quinta-feira, 30 de junho de 2011

CONFIA E DESCANSA
Se você ler atentamente ás Escrituras, descobrirá que a totalidade de Israel é plano para nós vermos que Deus os teria levado a muitas vitórias, mas não pôde por causa da incredulidade deles. Eles foram escolhidos para a plenitude de Deus, mas Josué e Calebe foram os únicos a entrar na Terra Prometida. Entraram porque tinham outro ânimo, outro espírito. não tiveram medo quando foram espiar a terra.
A fé no poder de Javé era forte neles, dando-lhes a a confiança que reverendava a Deus. Havia dez outras pessoas enviadas naquela missão. Elas não tinham fé suficiwntw no poderio e na fidelidade do Senhor, por isso voltaram murmurando.
Se você tiver confiança em Deus e andar com Ele, você não murmurará quando defrontar dificuldades, vocẽ não irá murmurar. Os demais acompanhantes de Josué e Calebe murmuravam porque não tiveram descanso no Senhor.
Aquelas pessoas disseram: “Nós seremos presas daquele povo forte, seremos destruídos por eles”, e Deus lhes disse por meio de Moisés: “Seus filhos entrarão na Terra, mas vocês não entraráão”. De fato, a geração que sucesdeu àqueles homens, adentrarão em Canaã e a tomaram. A incredulidade deles o impediu de vencerem.
“Resta ainda um repouso para o povo de Deus” Hb 4:9. O povo que entra naquele repouso cessa de tentar vazer as coisas do seu jeito, com seu entendimento limitado e, então, Deus começa a operar.
(Smith Wigglesworth, em “CRÊ SOMENTE”)

terça-feira, 28 de junho de 2011

FIQUE ALERTA!
Deus fala ao nosso interior através da comunhão direta, através da nossa intuição (um sentimento inexplicável de discernimento), através da nossa consciência, nossas convicções básicas de certo e errado. O nosso espírito pode sentir um conhecimento que podemos não ter fatos racionais evidentes para provar.
Por exemplo, quando somos sensíveis a ouvir a voz de Deus podemos olhar para situações que parecem em ordem, corretas e boas, mas a intuição nos avisa que há algo de errados ali. Esta verificação no nosso espírito nos impede de entrar em acordo com alguém ou algo que nos levará para longe dos caminhos e propósitos de Deus, ou seja, são situações que nos renderão dor e confusão.
Sempre que sua consciência incomodar, fique em estado de alerta. E, especialmente, peça ao Senhor que revele o que há de errado e confirme o que sua intuição aponta. A intuição não é um indicador infalível, infalível mesmo só a Palavra de Deus, mas ela é um elemento a ser seriamente considerado quando você vive debaixo da autoridade de Deus, quando O busca ininterruptamente e O tem como seu único e suficiente Senhor. Pois, Ele usa dessa “ferramenta” para nos afastar de situações perigosas e eventualmente desastrosas.
(Joyce Meyer, em “COMO OUVIR A VOZ DE DEUS”)

segunda-feira, 27 de junho de 2011

PASSOS DE FÉ
Será que o Cristo da história e o Cristo da nossa caminhada de fé nos proporcionam uma base para confiarmos com segurança? Ou será que exigimos mais feitos maravilhosos, coisas mais espetaculares (e que nos tiram o foco)?
Os milagres de Jesus relatados nos evangelhos e todos aqueles que vejo e vi na minha vida e na vida de tantos outros cristãos, são espetaculares, mas, para mim, igualmente admirável é a graça constante que nos permite permanecer em fidelidade inabalável no meio de desgraças e desapontamentos e de lutas e mágoas da vida humana. Nosso caminho pontilhado pela graça incute uma confiança modesta que, embora venhamos a tropeçar e cair, faz com que continuemos a nos levantar, de modo que não estejamos entre as pessoas superficiais que rasgam a Bíblia junto com o primeiro sinal de problema, nem com as derrotadas, que, valorosas, lutam pela fé durante muito tempo, mas, no fim, dobram-se ao desespero. É a confiança que nos ergue, de modo que nos sejam dadas a graça para o próximo passo e a coragem para recebê-la.
Num feliz reconhecimento de que todas as coisas se dão pela graça, oremos juntos:
“Pai, hoje submeto a a Ti minha vontade e vida, sem reservas e confiando humildemente, pois Tu é meu Pai amoroso. Liberta-me da falta de espontaneidade, da ansiedade por causa do futuro e da tirania da aprovação dos outros, para que eu possa encontrar alegria e prazer única e exclusivamente em agradar a Ti. Que o Teu plano para a minha vida e para a vida de todos os teus filhos se revelem pela graça um pouco a cada dia.Eu te amo de todo o coração e em Ti, somente em Ti, deposito toda a minha confiança.”
(Brennan Manning, em “CONFIANÇA CEGA”)

domingo, 26 de junho de 2011

A VIDA É DIFÍCIL, MAS…
A função da religião não é fazer com que as pessoas se sintam bem. Amor? Sim, Deus nos ama. Porem, seu amor requer a fidelidade e o compromisso em retorno. Deus não deseja cuidar de animais de estimação, dando alimento e afago. Antes, quer maturidade, pessoas livres que respondam a Ele com sinceridade. Para que isso aconteça, deve existir honestidade e verdade. O eu deve ser retirado do pedestal. Deve haver corações puros e propósitos claros, confissão de pecados e compromisso de fé.
E paz? Sim, Deus concede paz. Porém, a paz que Ele nos dá não é a paz das pessoas que evitam coisas desagradáveis. Não é a paz que se obtém quando se evita falar sobre assuntos dolorosos ou tocar em certas feridas. É uma paz obtida com dificuldade ao se aprender a orar. É preciso combater a maldade, derrotar a apatia, desafiar o cansaç, confrontar a ambição.
Viver é difícil. Há muitas situações que podem dar errado. Elaboramos nossos planos com muito cuidado e, mesmo assim, eles falham. Tentamos prosseguir, mas inexplicavelmente alguma coisa interfere e então fracassamos. Não é bíblico escamotear a realidade, a vida com Jesus não se transforma num conto de fadas, exatamente porque o mundo não é um lugar perfeito.
Viver é difícil, mas nós que cremos em Cristo, que renascemos Nele, temos não apenas um alento, uma esperança, um refúgio. Temos uma certeza – todas as lágrimas, todas as lutas, todos os fracassos, todas as quedas, todos os erros e todo obstáculo contribui, no fim, para o nosso bem.
(Eugene Peterson, em “ÂNIMO”)

sábado, 25 de junho de 2011

sexta-feira, 24 de junho de 2011

ESPERANÇA REPLETA DE CERTEZA
Uma expectativa confiante é estar seguro do que se espera e certo do que não se vê. Não há como ter uma fé verdadeira sem esperar que algo aconteça. Com a fé aguardamos seguros e pacientes a ação de Deus por nosso bem e Sua glória, mesmo quando não vemos nenhuma evidência de algo acontecendo.
Fé verdadeira também significa esperança segura. No entanto, isso não é uma contradição? Não na perspactiva bíblica. Temos a tendência de pensar na esperança como algo que desejamos, mas que não temos certeza que receberemos: “espero que consiga um novo emprego”. A esperança bíblica é diferente. Ela é segura e certa porque está ancorada na integridade e nas promessas de Deus. Talvez não possamos ver, mas sabemos que acontecerá porque o Senhor assim o disse.
O apóstolo Paulo falou acerca da esperança:
“Porque, em esperança, somos salvos. Ora, a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê, como o esperará? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos.” Rm 8:24-25
Esperança é a parte vital da fé do Reino de Deus, e por ser ancorada em Deus, que não mente e não muda, é tão segura quanto se já a estivéssemos segurando em nossas mãos. Por ser baseada neste tipo de esperança, fé também significa resolver.
Resolver é tomar uma decisão definitiva ou tirar uma conclusão acerca sobre algo. O resoluto diz: “Tenho certeza de que Deus manterá Sua Palavra. Não sei como, quando, ou onde Ele o fará, mas de uma coisa estou certo: Ele fará”.
(Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ”)

quinta-feira, 23 de junho de 2011

SURPREENDENTE GRAÇA

“Tudo é possível ao que crê” (Marcos 9:23).
É bem conhecido o fato de que John Newton, autor do hino “Amazing Grace” (Surpreendente Graça) antes de entregar sua vida para Cristo, era capitão de um navio que transportava escravos da África Ocidental para a Inglaterra e América. O que nem todos sabem, é que Newton continuou no negócio escravo ainda por algum tempo. A única diferença é que passou a tratar da sua carga humana com mais compaixão. Só mais tarde Deus abriu seus olhos para os horrores de seu comércio e ele tornou-se um pastor, pregando com zelo contra a escravidão ilegal no Império Britânico. Deus lida com cada um de nós de forma diferente. Com John Newton houve um processo gradual de amadurecimento espiritual até que se transformasse no homem que Deus desejava que fosse.
É surpreendente a graça com que Deus nos trata. Ele transforma o grande pecador em alguém que busca santificar sua vida e engrandecer o Seu nome. Ele nos tira da agonia de uma grande tempestade e nos coloca seguros em um mar de calmaria e bonança. Ele nos livra das densas trevas e nos faz caminhar sob a luz de um sol vivificante. Ele nos liberta do “nada” e nos faz regozijar com o “tudo”. Tudo é possível ao que crê e não há circunstância que tire a nossa alegria.
Às vezes julgamos demorada a bênção que tanto ansiamos. Às vezes a nossa mudança tarda um pouco. Mas, a bênção sempre vem. Newton demorou um pouco a experimentar a “surpreendente graça” do Senhor Jesus, mas ela chegou, fez dele um novo homem. Só mesmo um DEUS todo-poderoso pode transformar um escravocrata em um ser humano defensor da liberdade e cristão adorador.
Se a sua vida ainda não foi completamente transformada, tenha PACIÊNCIA e confie no Senhor. Se a sua bênção está demorando um pouco, tenha PACIÊNCIA e creia no Senhor. A maravilhosa graça de Deus alcança a todos e logo virá para encher seu coração também. AMÉM!
(Paulo Roberto Barbosa)

quarta-feira, 22 de junho de 2011

AUTORIDADE
Devemos ter uma confiança persistente na fidelidade, na sabedoria e no poder de Deus. Isso significa que a consistência de Sua Palavra será refletida na firmeza das nossas orações. Devemos orar até que vejamos uma resposta. Se acreditamos realmente que estamos orando de acordo com a vontade de Deus, então por que deveríamos parar de orar antes de vermos uma resposta? Muitas vezes, oramos devotadamente por um tempo, depois perdemos o ânimo e a confiança, dizemos com desalento: “Bem, acho que não era a vontade de Deus”. A “demora” da resposta de Deus NÃO significa Sua recusa em nos atender. O desânimo é uma desculpa para nossa impaciência e falta de persistência. Se estamos orando com a AUTORIDADE de filhos redimidos do Altíssimo, devemos continuar na batalha até que vejamos a vitória.
Orar com autoridade é uma verdade básica que devemos empregar na nossa vida cristã. É uma questão de reinvidicar (receber) o que já foi comprado e pago por Cristo no Calvário. O preço foi altíssimo, você sabe. Então, como ousamos não receber tudo o que Ele conquistou para nós? Quando orarmos com a autoridade que Deus nos deu, veremos nossas orações se tornarem as ferramentas efetivas que deveriam ser. Nossa vida e a vida dos que nos rodeiam serão transformadas. Ele nos prometeu Sua autoridade. Agora devemos decidir se a usamos ou não. Lembre-se que uma vida que glorifica o Pai transborda a autoridade e o poder do Senhor.
(C. Stanley, em “RESOLVA COM ORAÇÃO”)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

A SÓS COM DEUS
























Quando passamos por períodos de profunda aflição causada pelo nosso pecado ou de outra pessoa, é prudente – de fato, é bíblico – não nos cercar de outras pessoas, por mais que sejam bem-intencionadas. O silêncio é necessário. As palavras de outros no geral nos perturbam. Fique na presença do Senhor e busque a Sua mente durante esse período penoso. Não há nada de errado em ficarmos sozinhos para sondarmos a nossa alma. O livro de provérbios diz; “Guarda teu coração, porque dele procedem as fontes da vida”. De fato, ele descreve a condição do coração, dizendo que devemos guardá-lo com toda diligência. Algumas coisas são preciosas demais para compartilhar. São profundas, pessoais ou dolorosas demais. Ao sondar a nossa alma, devemos ficar quietos para poder ouvir o Senhor dizer tudo o que quer para nós em nossos corações.
Enfrentar a tempestade é uma experiência solitária. Você nunca estará mais sozinho emocionalmente do que quando se acha num redemoinho. Desejará que outros o ajudem, mas isso não é possível. Eles vão querer estar ao seu lado, irão importar-se com você, mas na mais das vezes terá de vencer sozinho a turbulência.
Vencer a tempestade é um aprendizado. O salmo 32 diz:
“Instruir-te-ei e te ensinarei o caminho que deves seguir; e, sob as minhas vistas, te darei conselho. Não sejais como o cavalo ou a mula, sem entendimento, os quais com feios e cabrestros são dominados; de outra sorte não obedecem. Muito sofrimento terá de passar o ímpio, mas o que confia no Senhor, a misericórdia o assistirá.”
Tempestades, graças a Deus, são experiências temporárias, podem até ser demorada, mas não é eterna. Creia, seu Senhor fiel, sábio e amoroso o levará à vitória.
Um verso de um hino do século dezoito, sempre me traz consolo nas horas cheias de tormenta:
“A terra não tem tristeza que o céu não possa curar”
(Charles Swindoll, em “DAVI – UM HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS”)

domingo, 19 de junho de 2011

PASSOS DE FÉ
Será que o Cristo da história e o Cristo da nossa caminhada de fé nos proporcionam uma base para confiarmos com segurança? Ou será que exigimos mais feitos maravilhosos, coisas mais espetaculares (e que nos tiram o foco)?
Os milagres de Jesus relatados nos evangelhos e todos aqueles que vejo e vi na minha vida e na vida de tantos outros cristãos, são espetaculares, mas, para mim, igualmente admirável é a graça constante que nos permite permanecer em fidelidade inabalável no meio de desgraças e desapontamentos e de lutas e mágoas da vida humana. Nosso caminho pontilhado pela graça incute uma confiança modesta que, embora venhamos a tropeçar e cair, faz com que continuemos a nos levantar, de modo que não estejamos entre as pessoas superficiais que rasgam a Bíblia junto com o primeiro sinal de problema, nem com as derrotadas, que, valorosas, lutam pela fé durante muito tempo, mas, no fim, dobram-se ao desespero. É a confiança que nos ergue, de modo que nos sejam dadas a graça para o próximo passo e a coragem para recebê-la.
Num feliz reconhecimento de que todas as coisas se dão pela graça, oremos juntos:
“Pai, hoje submeto a a Ti minha vontade e vida, sem reservas e confiando humildemente, pois Tu é meu Pai amoroso. Liberta-me da falta de espontaneidade, da ansiedade por causa do futuro e da tirania da aprovação dos outros, para que eu possa encontrar alegria e prazer única e exclusivamente em agradar a Ti. Que o Teu plano para a minha vida e para a vida de todos os teus filhos se revelem pela graça um pouco a cada dia.Eu te amo de todo o coração e em Ti, somente em Ti, deposito toda a minha confiança.”
(Brennan Manning, em “CONFIANÇA CEGA)

sábado, 18 de junho de 2011

O MEGAFONE DE DEUS
Alguns de vocês já sofreram grandes decepções, foram tratados injustamente, traídos ou maltratados por quem confiavam, amavam e admiravam. Alguns de vocês foram abandonados, sofreram a indiferença de quem devia amá-los e protegê-los.
Mas, quero dizer-lhes algo. É possível que ache difícil de aceitar, mas precisa compreender que é nesse tipo de sofrimento que Deus dá Suas melhores mensagens. É o que C. S. Lewis chama de “megafone de Deus”. No livro O Problema do Sofrimento, ele escreve: “Deus sussurra em nossos prazeres, fala em nossa consciência, mas grita em nossos sofrimentos”.
Temos duas escolhas, podemos ficar desiludidos e amargos ou ver essa dificuldade como uma plataforma para pôr nossa esperança e confiança no Deus vivo.
A desilusão é uma ladeira perigosa e escorregadia. Primeiro nos desiludimos com nosso semelhante. Em seguida passamos ao ceticismo. Em pouco tempo não onfiamos em ninguém, nem mesmo em Deus. Nunca encontrei um indivíduo que ficasse sinceramente decepcionado com a humanidade e que também não acabasse se desiludindo de Deus. As duas coisas andam juntas.
A causa da desilusão e a cura para ela podem ser expressas praticamente nas mesmas palavras. A causa da desilusão é colocar nossa esperança e confiança nas pessoas. Colocá-las num pedestal, concentrar-se nelas. Ficar de tal modo horizontalmente focado nelas que a pessoa toma o lugar de Deus, torna-se Deus. Quando os pés de barro se quebram, como certamente acontecerá, a completa decepção se estabelece.
Qual a cura? Pôr toda a nossa esperança e confiança no Deus vivo. Quando fazemos isso, as mais simples mensagens de Deus acalmam o nosso espírito.
Ouçam-me, vítimas dos maus tratos, prisioneiros da desilusão. Ouçam a verdade de Deus. Ele tem uma centena de mensagens diferentes para lhes dar durante uma centena de experiências diferentes de aprisionamento. Ele sabe a mensagem certa, na hora certa, e tudo o que é necessário para recebê-la é um coração sensível, obediente, confiante, que diz; “Senhor, Deus, ajuda-me agora. Ajuda-me a ver além da escuridão, a ver Tua mão. Enquanto estou sendo esmagado, remodela-me.” Faça essa oração. Transforme a sua provação em confiança, enquanto espera que Deus use ternamente essa aflição, essa cela, para o Seu propósito. Faça isso hoje!
(Charles Swindoll, em “JOSÉ – UM HOMEM ÍNTEGRO E INDULGENTE”)

sexta-feira, 17 de junho de 2011

SIMPLES CONFIANÇA
A simplicidade é um dom de Deus. Existe um relacionamento intríseco entre simplicidade e a oração, especialmente naquele aspecto central da oração que é a confiança.
Meus filhos amam panquecas, portanto de vez em quando eu me levanto cedo para fazer uma batelada delas. É incrível vê-los devorando as panquecas como se houvesse um suplimento infindo. Eles não estão nem um tiquinho preocupados com o preço dos ovos ou com minha capacidade de prover panquecas para eles. No que lhes diz respeito, o reservatório de panquecas é sem fim. Tudo que precisam fazer é pedir, sabem que receberão. Eles vivem com confiança. E sem este espírito de confiança acharemos tremendamente difícil viver na base da oração para o pão de cada dia.
O apóstolo Paulo aconselhou os cristãos a viverem livres da ansiedade. Isto, claro, é mais fácil falar do que fazer. Tudo neste mundo e na nossa cultura combate o espírito alegre da despreocupação. Como podemos viver livres da ansiedade? Que recurso temos a nossa disposição? Paulo via a oração como este recurso: “Não fiquem ansiosos por COISA ALGUMA; levem ao Senhor, em oração e súplica, vossos pedidos com espírito agradecido” Fp 4:6.
Oração e simplicidade estão entrelaçadas.
(Richard Foster, em “CELEBRAÇÃO DA SIMPLICIDADE”)

quinta-feira, 16 de junho de 2011

IMPORTA A SINCERIDADE
Quando olhamos para Jeremias não o encontramos em companhia de amigos, em animada conversa, contando histórias sobre Deus ou discorrendo sobre assuntos teológicos. Deus não é algo ou alguém para ser discutido. Deus não é uma idéia ou um conceito a ser estudado. Não vemos o profeta Jeremias sentado em sua escrivaninha, de pena em punho, tentando responder, com sua mente aguda e inteligência profunda, questões difíceis do tipo “Como um Deus misericordioso permite o avanço do mal?”. Deus não é um problema a ser solucionado.
Quando lemos o livro de Jeremias, o encontramos em constante oração: dirigindo-se a Deus e ouvindo Sua resposta. A oração é o meio pelo qual nos aproximamos de Deus como um ser pessoal, como alguém com quem se pode conversar, não como um objeto sobre o qual falamos a respeito. O ato de orar implica a atenção Àquele que nos escuta e assiste. É a decisão de nos aproximarmos de Deus como a pessoa central de nossa vida, como nosso Senhor e Salvador.
Há uma idéia equivocada sobre a oração, a de que ela é um ato de resignação e conforto, a de que a pessoa que está orando desfruta da maior paz do mundo. No entanto isso é um equívoco gritante, a vida de oração de Jerermias nos mostra isso. Ao olharmos para ele vemos um homem amedrntado, solitário, ferido e irado. Jeremias não mostra inibição em suas orações: “Persuadiste-me, ó Senhor, e persuadido fiquei, mais forte foste do qie eu”. Nossa ira pode dar a medida da nossa fé. Os cristãos discutem diretamente com Deus, os céticos discutem entre si. Os primeiros têm a glória de ouvir a voz do Senhor; os segundos, se bastam com suas próprias vozes.
(Eugene Peterson, em “ÃNIMO”)

quarta-feira, 15 de junho de 2011

MEHOR QUE A ESPERANÇA
Certa ocasião, JESUS disse aos discípulos que, quando fossem à cidade, veriam um homem carregando um cântaro de água. Eles deveriam seguí-lo. Não era costumeiro, no Oriente, que os homens carregassem coisa alguma na cabeça. As mulheres sempre o faziam.
Quando eles viram o homem, perguntaram-lhe: “Onde está o aposento para o convidado?”
“Que estranho vocês perguntarem isso”, ele respondeu. “Eu o preparei imaginando quem haveria de querê-lo”.
É maravilhoso quando DEUS está liderando, tudo, no final, funciona perfeitamente dentro do plano DELE. Você acha que ELE não pode fazer isso por você hoje? Você acha que ELE não poderia fazer o mesmo Por pessoas que têm estado em confusão durante dias e dias? ELE sabe de que maneira libertá-las do problema. ELE pode estar com você na sua hora mais negra. Pode fazer TODAS as coisas concorrerem para o teu bem. ELE tem um jeito de organizar o SEU plano. E quando chega a hora, você sempre sabe que foi um dia que você, de modo muito especial, viveu em DEUS.
Existe uma enorme diferença de viver em DEUS e viver na especulação e na esperança. Existe algo melhor do que a esperança, melhor do que a especulação, é viver os milagres que DEUS quer realizar em nossas vidas. Creia que ELE pode realizá-los. Espere com paciência e gratidão, e você verá o resultado
(Smith Wigglesworth, em “CRÊ SOMENTE!”)

segunda-feira, 13 de junho de 2011

"Eis que estou convosco todos os dias , até a consumação do século." (Mt 28:20)
A TRAVESSIA
Chesty Puller foi um oficial da Marinha dos Estados Unidos que recebeu várias condecorações. Na época em que comandava um numeroso grupo de fuzileiros navais em combate, entrou inadvertidamente numa área inimiga. De repente, percebeu que ele e seus homens estavam cercados por todos os lados. Todas as vias de fuga estavam bloqueadas. O exército opositor marchava ao encontro deles para fulminá-los.Como Puller agiu? Ele apenas cerrou os punhos e disse: Isso é ótimo. Não vão escapar dessa vez!’
É assim que Deus age em algumas das nossas lições. Para que elas sejam gravadas em nosso coração, temos de estar cercados, sem possibilidade de fuga. Então aprendemos. Talvez por isso você esteja numa situação complicada. Quem sabe precise de um milagre divinamente inspirado na sua vida para mudar um padrão de hábito que o persegue há anos. Deus tem um lugar para você experimentar antes de ser libertado – antes que o mar vermelho se abra.
A travessia do Mar Vermelho é para o Antigo Testamento o que a Ressurreição é para o Novo. Quando os profetas e escritores do Antigo Testamento queriam referir-se à mão milagrosa de Deus, eles retomavam mais esse evento que qualquer outro. Do mesmo modo, quando um escritor do Novo Testamento queria ilustrar o poder de Deus, na maioria das vezes se referia à Ressurreição. Embora as cenas sejam completamente diferentes, ambos são milagres estupendos de redenção pelas mãos de Deus.
Você está se sentindo encurralado? Ouça, filho(a) de Deus, sua dificuldade é um projeto Dele. São necessários esses becos sem saída para o dia glorioso em Canaã.
Ouça cuidadosamente. Leia devagar. Chegar ao Mar Vermelho é tanto parte do plano Dele quanto o é atravessá-lo. É bem provável que o Senhor esteja quebrando um hábito ruim. Esses hábitos são difíceis de quebrar. As lágrimas correm enquanto Deus opera no Seu tempo. Mas são no decorrer dessas lágrimas que Deus se torna muito importante e real – e compreendemos, finalmente, que uma dificuldade nas mãos Dele é apenas uma estrada para a Terra Prometida.
(Charles Swindoll, em “MOISÉS – UM HOMEM DEDICADO E GENEROSO”)

domingo, 12 de junho de 2011

PACIÊNCIA E ENTENDIMENTO

Jesus uma vez contou uma parábola sobre um rei que decidiu acertar as contas com seus devedores. Seu contador encontrou um senhor que devia não milhares, ou centenas de milhares, mas, milhões de dólares. O rei sumariamente declara que o homem e a esposa e crianças dele serão vendidos para pagar a dívida. Por causa da sua incapacidade de pagar, o homem está prestes a perder tudo e todo mundo querido a ele. Não é de se admirar que “Mas o empregado se ajoelhou diante do patrão e pediu: “Tenha paciência comigo, e eu pagarei tudo ao senhor.” – O patrão teve pena dele, perdoou a dívida e deixou que ele fosse embora.” (Mat. 18:26-27)
A palavra paciência aparece de forma inesperada aqui. O devedor não pede clemência ou perdão; ele roga por paciência. Igualmente curioso é este aparecimento singular da palavra. Jesus usa esta palavra duas vezes nesta história e nunca mais. Ela não aparece em nenhuma outra parte nos Evangelhos. Talvez o uso escasso serviu no primeiro-século como um marcador de texto. Jesus reserva a palavra para uma ocasião para fazer um ponto. Paciência é mais que uma virtude para filas longas e garçons lentos. Paciência é o tapete vermelho no qual a graça de Deus nos chega.
Não houvesse nenhuma paciência, não teria havido nenhuma clemência. Mas o rei foi paciente, e o homem com a dívida multimilionária foi perdoado.
Mas, aí a história dobra para a esquerda. O recém perdoado traça uma linha reta do tribunal para os subúrbios. Lá ele procura um sujeito que deve a ele algum dinheiro.
“O empregado saiu e encontrou um dos seus companheiros de trabalho que lhe devia cem moedas de prata. Ele pegou esse companheiro pelo pescoço e começou a sacudi-lo, dizendo: “Pague o que me deve!” – Então o seu companheiro se ajoelhou e pediu: “Tenha paciência comigo, e eu lhe pagarei tudo.” Mas ele não concordou. Pelo contrário, mandou pôr o outro na cadeia até que pagasse a dívida. (Mt 19:28-30)
O rei fica atordoado. Como o homem poderia ser tão impaciente? A tinta do carimbo CANCELADO ainda está úmida nas contas do homem. Você pensaria que uma pessoa tão perdoada amaria muito. Mas ele não o fez. E a falta de amor dele o conduziu a um equívoco caro.
O homem que não consegue perdoar é chamado de volta ao castelo.
“ ‘Empregado miserável!’[disse o patrão, ou seja, Deus] ‘Você me pediu, e por isso eu perdoei tudo o que você me devia. – Portanto, você deveria ter pena do seu companheiro, como eu tive pena de você.”- O patrão ficou com muita raiva e mandou o empregado para a cadeia a fim de ser castigado até que pagasse toda a dívida. (Mat. 18:32-34)
A paciência do rei não fez nenhuma diferença na vida do homem. Ao criado, a clemência do trono nada mais era que um teste cancelado. Ele não ficou impressionado pela graça real; ele ficou aliviado de não ter sido castigado. A ele foi dada muita paciência, mas ele não deu nenhuma, o que nos deixa curiosos para saber se ele na verdade entendeu o presente que recebeu.
Se você achar paciência difícil de dar, você poderia fazer a mesma pergunta. Quão repleto você está com a paciência de Deus? Você ouviu falar. Leu sobre ela. Mas você a recebeu? A prova está na sua paciência. Paciência profundamente recebida produz paciência livremente oferecida.
Mas paciência nunca recebida leva a uma abundância de problemas, entre os quais um dos maiores é a prisão. Lembra-se onde o rei enviou o criado que não perdoava? “O patrão ficou com muita raiva e mandou o empregado para a cadeia a fim de ser castigado até que pagasse toda a dívida.” (Mat. 18:34 BLH)
Pôxa! Nós suspiramos. Estou contente que aquela história é uma parábola. Que bom que Deus não prende o impaciente na vida real. Não esteja tão seguro que ele não o faz. Egoísmo e ingratidão criam paredes grossas e prisões solitárias.
Impaciência ainda prende a alma. Por essa razão, nosso Deus é rápido para nos ajudar a evitá-la. Ele faz mais que exigir paciência de nós; ele nos oferece. Paciência é um fruto do Espírito dele. Ela pendura da árvore de Gálatas 5:22: “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade,”. Você pediu para Deus lhe dar um pouco de fruto? Bem eu fiz uma vez, mas. . . Mas o que? Você ficou impaciente? Peça a ele de novo, e de novo e novamente. Ele não ficará impaciente com seu pedir, e você receberá paciência ao orar.
E enquanto você estiver orando, peça entendimento. A pessoa paciente “dá prova de grande entendimento,” (Prov. 14:29). Será que sua impaciência é o resultado de uma falta de entendimento? Aconteceu comigo.
Paciência sempre pega carona com entendimento. O homem sábio diz, “O que tem entendimento refreia a língua” dele (Prov. 11:12). Ele também diz, “quem tem entendimento é de espírito sereno” (Prov. 17:27). Não perca a ligação entre entendimento e paciência. Antes de você explodir, escute. Antes de você golpear, se ligue. “Com sabedoria se constrói a casa, e com discernimento se consolida” (Prov. 24:3).
Antes de qualquer outra coisa, o amor é paciente.
(Max Lucado, em “UM AMOR QUE VALE A PENA”)

sábado, 11 de junho de 2011

ESPERA ATIVA
As pessoas geralmente oram para ter uma “grande fé”, mas elas não entendem que a fé cresce à medida que nos levantamos para fazer coisas sobre as quais não temos qualquer experiência ou que talvez não entendamos totalmente. Não creio que alguém seja automaticamente uma pessoa com uma grande fé; a fé se torna grande através da experiência com Jesus. Ela se desenvolve na medida em que é utilizada, à medida que viveciamos o agir Dele em nossa vida e em nossas circunstãncias.
Em Lucas 17:5, os apóstolos disseram ao Senhor: Aumenta a nossa fé”, Jesus respondeu como está registrado no versículo 6: “Se vocês tiverem fé do tamanho de uma semente de mostarda, poderão dizer a esta amoreira: Arranque-se e plante-se no mar – e ela lhes obedecerá”.
Creio que Jesus quis dizer que: “Se vocês tivessem alguma fé, estariam fazendo alguma coisa”. Uma das maneiras pelas quais liberamos a nossa fé é fazendo alguma coisa – orar é a essência do agir com fé. Outra forma de agir é os preparar para aquilo que estamos desejando receber (ex: está orando por um emprego, então faça cursos que te capacitem para atuar em algo específico; está orando por um casamento, então, esteja bem espiritualmente para ser benção para este alguém, preocupe-se também com sua aparência, etc). A fé geralmente exige ação. Os apóstolos não estavam fazendo nada naquela situação, mas queriam ter uma grande fé.
Há momentos que Deus não quer que tomemos nenhuma atitude, porque deseja que esperemos que Ele entre em ação. No entanto, até a confiança é ativa e não passiva. Devemos estar ativamente esperando em Deus, orando e confessando a Sua Palavra enquanto esperamos que Ele aja em nosso favor.
(Joyce Meyer, em “COMO OUVIR A VOZ DE DEUS”)

sexta-feira, 10 de junho de 2011

ALMA NUTRIDA DE FÉ
“Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.” Tiago 1: 17
A certeza da fidelidade e do cuidado do Pai por nós é o alimento da nossa alma, é o que nos mantém firmes!
Deus em sua palavra nos diz: “Portanto, irmãos, sede pacientes até a vinda do Senhor. Eis que o lavrador [espera] o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba as primeiras e as últimas chuvas.” Tiago 5:7
Também: “Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos oferece na revelação de Jesus Cristo.” 1Pedro 1:13
E ainda: “alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; Rm 12:12.
Deus pode mudar qualquer situação que se encontra desfavorável, tumultuada e enegrecida.
Não acredite em nãos e em nuncas, e muito menos em impossíveis, porque nosso Deus é poderoso para tornar os impossíveis perfeitamente possíveis. A promessa de Deus é: “Comereis abundantemente e vos fartareis, e louvareis o nome do Senhor vosso Deus, que procedeu para convosco maravilhosamente; e o meu povo nunca será envergonhado.” Joel 2:26.
Quando alguém disser que você não vai conseguir, que algo não vai acontecer em sua vida, diga: VAI SIM, EM NOME DE JESUS!
Viva uma vida de fé, na certeza de que uma palavra do Senhor mudará toda a sua vida, tornará favorável toda circunstância contrária a você.
Tenha certeza que uma palavra do Senhor, um toque da graça Dele pode colocar na sua vida alguém que vai ajudá-lo(a) a levar a cabo o projeto que você tem tanto sonhado e esperado.
Um toque da graça do Senhor vai colocar no seu caminho o amado ou amada que você sempre sonhou e pediu a Ele.
Um toque da graça do Senhor pode transformar tudo, seja nas finanças, seja no casamento, seja no trabalho, seja nos estudos.
Cada coisa negativa veja como temporária, recuse-se a ver-se como coitadinho ou como desamparado. Deus tem poder para mudar tudo à sua frente.
(Pr Ray Conceição  - Portal Mesanodeserto)

quinta-feira, 9 de junho de 2011

ATÉ O FIM
“Tu, porém, segue o teu caminho até ao fim; pois descansarás e, ao fim dos dias, te levantarás para receber a tua herança.” Daniel 12:13.
Foi essa a ordem de Deus dada a Daniel. Este deveria ir até o fim. No versículo 8, Daniel diz:” Eu ouvi, porém não entendi; então, eu disse: meu Senhor, qual será o fim destas coisas?”
Antes que chegue o tempo de Deus para realizar os teus sonhos, os teus desejos e as tuas necessidades, uma multidão de coisas pode acontecer, especialmente turbulências…muita turbulência. Uma saraivada de coisas desagradáveis e asfixiantes podem recair sobre você. Porém, independente do que anteceda a resposta divina às suas orações, não desanime e nem se acomode, ou seja, não pare de orar, não desvie seus olhos de Deus. Não se deixe dominar pelos tornados, nem se permita paralisar pelo medo e o desânimo. Vá até o fim. Daniel não ficou sem resposta e, com a resposta que Deus lhe deu, foi persistente e audaz – foi até o fim.
Deus quer contar conosco para realizar maravilhas surpreendentes nessa terra. Não devemos permitir que nada nos abata, não devemos ceder espaço para o pessimismo e a descrença. Prossigamos na luta ferrenha da fé! Mesmo que os atropelos nos deixe atordoados, não devemos esquecer quem é o Deus que nós servimos: “o justo Juiz que trabalha por aqueles que Nele esperam”.
A ordem de Deus para todos nós, Seus servos e filhos é: “Tu, porém, segue o teu caminho até ao fim”. Se obedecermos a ordem, como é o propósito do Senhor, alcançaremos a nossa vitória. Mas, se vacilarmos e retrocedermos abatidos, assustados e amedrontados, seremos vencidos. Portanto, não se desespere, TUDO tem um fim, inclusive a espera, o choro, a humilhação, a solidão, a dor, pois o nosso Deus é “Deus fiel”. Ele está no controle de tudo e nada……Nada….NADA está passando despercebido diante dos Seus olhos.
Todo dissabor que enfrentamos é usado por Ele para o nosso bem, se assim confiarmos e crermos. Ele dirá a quem persistir nessa confiança até o fim: “Servo bom e fiel, porque perseveraste até o fim te darei a coroa da vida”
(Neuma Fernandes)

quarta-feira, 8 de junho de 2011

MICROGERENCIAMENTO

Deus gerencia Sua criação por “microgerenciamento”, interessado e envolvido nos mínimos detalhes.
O sustento providencial de Deus de todas as coisas é pela Sua muito sábia providência. A palavra pela nessa frase indica os meios pelos quais Deus supre o que Ele sustenta. Aqui os meios estão firmados na Sua sabedoria e santidade. A obra de Deus de sustentar a Sua criação está fundada na Sua sabedoria. Como mortais, estamos propensos a errar ao nos prender a coisas por um tempo muito curto ou muito longo. Qual o especulador da bolsa de valores que nunca fez uma venda antecipada ou uma compra atrasada? Deus não comete erros em Suas ações. Ele supre todas as coisas que sustenta a um ponto exato de perfeição, pois o faz de acordo com Sua perfeita sabedoria.
A obra de sustentação de Deus também pe um sustento santo. Neste aspecto, o termo santo refere-se tanto à Sua majestade transcendente como à Sua perfeita justiça. Não há falta de inteligência, sabedoria ou justiça na Sua obra de sustentação. O que Deus sustenta, Ele o faz com justiça. Ás vezes, cogitamos sobre o tempo de duração de dor e aflição e perguntamos: “Por quanto tempo, ó Deus?” Conjeturamos sobre o motivo pelo qual Deus não impede o mal. Contudo, a duração de todas as coisas está em Suas mãos, e esse tempo está sob o controle da providência de Deus segundo Sua sabedoria e Seu santo propósito.
Também observamos que Deus sustenta as coisas segundo Sua presciência que é infalível. Deus não usa de suposições em Seu prognóstico. Ele não consulta um placar para computar as possibilidades. Sua presciência é, ao mesmo tempo, infalível e absoluta. Não há coisa alguma no futuro que Ele já não saiba. Ele conhece o fim desde o começo. Se tivéssemos que perguntar a Dus sobre alguma possibilidade futura, Ele nunca nos daria a resposta; “Depende”.
Sua onisciência não muda. Sua onipotência nunca enfraquece. Sua sabedoria nunca vacila. Sua memória nunca falha. É por causa disso tudo que Ele pode “transformar o mal em bem”; é devido a todos Seus atributos que só Ele pode fazer com que “tudo colabore para o bem daqueles que O amam”. É por todas essas coisas que para Ele “nada é impossível”.
Vale ou não vale a pena confiar sua vida nas mãos desse DEUS?
(R. C. Sproul, em “A INVISÍVEL MÃO DE DEUS”)

terça-feira, 7 de junho de 2011

AMAR É OBEDECER
Existe um momento entre pretender orar e realmente orar que é um dos momentos mais sombrios e silenciosos da nossa vida. É a fração de segundo entre pensar na oração e orar. Para alguns de nós, essa fração de segundo pode durar décadas. Parece, portanto, que o maior obstáculo à oração é a simples questão de começar, o simples ato de vontade, o iniciar, o praticar, o fazer.
Shakespeare foi muito honesto na peça Os dois cavaleiros de Verona: “Aquele que não demonstra seu amor, não ama”. O amor verdadeiro precisa declarar-se vivendo na prática suas declarações.
Quando meu filho era criança, eu lhe dizia: “Filho, ponha o lixo pra fora!”. E ele obedecia! É assim que demonstramos nosso amor e respeito- sendo obedientes. Mas imaginemos que, ao receber a minha ordem, ele respondesse:
- Ah, papai, você é tão bonito; só quero ficar aqui sentado contemplando sau sabedoria e poder.
- Mas, filho – posso insistir -reconhecer meus atributos tem pouca validade real se vpcê não quiser me obedecer. Ponha o lixo para fora!
- Mas pai, o lixo? Não, prefiro considerar sua nobreza. Você é o solo de onde eu brotei. Quando penso em você como aquele que me gerou, considero minha maturidade e desejo louvá-lo cada vez mais.
- Filho, ponha o lixo para fora.
Essa ilustração foi longe o suficiente para falar do perigo de levantar as mãos em adoração quando devemos fazer o que o Pai nos pede. Devemos primeiro obedecer e depois louvar.
E o que Deus nos pede? Para confiar Nele: “Não temais” é a exortação mais frequente na Bíblia. Não tema durante os momentos sombrios. Não tema diante de obstáculos assombrosos…Não tema!
“Orai sem cessar”. 1Ts 5:17. O que é oração? Comungar-se com Deus…pedir…suplicar….inteceder….Mas, oração não é monólogo, é diálogo com o Todo-Poderoso, portanto orar é também ouvi-Lo e saber esperar Sua resposta e Seu agir.
Comece a orar, na oração Deus nos revela Sua vontade. Se estamos pedindo de acordo com Seus planos supremos, Ele realizará nosso pedido; se não, Ele nos fará ‘desistir” do que pedíamos. Quando estamos orando de acordo com Seus propósitos, nos tornamos Sua voz, milagres acontecem.
Então, comece a orar, ponha-se no caminho da verdadeira adoração, mostre-Lhe seu amor – obedeça ao Pai.
(Calvin Miller, em “NAS PROFUNDEZAS DE DEUS”)



segunda-feira, 6 de junho de 2011

O ANTÍDOTO PARA A PREOCUPAÇÃO
É impossível ser amigo de Deus deixando de lado o conhecimento do que Ele diz. Você só pode conhecê-Lo apropriadamente conhecendo Sua Palavra. Embora você não possa passar o dia inteiro lendo a Bíblia, pode pensar a seu respeito ao longo do dia, recordar e meditar a respeito dos versículos que leu recentemente.
A meditação é frequentemente mal interpretada como algum ritual misterioso e complicado, praticado por exotéricos e místicos. Mas meditar é simplesmente concentrar o pensamento em algo – uma habilidade que pode ser adquirida por qualquer pessoa e posta em prática em qualquer situação.
Quando você se matém pensando repetidamente sobre um problema, isso se chama preocupação. Quando você se mantém pensando repetidamente na Palavra de Deus, isso se chama meditação. Se você sabe se preocupar, já sabe meditar!!!! Basta que você desvie a atenção dos seus problemas para os versículos bíblicos. Quanto mais você meditar na Palavra de Deus, menores serão suas preocupaçoes, e maior será seu conhecimento do amor, da vontade e dos propósitos Dele para a sua vida.
Amigos dividem segrdos, e Deus irá partilhar com você os Seus segredos, se você desenvolver o hábito de pensar em Sua Palavra continuamente. Quanto mais tempo você repassar o que Deus disse, mais compreenderá os “segredos” desta vida que muitas pessoas deixam escapar. A meditação na Palavra é um meio essencial para ouvir a resposta de Deus aos nossos questionamentos e orações.
(Rick Warren, em “UMA VIDA COM PROPÓSITOS”)

domingo, 5 de junho de 2011

O DEUS DE BOA REPUTAÇÃO
“Antes te lembrarás do SENHOR teu Deus, que Ele é o que te dá força para adquirires poder; para confirmar a sua aliança, que jurou a teus pais, como se vê neste dia.” Dt 8:18
De onde vem o sucesso? De Deus. “Te lembrarás do SENHOR teu Deus, que ele é o que te dá força para adquirires poder”
E porque Ele concede? Para a Sua reputação. “para confirmar a sua aliança, que jurou a teus pais, como se vê neste dia.”
Deus abençoou Israel para destacar Sua fidelidade. Quando os estrangeiros viam as fazendas da Terra Prometida, Deus não queria que pensassem sobre os fazendeiros. O sucesso deles fazia publicidade sobre Deus.
Nada mudou. Deus permite que você se destaque para que através de você, Ele se torne conhecido. E você pode estar certo de uma coisa: “Deus vai fazer você bom em alguma coisa. Este é Seu princípio: “O galardão da humildade e o temor do Senhor são riquezas, e honra e vida” Pv 22:4.
Será que esperaríamos menos de Deus?
Porém, o sucesso provoca amnésia. Mas não precisa ser assim. Deus oferece um giseng es´piritual para ajudar a sua memória. Sua prescrição é simplesmente “Conheça o propósito do sucesso”. Por que Deus ajudou você a ser bem-sucedido? Para que você possa torná-Lo conhecido.
E por que Deus quer ser conhecido? Será Ele um egocêntrico incorrigível?
Você sabe a resposta. Deus quer que todos O conheçam porque somente a comunhão e a intimidade com Ele nos garante “integridade”, uso este termo no sentido de inteireza. Só podemos nos sentir inteiros, completos, realizados, quando SOMOS em Jesus. Quando O conhecemos, O adoramos e nos entregamos para Ele.
Ele quer que os homens O conheçam porque a vida em Cristo é ESSENCIAL para cada um de nós, é isso que nos faz felizes.
E Deus quer que sejamos felizes, mas só podemos ser felizes com ELE.
“Três mil anos atrás, Davi declarou: E riquezas e glória vêm diante de Ti, e Tu dominas sobre tudo, e na Tua mão há força e poder; e na Tua mão está o engrandecer e dar força a tudo” 1Cr 29:12
Por que você é bom naquilo que faz? Para o seu conforto? Para a sua auto-estima? Não. Seu sucesso e suas vitórias são para a glória de Deus, para que outros saibam a força e o poder do Deus que você e eu servimos.
(Max Lucado, em “ISTO NÃO É PARA MIM”)

sábado, 4 de junho de 2011

ABUNDÂNCIA, SÓ EM CRISTO
É importante deleitar-se no Senhor. Os bens materiais não são deleites duráveis, embora, sem dúvida, sejam de grande importância. Mas não são fontes confiáveis de felicidade e paz. Quando Deus não nos dá o que queremos quando desejamos, precisamos lembrar que Jó definiu um princípio inviolável; “Embora Ele me mate, ainda assim, Nele esperarei” Jó 13:15. É palavra de um homem que perdera absolutamente tudo na vida, porém, não abriu mão do seu Deus. Continue confiando no Senhor, diz Habacuqye, mesmo quando os bens materiais faltarem.
“Mesmo não florescendo a figueira,
e não havendo uvas nas videiras,
mesmo falnado a safra de azeitonas,
não havendo produção de alimentos nas lavouras,
nem ovelhas no curral,
nem bois nos estábulos,
ainda assim eu exaltarei no Senhor
e me alegrarei no Deus da minha salvação” Hc 3:17-18
Os maiores amantes de Deus são aqueles que amam a Jesus não pelo que lhes têm dado, mas porque morreu por eles, Esse é o sinal mais valioso da bondade de Deus.
A espiritualidade torna-se madura quando chegamos a um conceito de prosperidade que não se relaciona com o aspecto material. O grande pecado contra Deus é vivermos de maneira que os outros não nos considerem ricos no sentido espiritual. Viver uma vida espiritual esfarrapada leva os outros a pensarem que nosso Deus é um pai pobre. Não é preciso possuir bens materiais para ter contentamento. Paulo escreveu de uma cela na prisão: “Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação”.
Quando não refletimos nossa vida rica de discípulos de Cristo, reduzimos Deus à pobreza!
O pecado do filho pródigo foi dar má impressão do pai. Quem visse o moço no chiqueiro comendo sabugos acreditaria que o pai não se importava com ele. Nunca imaginaria que, em determinada casa próspera, havia um retrato caro do jovem sujo. O pródigo era amado por um pai que dia e noite sentia forte compaixão pelo filho perdido e o esperava ansiosamente.
Aprenda a lição do salmo37:4 – “Deleita-te no Senhor…” Demonstre que é um grande prazer conhecer a Deus! O versículo continua: “e Ele concederá os desejos do teu coração”, Ele quer satisfazer todas as nossas necessidades, mas antes precisamos saber que nossa maior necessidade é de comunhão com Cristo.
O mesmo salmo no seu versículo 11 nos diz; “Mas os humildes receberão a terra por herança e desfrutarão plenitude no bem-estar”. A abundância jamais se mede pelo que alegamos possuir, mas sim pela profundidade e estabilidade da nossa intimidade com Deus em Jesus.
(Calvin Miller, em “NAS PROFUNDEZAS DE DEUS”)

sexta-feira, 3 de junho de 2011

FUJA DA TEIMOSIA!
Uma mentalidade teimosa e resistente à Deus é uma grande inimiga da paz e dos planos do Altíssimo. Alguns de nossos problemas devem-se ao fato de querermos convencer Deus de que a nossa situação deve ser tratada de modo diferente do que Ele está direcionando a fazer. Quando é difícil discernir a voz de Deus é porque nossa mente já está decidida contra o plano do Senhor.
Precisamos estar dispostos a deixar de lado os nossos próprios desejos, ou podemos perder uma palavra clara da parte de Deus. A nossa inclinação natural émanipular as coisas para que funcionem do modo que queremos. Alguns dos nossos melhores brinquedos de infância nos ensinaram que peças quadradas não se encaixam em buracos redondos, e precisamos lembrar que os nossos planos nem sempre se encaixam nos caminhos de Deus – não importa o quanto nos tornemos agressivos tentando fazer com que os dois funcionem juntos.
Há uma receita infalível para fugir das frustrações da vida – seguir o Senhor. Isso significa querer ouví-Lo, saber esperar Sua resposta e, por último, obedecer, custe o que custar. Se o custo for abrir mão de algo que parecia precioso, então, não se iluda, se Deus te orientar a desistir, é porque o que você desejava não era bom para você, muito menos precioso.
Não teime em tentar colocar peças redondas nos buracos quadrados.
(Joyce Meyer, em “COMO OUVIR A VOZ DE DEUS”)

quinta-feira, 2 de junho de 2011

O PÃO DA BENÇÃO E O PÃO DA VIDA
“E Jesus disse: Eu sou o Pão da Vida, aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim não terá sede.” Jo 6:35
Há, então, dois tipos de pão sendo discutidos aqui. O primeiro é o “pão da benção”, tal como o maná, o pão oferecido à multidão no deserto. O segundo é o Pão da Vida, é o próprio Senhor. Ambos, o “pão da benção” e o Pão da Vida, vieram do mesmo lugar: dos céus. Contudo, o “pão da benção” é temporário, por isso, não devemos pensar em satisfazer-nos apenas com este tipo de pão, mas sim, alimentar-nos diariamente do Pão da Vida.
A essência da discussão dessa temática é ensinar que a Fonte é sempre mais importante do que Seus fins, e que o Criador é maior do que Suas bençãos. Os bens concedidos são temporais, porque são perecíveis, mas a Fonte é permanente e eterna, Nunca devemos colocar nossa fé nas bençãos, mas sempre na Fonte das bençãos. Jesus explicou:
“Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede. Mas já vos disse que também vós me vistes, contudo, não credes” Jo 6:35-36
Você está buscando Jesus ou os sinais, as maravilhas, os milagres? Sua confiança está em Cristo, o Pão da Vida, ou está na satisfação do “pão da benção”? Você busca o regozijo de seu espírito ou simplesmente tenta manter seu “estômago” cheio? Confia nas coisas que nunca realmente satisfazem ou Naquele que traz o eterno júbilo?
Não tenha dúvidas: O Reino de Deus tem provisão para cada necessidade nossa. Entretanto, é justamente por essa razão que não devemos colocar nossa confiança nos meios que suprirão tal carência, mas sim no Deus que os fornecerá. Na condição de cidadãos do Reino, nosso dever é crer, obedecer e servir ao REI. A parte Dele é cuidar de nós. Isso é o que Jesus quis dizer quando nos advertiu: “Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Mt 6:31-33
(Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ”)