam a grandes êxitos. Pode-se em geral ser bem-sucedido ao buscar uma meta, se houver concentração para o fim proposto. Mas, ser bem-sucedido e cumprir o propósito para a sua vida são coisas absolutamente distintas! Você poderá alcançar os seus objetivos pessoais tornando-se um sucesso pelos padrões estabelecidos , e ainda assim falhar em alcançar os propósitos para os quais Deus o criou. Você precisa mais do que conselhos e livros de auto-ajuda. A Bíblia diz: a sabedoria de Deus trata profundamente de Seus propósitos, não sendo Sua mensagem recente, e sim a mais antiga – que Deus determinou como forma de aflorar o melhor de Si em nós.
Deus não é apenas o ponto de partida da nossa vida: é a fonte dela. Para descobrir o propósito para a sua vida, volte-se para a Palavra de Deus, e não para a sabedoria do mundo. Você deve edificar sua vida sobre verdades eternas, e não sobre psicologia popular, histórias inspiradoras, “achismos” passageiros e estimulos para alcançar o sucesso.. A Bíblia diz: É em Cristo que descobrimos quem somos e o propósito de nossa vida. Muito antes de termos ouvido falar de Cristo e de termos erguido nossas esperanças, Ele já tinha Seus olhos sobre nós; já havia planejado para cada um de nós uma vida gloriosa, parte do projeto global que Ele elaborou para tudo e para todos. (Ef 1:11)
(Rick Warren, em “UMA VIDA COM PROPÓSITOS”)

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

LUTE! BATALHE!
O temor não fica de pé na presença da fé. Pela fé, sabemos que Deus é amor e que Ele nos ama. A fé nos ensina a amar o Senhor. Esta relação amorosa cresce, e o medo foge, pois o amor expulsa o receio:
“No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.” 1Jo 4:18
A fé firmada em Jesus deve superar as dúvidas e os testes. Todas as pessoas da terra enfrentam provações. Provas e problemas são coisas comuns à humanidade. Ninguém esá imune, ninguém é poupado.
Embora não possamos ter controle sobre quando, onde e de que forma as provações cheguem, nós podemos saber como responder às adversidades.
Os testes farão com que nossa fé seja edificada ou rompida. Ou seja, as provações confirmarão ou revelarão o tipo de fé que temos. A fé genuína está ancorada na Rocha, em Cristo, permanecerá; qualquer outro tipo, não.
Toda vez que enfrentamos uma crise, seja lá de que tipo, precisamos escolher entre a confiança e o temor. Jesus sabe disso, e por essa razão dizia frequentemente: “Não temas”.
Em qualquer situação de crise sempre há duas escolhas: confiança ou medo. Fique com a confiança! Muitas vezes não será tão fácil, porque o receio lutará com todas as forças para se instalar e permanecer instalado em sua alma. Não desista de confiar em Jesus! Contra-ataque! Lute a batalha da fé!
(Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ”)

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

VEREDAS DA PAZ
Vivi a vida do meu jeito por tempo suficiente para saber que os meus planos não são tão recompensadores quanto os planos de Deus. Oro para que Ele não permita que eu sobreviva com nada que não seja a Sua vontade para mim.
Se estou orando por alguma coisa que não está claramente mencionada na Palavra de Deus, se estou enfrentando uma decisão a respeito de algo que não consigo encontrar nenhum capítulo ou versículo para me orientar, então oro:
Deus,
Desejo isto, mas quero a Tua vontade mais do que a minha. Então se meu pedido não está no Teu tempo, ou se o que estou pedindo não é o que Tu queres para mim, por favor, não me dês. Amém.
Podemos estar emocionalmente inclinados a fazer alguma coisa que parece ser de Deus, mas depois de algum tempo descobrir que talvez seja apenas uma boa idéia, que não pode dar certo sem o poder da unção do Senhor. Mas Deus não é obrigado a terminar nada que Ele não tenha iniciado.
A Bíblia diz que devemos colocar nossos olhos em Jesus, que é o Autor e consumador da nossa fé. Se mantivermos nossos olhos em Jesus, e obedecermos à Sua voz, desfrutaremos das bênçãos magníficas da vida abundante que Ele prometeu. Ouvir Deus falar conosco é a maior benção desta vida:
“Como é feliz o homem que acha a sabedoria, o homem que obtém entendimento, pois a sabedoria é mais proveitosa que a prata e o ouro…Os caminhos da sabedoria são agradáveis, e todas as suas veredas são paz.” Pv 3:13-17
(Joyce Meyer, em “COMO OUVIR A VOZ DE DEUS”)

terça-feira, 9 de agosto de 2011

COMPETÊNCIA E BONDADE

Para confiar em Deus, precisamos de um modo exuberante e preciso de pensar e falar sobre Ele, um modo que oriente c sustente a nossa visão da vida e a nossa vontade. Isso encontramos na linguagem bíblica. Especialmente no livro dos Salmos.
Ainda hoje o livro de Salmos nos dá muita força para a fé e a vida. Isso simplesmente porque ele preserva uma linguagem conceitualmente rica sobre Deus e sobre os nossos relacionamentos com Ele. Quem mergulha nos salmos emerge conhecendo a Deus e compreendendo a vida. E isso não depende de modo nenhum do “efeito poético” da grandiosa linguagem sálmica, como sugerem alguns. Não se trata de mero enlevamento emocional. O que torna a linguagem grandiosa e proporciona o enlevamento emocional é em larga medida, o retrato de Deus e da vida que ali encontramos.
Com os salmos aprendemos a pensar e agir de acordo com Deus. Neles nos imbuímos de Deus e do mundo divino. Eles nos proporcionam um vocabulário para viver caminhando rumo a Deus, vocabulário esse inspirado pelo próprio Deus. Mostram-nos quem é Deus, e isso expande, eleva e orienta a nossa mente e o nosso coração.
Esse Deus é O magnífico no meio de nós. Deus que se mostrou corporeamente a nós em Jesus, e nos traz a garantia de que o nosso universo é um lugar perfeitamente seguro. O próprio cerne da mensagem de Cristo, bem como da sua personalidade e dos Seus atos, se encontra nestas famosas palavras de Mateus 6:
“Por isso vos digo: Não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que as vestes.
Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo vosso Pai celeste as sustenta. Porventura não valeis vós muito mais do que as aves?
Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida? E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?
Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? ou: Com que nos vestiremos? porque os gentios é que procuram todas estas cousas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal”
Essa garantia ousada e astutamente jocosa a respeito de todos os elementos básicos da nossa existência – alimento, bebida e vestuário, além de outras necessidades da vida – só se sustenta numa visão esclarecida de que um Deus totalmente bom e competente está bem aqui conosco para cuidar de nós.
(Dallas Willard, em “A CONSPIRAÇÃO DIVINA”)

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A ALIANÇA
“E esse que se acha assentado é semelhante, no aspecto, a pedra de jaspe e de sardônio, e, ao redor do trono, há um arco-íris semelhante, no aspecto, a esmeralda. ” Ap 4:3
O mundo e as coisas do mundo podem decepcionar e passar, mas Aquele que está sobre o trono subsiste e não falta à palavra.
A igreja visível pode falhar e seguir por caminhos tortuosos, pode abrir as portas ao desvio, mas Ele não muda — Aquele que é desde o princípio e que revelou claramente Sua vontade.
O cristão pode ser tentado a desanimar, a abandonar-se ao formalismo e a morrer em sua rotina, mas Aquele que nos prometeu a vida e nos deu suas promessas é fiel e agirá de acordo com o que disse.
É noite para nós? O vento é contrário? O cansaço e o desgaste se apoderam de nós? Precisamos ver o arco-íris nas nuvens, nessas nuvens que nos parecem tão pesadas e ameaçadoras. Temos de olhar esse arco celeste, o qual nos diz que, se somos infiéis, Ele permanece fiel (Gn 9:14-16). Deus fez aliança conosco, uma aliança em todos os aspectos segura. Deus não falta à palavra. Vem a nós, desde que nos veja contritos e arrependidos, prontos para receber Suas bênçãos. “Nós vos anunciamos o evangelho da promessa feita a nossos pais, como Deus a cumpriu plenamente a nós, seus filhos, ressuscitando a Jesus, como também está escrito” (At 13:32-33).
As pessoas nos decepcionaram: confiamos e elas não cumpriram sua palavra. Mas Deus nunca decepciona. O arco-íris é a garantia de sua fidelidade. Para que o arco-íris apareça, é preciso chuva e sol. A graça e a fidelidade de Deus se manifestam exatamente quando há “chuva”, quando as circunstâncias são contrárias. Mas não podemos permitir que As nuvens carregadas nos impeçam de ver o sol do socorro divino.
Ele cumprirá o que prometeu: Seu trono está cercado de um arco-íris cheio de esperança. Erguidos, vamos ao Seu encontro. Ele cumpre a palavra: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” (Jo 10:10).
(Hugh E. Alexander, em “ORVALHO DA MANHÔ)

sábado, 6 de agosto de 2011

CADA NOITE TEM SEU DIA SEGUINTE
“Porque ele bem sabia o que estava para fazer. ” João 6:6
Eis o segredo da fé e da paz do cristão. Sejam quais forem as circunstâncias em que se encontra aquele que confia no Salvador e lhe obedece, Jesus sabe de antemão o que fará por ele. Dificuldades ou sofrimentos são necessários para seu crescimento espiritual. Sua vida não pode ser diferente da vida do Mestre.
Cada noite tem seu dia seguinte. Quando atravessamos a escuridão, somos for- talecidos pela certeza de que Jesus já sabe como fará brilhar a luz. Em nossas inde- cisões, quando não sabemos o que fazer nem como agir, é bom conhecer o repouso da fé e lembrar que Jesus sabe como intervir. Ele tem seu plano traçado para nós e para os nossos; e, ainda que permita essas circunstâncias para nos experimentar, mede as dificuldades e, a seu tempo, nos fará sair vitoriosos.
Para nós, a prova amarga e interior está cheia de mistérios e dores que algumas vezes nos esmagam, mas devemos saber ver a prova de hoje como quem a contem- plará amanhã. Quando Deus nos pede atos de fé e obediência sem apoio visível, devemos andar e obedecer como fez Abraão, que partiu sem saber para onde ia. E, mais tarde, veremos que o Senhor já nos havia providenciado a saída do túnel, fazendo-nos entrar em uma obra previamente preparada, para nela prosseguirmos com toda a facilidade.
Sim, ele sabe o que fará! Assim como aos primeiros discípulos, Jesus nos pede para entregarmos aquilo que possuímos, mesmo sendo apenas cinco pães e dois peixes, e que façamos o que nos diz. Ele é o primeiro, e será sempre o primeiro a saber como nos livrar da dificuldade.
Quando Jesus nos chamou, em toda a nossa fraqueza e ignorância, sabia de antemão o que ia fazer! “Quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida” (Jo 8:12).
(Hugh E. Alexander, em “ORVALHO DA MANHÔ)

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

BOM DE SABER…BOM DE LEMBRAR
No tempo de Deus você terá tudo que precisa.
Ele fala pra você - DESCANSA…
Que o tempo são momentos de preparação
para algo maior e muito melhor!
ELE sempre tem o melhor para sua vida.
ESPERE…
Que o tempo traz todas as bênçãos de Deus para VOCÊ!
NÃO CORRA…
Porque Nosso PAI manda sempre esperar.
CONFIE…
Que no tempo, na hora, no exato momento,
o teu pedido é respondido, tua oração é atendida.
Você confia Nele e ELE O IMPOSSÍVEL FARÁ,
ELE É NOSSO REFÚGIO…
Não SOFRA, DESCANSE…
Deixa DEUS cuidar do seu tempo,
JESUS TE AMA MUITO!
DEUS não te esqueceu…. DEUS NUNCA FALHA…
IRRESISTÍVEL …INCOMPARÁVEL É O SEU AMOR.
Insuperável é o Seu poder.
(Neuma Fernandes)

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

SINCERIDADE É FUNDAMENTAL
É comum os cristãos caírem na armadilha sutil de supor que a oração funciona por meio de fórmulas. “Assuma a atitude recomendada, use as palavras e frases apropriadas, e pronto: suas orações serão respondidas.”
O livro de Ester derruba esses mitos. Nesse relato surpreendente de uma linda rainha que foi usada por Deus para salvar o povo judeu do genocídio na Pérsia, não encontramos uma única referência direta à oração! Não apenas isso, mas o livro nem sequer menciona o nome de Deus!
Entretanto, por causa da difícil situação dos judeus, é seguro supor que seus períodos de jejum (4:3,16; 9:31) estivessem repletos de orações desesperadas ao Senhor dos céus. Em vista de como a história termina, é evidente que, durante toda a tribulação do povo, Deus estava não só atento mas trabalhando.
A oração não precisa ser formal ou floreada — nem sequer pública ou audível — para ser eficaz. É necessário que seja sincera e dirigida ao Único que, de fato, pode fazer tudo por nós.
(Stormie Omartian, comentário na “BÍBLIA DA MULHER QUE ORA”)

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

DIGNO DE ADORAÇÃO
Não importa o que esteja acontecendo em sua vida, Deus sempre é digno do seu louvor. É por isso que a adoração deve ser sua primeira reação a tudo. Deve se tornar um estilo de vida, uma prioridade. Você pode decidir acordar de manhã e ser grata a Deus, pois sabe que ele a ama mais do que você jamais será capaz de compreender plenamente. Comece seu dia lou- vando e adorando a Deus por tudo que ele é. E lembre-se de algumas das muitas formas que a adoração a Deus afeta sua vida.:
• A adoração requer um ato de minha vontade.
• A adoração é uma escolha que preciso fazer todos os dias.
• A adoração sensibiliza meu coração e edifica minha fé.
• A adoração permite que eu me torne mais semelhante ao Senhor.
• A adoração é uma arma poderosa na guerra espiritual.
• A adoração me ajuda a ouvir Deus falar ao meu coração.
• A adoração faz todos os meus medos se dissiparem.
• A adoração convida Deus a fluir dentro de mim.
• A adoração aprofunda meu relacionamento com o Senhor.
• A adoração transforma minha mente, meu coração e minhas atitudes.
Existem inúmeras razões pelas quais você deve louvar a Deus. Ainda que você se lembre de apenas uma delas, terá motivação suficiente para adorá-Lo e louvá-Lo várias vezes ao longo do dia, especialmente a cada vez que orar.
“Deem ao Senhor a glória devida ao seu nome, e entrem nos Seus átrios trazendo ofertas. Adorem o Senhor no esplendor da Sua santidade; tremam diante Dele todos os habitantes da terra”
Sl 96:8-9
(Stormie Omartian, em “O PODER DE ORAR”)

terça-feira, 2 de agosto de 2011

NA DÚVIDA, TENHA FÉ

Uma das razões pelas quais muitas pessoas têm problemas com a fé é porque ela parece que vai contra a intuição. Aparentemente, a fé está do lado contrário do pensamento racional. O mundo tende a pegar as aparências externas e as circunstâncias e dar-lhes valor nominal. Entretanto, as aparências enganam. Nunca podemos saber a verdade sobre qualquer situação se não analisarmos sob a perspectiva divina, e isso requer fé.
A fé é um paradoxo, segundo a carta aos Hebreus 11:1, “Fé é estar seguro do que esperamos e a prova das coisas que não vemos”. Colocando de outra forma, podemos dizer que na duvida, tenha fé. Quando não souber o que fazer, creia em Deus! No momento em que nada fizer sentido, confie Nele!
O direcionamento da nossa fé é importante. Jesus disse: “Tende fé em Deus” Mc 11:22. Não confie nas situações ou nas pessoas, mas sim em Deus. Ele é inabalável. Pessoas desapontam, estratégias falham, empregos são perdidos, nossos corpos são frágeis, adoecem. Coloque sua fé em Deus, Seu Reino nunca cairá. Ele nunca desapontará. O Senhor é firme, estável, eterno.
(Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ”)

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

TEMPO PRESENTE
O tempo que passou não volta atrás. Assim que uma hora, um minuto ou um instante se passam, eles se foram para sempre. Contudo, podemos redimir o tempo que ainda nos resta. Podemos reconsiderar o propósito que nos foi dado por Deus e o legado eterno que queremos deixar atrás de nós e permitir que ambos guiem nossa agenda futura.
Imagine sua vida como uma vila na qual existem três prédios: uma escola, um banco e sua casa.
A escola representa seu passado, o lugar aonde você vai para estudar suas experiências anteriores. Mas você não pode mudar o que foi ruim nem ressuscitar o que foi bom. Você não vive ali.
O banco representa o futuro. Você o visita para planejar o investimento que faz com o tempo e os recursos de hoje. Mas você também não vive ali. Você pode apenas preparar-se para o futuro.
Tentar viver no passado ou no futuro significa deixar sua casa vazia — o aqui e o agora. Para ter uma vida com propósito, você deve viver no presente, onde pode fazer diferença ao aplicar as lições do passado e fazer escolhas sábias para causar impacto no futuro.
Que o Espírito Santo de Deus nos auxilie a fazer esta oração permanentemente: Senhor, toma minhas prioridades — aquelas que realmente guardo como minhas, bem lá no fundo — e mostra-me como torná-las mais parecidas com as tuas prioridades. Faze meu coração bater com mais vigor pelas coisas que te alegram. Acima de tudo, dá-me um coração que sempre deseje passar mais tempo contigo.
“Porque melhor é a sabedoria do que os rubis; e tudo o que mais se deseja não se pode comparar com ela.” Pv 8:11
(Kerry Shook, em “UM MÊS PARA VIVER”)