segunda-feira, 31 de outubro de 2011

 DEUS PROPÔE INTIMIDADE

Nunca foi plano de Deus vir e dar-nos uma lista com regras a cumprir para só assim sermos aceitos por Ele.
Eu fui uma pessoa religiosa por um bom tempo. Eu me esforcei para cumprir todas as regras das quais achei que precisava cumprir para me sentir bem e ser aceita por Deus. Recentemente descobri que o maior problema de ser religiosa era que isso me impedia de desfrutar a minha vida e meu relacionamento com o Senhor.
Ao contrário de religião, relacionamento é comunhão, não é o que fazemos ou deixamos de fazer. È estar apaixonado por Deus e comunicando-se com Ele durante o dia, justamente como fazemos com um bom amigo.
Para a maioria, isto é tudo que religião é — seguir um conjunto de regras e regulamentos. Quando cumprimos regras, nos sentimos bem, e quando falhamos ao cumpri-las, nos sentimos mal.
Agora, não estou dizendo que nós não devemos ter regras nas nossas vidas. Ter regras é bom pois elas geralmente nos ajudam a viver uma vida disciplinada. Mas pode se tornar um problema quando as regras nos fazem sentir que somos inaceitáveis ou não tão bons o suficiente quando falharmos em cumpri-las. Jesus não quer que vivamos em baixo de jugo e condenação. Ele veio para nos tornar livres!
Você e Eu devemos ser encorajados a focar em nosso relacionamento com o Senhor, não em coisas como quantos versículos da bíblia lemos ou se oramos o número “certo” de horas. Fomos salvos dos nossos pecados então podemos conhecer a Deus e ter comunhão com Ele. Deus quer que nós estejamos relaxados em Sua presença e sermos nós mesmos no relacionamento com Ele. Foi para a liberdade que Cristo nos libertou… (Gálatas 5:1)
Efésios 3:12 diz,… por causa da nossa fé Nele, nós ousamos ter arrojo (coragem e confiança) de livre acesso (uma aproximação sem reservas à Deus com liberdade e sem temor). Em outras palavras, como resultado da nossa fé em Jesus, nós podemos desfrutar de um relacionamento contínuo com Deus que é parte de nossa normal vida diária.
A escolha é sua: Você pode praticar Religião, esforçando-se em cumprir regras e regulamentos, ou você pode desfrutar de um relacionamento, experimentando intimidade com Deus. O Deus de toda a criação quer ser seu amigo—para conversar com você sobre qualquer coisa, dividir seus segredos, suas alegrias e suas lágrimas. Eu o encorajo a buscar a Ele para uma revelação pessoal do Seu amor para que você possa relaxar e desfrutar de um relacionamento de liberdade e intimidade com Ele—Começando hoje!
(Joyce Meyer, em “SE NÃO FOSSE PELA GRAÇA DE DEUS”)

domingo, 30 de outubro de 2011

CONSOLANDO


Está tudo tranqüilo. O que se ouve são os sons do silêncio. Às vezes, o silêncio traz uma sensação de alívio, até de um descanso de qualquer coisa que tenha ocupado sua mente nos últimos dias ou mesmo semanas. Para muitos, a quietude é um visitante bem-vindo. Para outros, significa enfrentar a dor que tão impetuosamente tentam evitar. Atividades são usadas como anestésicos para amenizar a dor que nos invade como uma companhia que não foi convidada.
O que a maioria das pessoas deseja dos momentos de dor e silêncio? Deseja ouvir a voz do consolo. Qualquer um que esteja ferido, lutando com a tristeza, sofrendo e tentando vencer as seqüelas de uma perda está à procura de consolo. Você está assim?
Consolo — uma simples palavra de sete letras e inúmeros significados. Pode significar auxílio reforçado, conforto em tempo de angústia ou aflição, um sentimento de alívio ou encorajamento, ou alívio do sofrimento ou da angústia. Essa é sua situação? É de alívio que você precisa neste exato momento? Você precisa ser encorajado de alguma forma? Qual é a dor em sua vida que você gostaria de ver cessar neste momento? É provável que seu desejo neste instante seja contar com a companhia do consolo. Talvez você seja um daqueles que se perguntam se é possível ter algum consolo.
Você não está sozinho. Quando a devastação da vida veio sobre Jó, tirando-lhe os filhos e grande parte do que possuía, ele disse: “Ando de luto, sem consolo”. O salmista clamou a Deus: “Quando me consolarás?”.
O consolo virá, quem sabe, quando e onde menos se espera. Agarre-se ao conhecimento desse fato — talvez seja preciso que sua mente convença seu coração de que as coisas são assim. O sofrimento não durará para sempre. Pode parecer o contrário, mas, por fim, ele desaparecerá.
A Palavra de Deus será uma de suas fontes de consolo, assim como será o toque, a palavra ou a oração de outras pessoas. O salmista disse: “Este é o meu consolo no meu sofrimento: A tua promessa dá-me vida” (Sl 119:50). “Então as moças dançarão de alegria, como também os jovens e os velhos. Transformarei o lamento deles em júbilo; eu lhes darei consolo e alegria em vez de tristeza” (Jr 31:13). “Vocês se entristecerão, mas a tristeza de vocês se transformará em alegria” (Jo 16:20).
Lembre-se destas palavras e faça esta oração várias vezes hoje:
Deus, eu preciso do teu consolo, e o desejo. Dá-me coragem para aguardar o Teu tempo para realizar a plenitude da Tua vontade nessa situação que estou vivendo.. Obrigado por ouvires a minha oração e por responderes. Em nome de Jesus, amém.
(H. Norman Wright em, “CONSOLO EM TEMPO DE DOR")

sábado, 29 de outubro de 2011

FILHOS DO DONO DO MUNDO


Escravidão é uma condição mental. Pessoas podem ser livres e ainda agir como se estivessem em cativeiro. Este conceito pode ser ilustrado por um simples exemplo. Um grupo de pesquisadores realizou um teste em um cachorro. Eles amarraram o cão a um poste em um terreno aberto e jogaram para ele um pedaço de carne que estava fora do seu alcance. O que houve em decorrência pode ser vista na vida dos Cristãos.
O cachorro se lançava contra a carne, mas quando ia em sua direção, a coleira machucava seu pescoço. Ele pulou novamente e mais uma vez a coleira o machucou. A carne estava simplesmente fora do seu alcance. Os pesquisadores fizeram este teste por sete dias. Eles vinham todo dia e colocavam alguma comida diante do animal. E cada dia ele corria em direção ao prato e se machucava.
No oitavo dia, eles tiraram a coleira e puseram a comida na mesma posição. O cachorro não se moveu. Não havia coleiras no cachorro, mesmo assim o cachorro ficava apenas olhando a comida. Eles chamavam, e o cachorro não se movia. Eles gritavam, e o cachorro não se movia. Eles constataram que se não fizessem algo, o cachorro morreria de fome.
Quando eu li esta história, pensei em seu princípio como sendo exatamente o que o Apóstolo Paulo costumava falar sobre os Cristãos. Além do mais este ideal se refere não apenas aos Cristãos, mas a qualquer um que venha sendo oprimido por um longo tempo. Mesmo quando são libertos, ficam assustados.
Por exemplo, pode haver certas conquistas que você acredita que não poderia alcançar. Têm sido mantidas longe de você por tanto tempo que você não tem mais qualquer interesse ou qualquer esperança em alcançá-las. Você acredita que irá se ferir se tentar lutar por elas. Você tem convicção que irá se decepcionar se continuar sonhando e lutando por elas.
Algumas pessoas não acreditam que possam fazer algo ou obter algo por causa de forças que se opõe aos seus sonhos e têm puxado suas rédeas por tantos anos.
Eu quero dizer a você: “quebre as cadeias pelo poder de Jesus”. Temos que quebrar a postura do fracasso. O espírito de liderança é um princípio e o espírito de escravidão também o é. Por este motivo é que devemos passar por um treinamento., um recondicionamento mental e espiritual,
O Apóstolo Paulo diz: “Mas quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da Lei, a fim de redimir os que estavam debaixo da Lei, para que recebêssemos a adoção de filhos.” (Gálatas 4: 4,5). Jesus veio debaixo da servidão para dar a você os plenos direitos de filho de Deus. Ponha essa verdade no seu coração e na sua mente.
Porque você é Seu filho, Deus mandou o espírito do Seu filho, o qual o ensina a chamá-lo de “Abba Pai”. Seu Pai é o Senhor de tudo, é o Dono do universo. Seu Pai pode lhe dar os desejos do seu coração, desde, é claro, que estes sejam bons e glorifiquem Seu nome.
Uma das coisas mais assustadoras da experiência do Cristianismo é que muitas pessoas morrem sem compreender a paternidade de Deus.
(Myles Munroe, em “ENTENDENDO O PROPÓSITO E O PODER DA ORAÇÃO”)

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A FÉ CELEBRA A VIDA

Viver pela fé não significa viver pelo que seus olhos lhe mostram, mas pelo que sua mente, sua alma e seu coração sabem que é verdadeiro. É como diz o conhecido versículo; “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem” Hb 11:1.
É perigoso conduzirmos nossa vida baseados no que vemos, porque aquilo que enxergamos, na maioria das vezes, não é o quadro completo. O olhar pode ser enganoso, a não ser que vejamos a situação do ponto de vista do céu.
A fé é um estilo de vida de retidão baseado na natureza e no caráter de Deus. A ausência de fé cria um vácuo que é rapidamente preenchido pelo medo e pela dúvida. O temor e a insegurança geram a preocupação, que é o oposto da fé.
Não há nada em nosso corpo projetado para lidar com a aflição. Pesquisas científicas já comprovaram que a preocupação ativa enzimas que causam a constrição venosa e arterial o que pode causar desde dores de cabeça até ataque cardíaco. Então, se você diz: “Estou com uma aflição mortal”, não é exagero.
Deus nos criou para vivermos pela fé, o que significa que, a menos que ajamos por ela, estaremos nos autodestruindo. Sem fé em Jesus mergulhamos num mundo de preocupações, tormentos, depressão, o que nos leva a sabotarmos nossa vida. Fomos moldados para viver pela fé. A fé substitui a aflição. Ela nos dá acesso às coisas que nos afligimos se não as temos em mãos.
Davi disse muito á propósito: “Uns confiam em carros, e outros em cavalos, mas nós confiamos no poder do nosso Deus Eterno” Salmo 20:7. A mesma ênfase encontramos nas palavras de Jesus: “Tudo é possível ao que crê” Mc 9:23. Descanse….relaxe….espere…confie na certeza que Deus sabe de todas as suas necessidades e sonhos, e sabe o que é melhor para você.
(Myles Munroe, em “COMPREENDENDO O REINO DE DEUS”)

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

BORRÕES DE TINTA.

 

Uma reflexão torna-se necessária quando os sonhos parecem que nunca se realizarão. Nessa hora o Senhor chega com socorro, pois estava esperando chegarmos ao fundo do poço para descobrimos que Ele é o socorro bem presente na hora da angústia.
É mais provável é que as más cirrcunstâncias estejam ocorrendo porque Deus está fazendo algo insuperável e surpreendente para você. Se você desistir, o que Deus deixará de realizar através de você, e somente de você? Quando o vaso se quebra, a responsabilidade de reconstruí-lo não é dele próprio, do vaso, mas sim do oleiro que o construiu, ou mesmo que permitiu que se quebrasse.
Algumas telas dos grandes pintores parecem-se com borrões de tinta para alguns, incapazes de reconhecer sua harmonia dentro de uma aparente confusão colorida. Mas essas mesmas obras alcançam milhões de dólares em leilões de arte, onde colecionadores meticulosos sabem muito bem avaliar os traços e compassos do gênio por trás do pincel, bem como do intento de sua mente fantástica. Sua vida parece sem sentido?
O Divino Mestre ainda não concluiu Sua obra. Seu projeto não foi ainda completado. Você faz parte de um Plano maior, onde cada peça se ajusta perfeitamente, e aquelas que ainda não encontraram seu devido lugar estão sendo transformadas, desgastadas, polidas, diminuídas, para se encaixarem na engrenagem principal. Se as coisas parecem ter se estagnado, se pararam de repente, não se desespere. Talvez Deus esteja fazendo alguns ajustes em você para fazê-lo assumir um lugar mais importante, e para isso Ele precisa de um tempo. Deixe Deus trabalhar em você. Logo mais, você irá vê-lo trabalhando com você, para, afinal, trabalhar por você. Enquanto isso, descanse. Poupe o Oleiro de atrasos desnecessários, de mais tempo amassando o barro antes de tê-lo pronto para uma nova forma. O resultado final, você se surpreenderá, compensará todo o trabalho, todo o sofrimento.
(Portal Irmãos.com)

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O PRINCÍPIO DA SABEDORIA

 

Temer a Deus parece ser uma forma estranha de conhecê-lo, mas Salomão escreveu: “O temor do Senhor é o principio do saber” (Pv 1.7). Como podemos conhecer a Deus através do temor? Se o tememos estamos reconhecendo a sua majestade. Isto é o ponto de partida de nosso relacionamento com Deus, a base sobre a qual podemos construir e crescer espiritualmente – reconhecer Sua magnitude, Sua onipresença, Sua onisciência, Sua onipotência.
O salmo 76 apresenta um breve resumo do livramento de Israel no Egito: “Conhecido é Deus em Judá; grande, o seu nome em Israel” (v. 1). Os israelitas viram o poder e a força de Deus quando as carruagens do faraó foram cobertas pelo mar Vermelho (v. 6). Eles o temeram (v.7). Quando Deus enviou Seus juízos a Moisés (v. 8 e Ex. 19.9), os israelitas foram santificados e preparados para o encontro com Deus ao pé do monte Sinai. Não lhes era permitido subir na montanha, embora tenham podido ouvir e ver Moisés recebendo os Dez Mandamentos. “Todo o povo presenciou os trovões, e os relâmpagos, e o clangor da trombeta, e o monte fumegante” (Ex 20.18). Eles disseram a Moisés que estavam com medo. Moisés, então, disse ao povo: “Não temais; Deus veio para vos provar e para que o seu temor esteja diante de vós, a fim de que não pequeis” (Ex 20.20).
Temer a Deus faz parte do reconhecimento de Deus como Senhor e da determinação em segui-lo. Deus quer muito mais do que nossa consciência de Seu poder, Ele quer nosso tempo e dedicação no estudo da Bíblia, na oração e no serviço ao Seu Reino. Isso mostramos quer estejamos consertando o pneu furado de um estranho, quer fazendo um prato de sopa para os desabrigados. Precisamos fazê-lo como se o próprio Senhor estivesse recebendo o presente. Isso é ter TEMOR a Deus – é ter reverência, respito e disposição para serví-lo e segui-lo.
ALÉM DE DEUS, NADA A TEMER, Jesus disse: “Buscai, antes de tudo, o seu reino, e estas coisas vos serão acrescentadas. Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino” (Lc 12.31-32).
Se servimos a Deus com inteireza de coração, não temos nada a temer. Se amamos a Deus o suficiente para colocá-Lo em primeiro lugar em nossa vida, não precisamos temer coisa alguma. Se já lhe demos o nosso coração, não há o que temer.
(Portal Devocionais)

domingo, 23 de outubro de 2011

NÓS TEMOS PRESSA, DEUS NÃO!

 

“Quanto a mim, confio em ti, Senhor. Eu disse: tu és o meu Deus. Nas tuas mãos, estão os meus dias…” Sl 31.14-15
A confiança requer que você coloque sua agenda nas mãos de Deus, crendo que o tempo Dele é perfeito para todas as coisas em sua vida. Sua natureza humana quer que as boas coisas aconteçam imediatamente, não mais tarde. Mas você aprende a crer e a esperar que as coisas aconteçam no tempo perfeito de Deus à medida que amadurece na vida cristã. Confiar em Deus freqüentemente significa não saber como Ele irá realizar algo e quando Ele o fará.
Mas não saber “como e quando” fortalece sua fé e lhe ensina lições de confiança. Lembre-se: a confiança não é herdada, é aprendida. O tempo desempenha um papel importante para aprender a confiar em Deus, quando confiamos, descansamos; quando confiamos, somos felizes; quando confiamos, rimos das dificuldades e obstáculos; quando confiamos, esperamos serenamente certos que Ele nos abençoará de uma forma surpreendente e maravilhosa.
À medida que você experimentar a fidelidade de Deus, vez após vez, desistirá de confiar em si mesmo, conviverá bem com a espera e colocará sua vida, sem temores, nas mãos habilidosas do Senhor. Esse é um lugar maravilhoso para estar! Não hálugar melhor.
Enquanto o Senhor trabalha na tua vida e na tua causa, converse com Ele, ouça-O e medite na Sua Palavra, especialmente em versículos como esses:
“Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos” Romanos 8:25
“Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de Ti que trabalha para aquele que Nele espera” Is 64:4
“Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera” Ef 3:20
“Entrega o teu caminho ao Senhor; confia Nele, e Ele o fará. E Ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia. Descansa no Senhor, e espera Nele” Sl 37:5-7
(Joyce Meyer, em “EU TENHO PRESSA, DEUS NÃO”)

sábado, 22 de outubro de 2011

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

FRUTOS DA COMUNHÃO COM DEUS.
 
“Se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda, poderão dizer a este monte: ‘Vá daqui para lá’, e ele irá”. Mateus 17:20
Não meça o tamanho do monte; fale com Aquele que pode movê-lo. Ao invés de carregar o mundo em seus ombros, fale com Aquele que segura o universo nos Dele.
Aprenda uma lição de seu Mestre. Não marche para a batalha sem primeiro clamar por coragem nas promessas de Deus que o Senhor nos proclama em Sua Palavra. Posso dar alguns exemplos? Quando você estiver confuso: “Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o Senhor, planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano” (Jeremias 29:11).
Se você sentir o peso das falhas do passado: “Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus” (Romanos 8:1).
Naquelas noites em que você se pergunta onde Deus está: “Pois sou Deus, e não homem, o Santo no meio de vocês” (Oséias 11:9).
A esperança está a um olhar de distância. A esperança e a confiança se encontram na comunhão com o Único que nos dá a certeza absoluta do Seu amor, da Sua compaixão e do Seu poder, poder que realiza aravilhas incomparáveis.
(Max Lucado, em “OUVINDO DEUS NA TORMENTA”)

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

JOÃO TEIMOSO.
Você já viu bonecos infláveis chamados de João teimoso? Você bate nele, ele se levanta de novo com um grande sorriso! Você pode derrubá-lo quantas vezes for,  ele se levanta novamente.
Perseverança é uma ferramenta poderosa! Deus não se impressiona com a capacidade humana, com personalidades dinâmicas, com títulos e com roupas bonitas, nem com contas bancárias volumosas. Ele respeita pessoas que, quando são derrubadas, se fortalecem pela oração e levantam de novo com a fé intactas, mais determinadas do que antes.
É trabalho de satanás atacar você. E é seu trabalho ficar de pé. Se você for passivo, ele o destruirá! Paulo escreveu, “Resistam ao inimigo… e depois da batalha vocês ainda estarão de pé”. Perseverar significa continuar na briga recusando-se a desistir. Ela dá poder para você não se sentir vítima das circunstâncias, edifica a sua confiança e se torna uma ferramenta que você pode usar sempre que necessário.
Sua recompensa no Céu é determinada pelo seu grau de perseverança na terra. “Ao vencedor, dar-lhe-ei que se assente comigo no Meu trono”. Afinal, só vence aquele que chega ao final da corrida. “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida.” Então, continue perseverando. E como o João Teimoso, levante-se!
(Portal Estudos Cristãos)

terça-feira, 18 de outubro de 2011

A BENÇÃO DE SONHAR.

“O maior obstáculo que mantém um alvo fora do alcance é a convicção de que este alvo não pode ser alcançado.”   Gordon Maxwell
Antes de você abandonar ou minimizar a importância da concretização do seu mais ardente sonho, considere isto: quando o seu alvo é pessoalmente significativo e empolgante, você pode alcança-lo, seja ele qual for.
Você é nunca tão velho ou tão novo, tão rico ou tão pobre para direcionar a energia da sua vida em direção a um empolgante objetivo. A vida – basicamente – consiste em fazer uma diferença, e isso é alguma coisa que você pode fazer não importa as circunstâncias que esteja à sua frente.
Os seus sonhos representam alguns dos mais valiosos dons que Deus te deu para experimentar. nÃO ABRA MÃO DELES, NÃO OS SUFOQUE. Não permita que as crises, adversidades e dores encarcerem seus sonhos. Ouse sonhar e experimente o melhor desse Deus maravilhoso que pode fazer em você, e através de você, muito mais do que você sonha ou possa imaginar. Deus é maior que todos os problemas e obstáculos, aprenda essa lição e persevere na missão divina de sonhar ousadamente., sem receios, sem meia-coragem, sem titubear.
Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, a ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!  Efésiso 3:20-21
(PORTAL ENCORAJAMENTO)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

QUAL A DISTÂNCIA ENTRE VOCÊ E DEUS


“Reina o Senhor. Regozije-se a terra, alegrem-se as muitas ilhas.” (Sl 97.1.)
Quem há tão grande como o nosso Deus?
A quem o poderemos comparar?
Quem há que tenha tanto poder
Que pode o vento reter,
O mar acalmar,
Fazer a tempestade lhe obedecer?
Quem foi que, do nada, tudo criou,
E que, apesar de tão grande, aqui desceu e nos amou?
Não há como medir o tamanho de Deus. Ele não cabe na imensidão do Universo. Não existe um único lugar que seu Espírito não possa perscrutar. Não existe uma única pessoa que não mereça a sua atenção e seu amor. Ele é maravilhoso em seus planos e perfeito em suas obras.
Contudo, para muitos o Senhor está tão longe! E quando se está longe de Deus, Ele parece muito pequeno e fraco. Temperamental e vaidoso.
Ao se chegar, por exemplo, em um mirante de onde se pode avistar toda a cidade, podemos colocar edifícios de dezenas de andares entre dois dedos: o polegar e o indicador. O grande edifício fica pequeno, medindo centímetros. Assim também são as paisagens vistas de um avião. As pessoas ficam do tamanho de formigas, até mesmo desaparecem, as casas, as grandes construções e as largas avenidas também se tornam minúsculas.
Mas, à medida que nos aproximamos do pouso, as grandes edificações ficam enormes diante de nós, tudo é redimensionado. Assim acontece com o nosso relacionamento com Deus. Quanto mais próximos estamos Dele, mais experimentamos do seu poder, e da sua grandeza, vemos como somos pequenos e frágeis.
Qual é o tamanho de Deus para você? Qual o tamanho do pode de Deus para você? Dependerá da distância que você se encontra Dele.
(Portal Diante do Trono)

domingo, 16 de outubro de 2011

ESCOLHA ORAR...ESCOLHA CONFIAR.

Deus deseja que Lhe dirijamos pedidos. Ele não precisa do nosso conhecimento, nem das nossas explicações, muito menos das informações contidas nas nossas orações. Nos convidando a orar, Ele está nos chamando a ser parceiros na criação, está também nos conduzindo a entrar num relacionamento mais íntimo com Ele. Quem sai ganhando com isso? Nós, é claro, pois tudo que nossa alma mais anseia é por essa intimidade. Isso é nosso alimento espiritual mais eficaz.
Nunca vou entender o papel exato da oração em acontecimentos como a rota de um furacão, a queda de um ditador, a restauração de um casamento falido ou a cura súbita de uma doença extrema. Nenhum de nós seres humanos presos ao tempo, tem capacidade para isso. Dirijo-me a Deus, no entanto, com minhas preocupações como uma criança que procura seu pai carinhoso. Admito minha dependência e dou a conhecer meus pedidos, tendo plena consciência de que Deus, e não eu, tomará a decisão final. Depois de passar certo tempo com Ele posso retirar-me com uma visão diferente do mundo ou, no mínimo, com uma nova avaliação de meu ponto de vista. Em troca, Deus recebe minha atenção, meu engajamento, minha alma.
Utilizando a oração, em vez de outro meio mais direto, Deus mais uma vez escolhe o estilo que mais amplia a liberdade humana no mundo. Deus espera receber pedidos, o que, de forma misteriosa, torna a atividade divina dependente de nós. Será que o Reino, ou a vontade de Deus, avança mais lentamente por causa dessa escolha? Sim, da mesma forma que os pais diminuem o ritmo de seus passos quando seu bebê está aprendendo a caminhar. O objetivo deles é equipar outra pessoa, não a si mesmos.
Ore…entregue seus pedidos a Deus, Ele quer ouvir sua voz. Esteja certo que coisas acontecerão, em você e nas situações. No trajeto, você verá Seu agir soberano e amável.
(Philip Yancey, em “ORAÇÃO, ELA FAZ ALGUMA DIFERENÇA?”)

sábado, 15 de outubro de 2011

SEJAMOS OTIMISTAS
Mentes positivas produzem vidas positivas. Mentes negativas produzem vidas negativas. Bons pensamentos estão sempre carregados de esperança e fé. Maus pensamentos são sempre cheios de medo e dúvida.
Algumas pessoas têm medo de ter esperança porque foram muito machucadas durante a vida. Elas tiveram tantos desapontamentos que acham que não conseguirão suportar a dor de mais um. Portanto elas se recusam a ter esperança para não amargarem mais sofrimento. Evitar ter esperança é um tipo de proteção contra a possibilidade de ser machucado. O desapontamento dói, e como, sabemos disso! Então, em vez de serem feridas recusam a ter esperança ou acreditar que qualquer coisa boa jamais lhes acontecerá. Esse tipo de comportamento estabelece um estilo de vida negativo. Lembre-se de Provérbios: 23:7 “Pois como uma pessoa pensa em seu coração, assim ela é”.
Em Mateus 8:13, Jesus nos diz que nos será feito de acordo com a nossa fé: “…e seja feito conforme a tua fé…” Isso não significa que podemos conseguir qualquer coisa que queiramos apenas por pensar nela. Deus tem um plano perfeito para cada um de nós e não podemos controlá-lo com nossos pensamentos e palavras. Mas devemos pensar e falar de acordo com o desejo Dele para nós.
Se você não tem idéia alguma qual seja o plano de Deus para você neste momento, pelo menos comece a pensar: “Bem, não sei qual é o plano de Deus, mas sei que Ele me ama sem limites. Seja o que for que Ele fizer, será bom e serei abençoado(a)”.
Comece a pensar de forma otimista sobre sua vida, pois o Deus que controla esse universo é BOM. Pratique ser positivo em qualquer situação que surgir. Mesmo que qualquer coisa que esteja acontecendo agora em sua vida não seja boa, espere que Deus trará o bem proveniente dela, como ela prometeu em Sua Palavra.
” É nos assegurado que tendo Deus como parceiro todas as coisas cooperam para o bem daqueles que O amam.” Rm 8:28
(Joyce Meyer, em “CAMPO DE BATALHA DA MENTE”)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

DEPENDÊNCIA SANTA

Hoje eu sei que a vontade de Deus não é algo misterioso que apenas algumas pessoas escolhidas têm a capacidade de entender. Ela está acessível a cada um de nós, mas nós precisamos dar os passos necessários para encontrá-la.
Os passos são simples, e é por esse mesmo motivo que muitas vezes não achamos necessários segui-los. Contudo, nós temos de segui-los, pois jamais seremos felizes até que entendamos e vivamos a vontade de Deus para nossa vida.
Até que vivamos a vontade de Deus, nosso destino será uma vida vazia e incompleta. Saber que Deus tem um plano para você enche sua vida com propósito, de uma forma que nada mais é capaz. Tudo fica mais simples, pois não é você que precisa estar com todas as coisas sob controle e ter de fazê-las dar certo. A única coisa que precisa fazer é olhar para o Senhor, confiante de que ele está com tudo sob controle e fará dar certo.
A partir dali, eu orava continuamente: “Deus, diga-me o que fazer. Mostre-me que passos dar. Guie-me ao lugar aonde preciso ir”. E Deus respondeu a essas orações. Ele falou a meu coração, dizendo: “Apenas busque a minha presença. Eu farei as coisas acontecerem do jeito certo”.
Aprendi durante a vida a ser dependente de Deus e sei que isso torna a vida muito mais simples do que eu jamais havia sonhado antes de aprender a confiarem Deus. Nãoimporta qual seja minha situação no momento, basta que eu dê os passos seguindo o que o Senhor me mostra. À medida que eu faço isso, construo uma vida, dia a dia, mais coerente.
Convido você a fazer o mesmo, ser dependente não é fácil, somos ensinados a ser independentes, autônomos. Contudo, ser dependente do Deus absolutamente poderoso, benigno e bondoso é o cerne da vida.
(Stormie Omartian, em “O PODER DE ORAR A VONTADE DE DEUS”)

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

 MAIOR É DEUS!

É provável que você esteja enfrentando provas de fogo, concluindo que não há saída, mas preciso encoraja-lo: com a Palavra de Deus você pode alcançar sucesso. Muitas pessoas desistem um pouco antes do ponto onde teriam recebido o que ansiavam. Desistiram porque tamanhas circunstâncias desfavoráveis as abateram. Deram contra obstáculos e travaram exaustivas batalhas. Depois de algum tempo começaram a adotar a postura dos derrotados.
Contudo a pessoa que sabe do poder de Jesus e sabe viver pela fé, não desiste! Quando você anda pela fé, você é alvejado por dardos flamejantes, é atingido por aquele tiro final . Se você estiver em sintonia com Deus e depositar toda sua confiança Nele, você simplesmente permanecerá afirmando, mais resoluto do que nunca: “Não vou desistir, creio no meu Deus!”.
Mesmo que todos, e tudo, te apontem o caminho da deserção, você confessará com ousadia: “Recuso-me a desistir da minha fé no Deus Todo-Poderoso, e naquilo que Ele me tem prometido!” A Palavra de Deus diz que maior é Aquele que está dentro de mim, do que aquele que está no mundo. Quando você tem tal convicção, você se recusa a perder a esperança.
Se estiver precisando de inspiração, de uma dose de ânimo e de bons exemplos de pessoas movidas pela fé, leia (ou releia) Hebreus 11. Olhe para os heróis da fé ali alistados, a respeito deles foi dito que não cederam diante do inimigo, e, por isso, obtiveram bom testemunho por sua fé em Deus. Se você mantiver firme sua fé em Cristo, também obterá bom testemunho.
Quando você conhece Deus e anda com Ele, não há problema que não possa ser solucionado, não há medo que não possa ser vencido, não há situação que não possa ser mudada, não há pessoa que não possa ser transformada. Por mais difícil que algo lhe pareça, Deus é maior…bem maior!
(Kenneth Hagin Jr, em “SUA FÉ LEVARÁ VOCÊ À VITÓRIA”)

terça-feira, 11 de outubro de 2011

ESTAMOS SENDO PREPARADOS
Todos conhecemos o sentimento de espera e a frustração que vem quando o que desejamos parece bem longe do alcance. Assim, pegamo-nos pedindo ao Senhor para se apressar em nos atender, então nos lembramos que é Ele quem está no comando, e sabe exatamente o que está fazendo. Ele não se atrasará para atender à nossa causa, mas chegará na hora certa com a benção esperada, proporcionando-nos maturidade e glória ao Seu nome.
Muitos cristãos estão sempre esperando por mudanças bruscas em suas vidas, ficam deprimidos quando nada de novo acontece logo após suas orações. Acredito que boa parte das transformações que experimentamos é resultado de uma fé constante, persistente e perseverante, que encara os desafios e as provações da forma como se apresentam. Neste processo, a fé e a maturidade crescem gradualmente até o momento em que recebemos aquilo que pedimos passionalmente há tempos.
Se parece que Deus está demorando muito para intervir na sua causa, não se angustie, não se preocupe, não se apresse. Continue acreditando na sabedoria do Pai. O Senhor está preparando você primeiro, amadurecendo-o espiritualmente, para receber a benção. Quando alcançamos a devida fé e maturidade aguardada por Deus, Ele nos concede o que tanto almejamos ou necessitamos.
(Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ”)

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O QUE ESTAMOS BUSCANDO ?
“Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação” (Tiago1:17).
F. B. Meyer uma vez disse: “Eu costumava pensar que as dádivas deDeus estavam colocadas em prateleiras, uma acima da outra, e que, à medida que íamos crescendo no caráter cristão, mais facilmente as alcançaríamos. Eu agora creio que as dádivas de Deus estão em prateleiras, uma embaixo da outra. Não é uma questão de crescer para cima, mas de inclinar para baixo. Nós temos que descer, sempre para baixo, para alcançar as melhores dádivas.”
O mundo nos induz a buscar sempre o lugar mais alto em todas as situações. Temos de ter a melhor casa, o carro mais caro, o emprego que dê o maior salário, o lugar mais elevado na escala social. Só assim seremos admirados, só assim seremos reconhecidos, só assim seremos felizes. Pelo menos, é o que achamos.
Na vida espiritual, com o nosso Senhor Jesus Cristo, a caminhada para o sucesso é diferente. “Os últimos serão os primeiros”, “quem quiser ser o maior, deve se humilhar e servir”, “cada um considere o outro superior a si mesmo”…
Se seguirmos a escalada do mundo, poderemos atingir o ponto mais alto em nossos propósitos, porém, não há garantia alguma de felicidade. Se seguirmos o trajeto ensinado por Deus, é possível que nenhum holofote seja aceso sobre nós, porém, teremos como companheira constante, a tão sonhada felicidade.
De que nos serviriam as grandes dádivas do mundo? Para um momento passageiro de orgulho e vaidade? As coisas da terra ficarão na terra e de nada servirão na eternidade. As dádivas celestiais, por menores que possam parecer, não apenas encherão de regozijo os nossos corações como nos acompanharão para todo o sempre. Essas são as dádivas que eu quero ter e, tenho plena convicção, por menores que pareçam ser, são maiores do que todas as que o mundo oferece.
E você, que dádivas está buscando?
(Portal Iluminalma)

domingo, 9 de outubro de 2011

O QUE VOCÊ TEM? ENTREGUE!
“Quantos pães vocês têm?, perguntou Jesus. Sete, responderam eles. Ele ordenou à multidão que se assentasse no chão. Depois de tomar os sete pães e dar graças, partiu-os e os entregou aos seus discípulos, para que os servissem à multidão; e eles o fizeram. Tinham também alguns peixes pequenos; ele deu graças igualmente por eles e disse aos discípulos que os distribuíssem. O povo comeu até se fartar. E ajuntaram sete cestos cheios de pedaços que sobraram. Cerca de quatro mil homens estavam presentes. E, tendo-os despedido, entrou no barco com seus discípulos e foi para a região de Dalmanuta.” Mc 8:5-10
Como Deus, Jesus já sabia quantos pães havia. Então, por que Ele perguntou? Será que foi para que os discípulos lembrassem, décadas depois, quão pouco eles tinham, mas que com Jesus, um pouco vira o bastante? Quantos discípulos havia? Doze. Quantos pães tinham? Sete. Nem eles mesmos tinham o suficiente. Mas, eles possuíram a maior fonte de riqueza que existe – fé em Jesus. Se tivermos ao menos isso, tudo que temos nas mãos Dele vira tesouro.
Já notou como Jesus deixou tudo nas mãos dos discípulos? Ele poderia ter contado como ele criou o trigo, como através de nutrientes, água no solo, fotossíntese Ele dera vitalidade às plantas. Ele podia ter falado como tudo aquilo era Dele mesmo. Mas, Ele permitiu os discípulos “possuírem” os pães para que pudessem decidir confiar Nele.
Quando Jesus coloca algo em nossas mãos – Ele realmente deixa conosco. Podemos decidir o que fazer. Mas, se virarmos para Jesus e o deixarmos pegar naquilo que de fato sempre foi e sempre será Dele, não há como prever o que pode acontecer. Mas, uma coisa podemos ter certeza – tudo que Jesus toca começa a ter um destino eterno. Confie em Jesus e confie “seus pães” a Ele.
Por que será que demoramos tanto para confiar no Senhor? Será que não entendemos ainda que tudo que temos e tudo que seremos vem do alto? Será que não compreendemos ainda que O Senhor não deixará faltar nada de que realmente precisamos? Perdoe, Senhor, nossa falta de compreensão e nossa incredulidade. Agradecemos, Senhor, por ser tão paciente para conosco. Em nome de Jesus perguntamos e agradecemos.
Amém.
(Portal Hermenêutica)

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

O GRANDE ESCRITOR
Pense nestas palavras: Você foi tecido. Você não é um acidente. Você não foi produzido em massa. Você não é um produto de uma linha de montagem. Você foi deliberadamente planejado, especialmente dotado, posto com amor neste mundo pelo Artesão Mestre. Em uma sociedade que não suporta perda de tempo, esta é uma boa notícia. Em uma cultura em que a porta da oportunidade se abre apenas uma vez e depois se fecha com violência, isto é uma revelação.
Em um sistema que gradua o valor de uma pessoa pelo salário ou pela forma de suas pernas… deixe-me dizer uma coisa para você: essa é uma razão para alegrar-se!
Deus vê sua vida da mesma forma que você vê um filme depois de já ter lido o livro. Quando algo ruim acontece no filme, parece que falta ar dentro do cinema. Todos ficam sem ar diante do momento tenso na tela. Você não. Por quê? Você leu o livro. Você sabe como o mocinho se livra do momento difícil. Deus vê sua vida com a mesma confiança. Ele não apenas leu sua história… Ele a escreveu. A perspectiva Dele é diferente, e a proposta Dele é clara.
“Porque sou eu que conheço os planos
que tenho para vocês, diz o SENHOR,
planos de fazê-los prosperar e não de
lhes causar dano, planos para vos dar
o fim que esperais. “
Jeremias 29:11
(Max Lucado, em “NAS GARRAS DA GRAÇA”)

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

 ESTÁ DEMORANDO?

As provações que são ultrapassadas purificam nossa fé. Elas levam embora os sedimentos – as idéias, as crenças e os pensamentos falsos, confusos e mesquinhos que ficam presos à nossa fé durante o curso da vida.
Os testes clareiam de tal forma nossa visão que conseguimos enxergar o que é verdadeiramente importante na vida, eles nos ajudam a reorganizar as prioridades. Fazem-nos saber que as coisas são apenas coisas e que, de qualquer forma, nunca duram muito tempo mesmo. Apenas Deus e Seu Reino são eternos e é lá que deve estar o nosso foco.
As provações são comuns, sempre existiram, sempre existirão, pequenas ou grandes; toleráveis ou extremamente difíceis. Assim, o melhor que temos a fazer é deixar com que trabalhem a nosso favor para que construam nosso caráter e maturidade. Precisamos combater o bom combate da fé e ir até o final, superar cada circunstância para a glória do Pai. Nossa recompensa nos aguarda, porém precisamos resistir com fé aos testes.
Lembre-se de que a vitória virá, mas, provavelmente, não imediatamente. Uma resposta demorada continua sendo uma resposta. Uma vitória que chega uma pouco depois ainda é uma vitória.
Você já sentiu que Deus estava demorando muito? Eu já. Mas aprendi ao longo dos anos a confiar que, quando o Senhor atrasa Sua resposta, ou é porque está esperando o tempo certo, ou porque tem algo melhor do que pedimos; às vezes, as duas coisas.
(Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ")

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

 DEUS GOSTA DE VOCÊ











Vários anos atrás, um amigo meu, Ed, foi visitar parentes na Irlanda. Seu único tio vivo ia comemorar oitenta anos. No grande dia, Ed e seu tio se levantaram cedo. Era antes do alvorecer. Saíram para caminhar nas margens de um lindo lago e então pararam para observar o nascer do sol. Ficaram lado a lado por vinte minutos e depois continuaram a caminhada. Ed fitou o tio, vendo que o rosto deste se abria num grande sorriso. O sobrinho então lhe disse:
— Tio, você parece tão feliz.
— Estou mesmo, rapaz.
— Quer me contar por quê? — perguntou Ed.
Ao que o tio responde:
— O Pai de Jesus gosta muito de mim.
Como você responderia se lhe fizessem a seguinte pergunta: “Você sinceramente crê que Deus gosta de você, e não apenas o ama porque teologicamente tem de amá-lo?” Deus necessariamente ama, porque é de sua natureza; sem a geração interior e eterna de amor, ele cessaria de ser Deus. Mas, se você puder responder “O Pai gosta muito de mim”, você receberá uma tranqüilidade, uma serenidade e uma atitude de compaixão para consigo mesmo que reflete a própria ternura de Deus.
Em Isaías 49:15, Deus diz: “Haverá mãe que possa esquecer seu bebê que ainda
mama e não ter compaixão do filho que gerou? Embora ela possa esquecê-lo, eu não me esquecerei de você!”. No mesmo raciocínio, o Senhor declara a seu servo Josué algo que Ele afirma também a cada um de nós que O buscamos com sinceridade:
”Ninguém conseguirá resistir a você todos os dias da sua vida.
Assim como estive com Moisés, estarei com você; nunca o deixarei, nunca o abandonarei.” Josué 1:5
(Brennan Manning, em “MEDITAÇÕES PARA MALTRAPILHOS”)

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

CHEIO DE COMPAIXÃO

As inúmeras curas físicas realizadas por Jesus com o propósito de mitigar o sofrimento humano servem apenas de pequena mostra de como o coração do Filho de Deus se angustia pela humanidade ferida. Sua compaixão é visceral, brota do íntimo e opera num grau que nós humanos simplesmente não somos capazes de reproduzir. Jesus era capaz de sentir e compreender as profundezas da tristeza humana. Fez-se perdido com os perdidos, faminto com os famintos e sedento com os sedentos. Na cruz, peregrinou aos longínquos extremos da solidão, de modo que pudesse fi car solitário com os solitários e despojar a solidão de seu poder letal ao participar dela ele mesmo.
Foi o que fez então e continua a fazer mesmo hoje. Jesus vibra diante da esperança e do temor, das celebrações e dos abatimentos de cada um de nós. Ele é a encarnação da compaixão do Pai. Foi Meister Eckhart, místico do século XV, quem escreveu: “Você pode chamar a Deus de amor, você pode chamar a Deus de bondade, mas o melhor nome para Deus é compaixão”. Quando falamos de Jesus Cristo como Emanuel, Deus conosco, afi rmamos que o maior amante da história sabe o que é que nos fere. Jesus revela um Deus incapaz de se mostrar indiferente diante da agonia humana, um Deus que abraça plenamente a condição humana e mergulha com profundidade em nossa luta humana, e nos ajuda, porque Ele BOM, cheio de misericórdia, poder e amor.
“Jesus chamou os seus discípulos e disse:
Tenho compaixão desta multidão; já faz três dias
que eles estão comigo e nada têm para comer.
Não quero mandá-los embora com fome,
porque podem desfalecer no caminho”.
Mateus 15:32
(Brennen Mannihg, em “MEDITAÇÕES PARA MALTRAPILHOS”)

sábado, 1 de outubro de 2011

HUMILDADE E FÉ

“Vendo as multidões, Jesus subiu ao monte e se assentou. Seus discípulos aproximaram-se Dele, e Ele começou a ensiná-los, dizendo: Bem-aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus.” – Mateus 5:1-3
As primeiras palavras do grande “sermão” de Jesus são de bênção. Não são exigências ou cobranças, nem mandamentos a serem obedecidos. São promessas de um Deus que nos ama e que olha para o meio do nosso vazio e sofrimento e anuncia “Há algo reservado para você, e é bênção sem medida”.
Os abençoados por Deus, aqueles que encontraram Jesus e descobriram Nele tudo que precisam, não conquistam o mundo. Eles não ganham nada pela sua força ou pela sua espiritualidade, nem pelo seu entendimento de profundidades teológicas. Eles recebem, eles herdam o Reino de Deus. E Deus lhes dá porque eles sabem chegar a Ele de mãos abertas, porque sabem que não têm nada para oferecer nem troca a fazer.
O filho pródigo (Lucas 15:17-19) e o publicano que foi orar (Lucas 18:10-13) foram dois “pobres em espírito” que souberam pedir. Eles descobriram que pelas suas forças não conseguiam conquistar mais nada. Certamente, agradeceram a Deus por esta descoberta dolorosa.
Talvez o mais famoso “pobre em espírito” da história fez um pedido extraordinário a Deus e foi atendido na hora (Lucas 23:39-42). Sem nada nas mãos, porque não podia segurar mais nada, o ladrão na cruz recebeu de Deus simplesmente tudo. Tudo. Será que estamos prontos para abrir nossas mãos e pedir a Deus também? Se aprendermos essa lição então realmente somos bem-aventurados.
“Pai, eu sei que preciso voltar a ser como uma criança. Eu tenho que lembrar o quanto dependo do Senhor. Eu esqueço tão facilmente! Obrigado por me lembrar e obrigado por todas as vezes que o Senhor abriu as minhas mãos e tirou o que eu estava segurando, ainda que tenha sido necessário o Senhor forçá-las. O Senhor o fez para meubem. E, obrigado por Jesus, a maior de todas as bênçãos dos bem-aventurados. Em nome de Jesus oramos. Amém.”
(Portal Iluminalma)