segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

MAIS DO QUE IMAGINAMOS
“Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que
pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, a
ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as
gerações, para todo o sempre! Amém!” Efésios 3:20-21
Temos muito mais poder do que pensamos. Esse incrível poder está
trabalhando dentro de nós (veja Efésios 1:18-19). Esta promessa de
poder, porém, liga-se às duas oportunidades que Deus nos dá
diariamente. Primeiro, pedir ativamente que Deus
faça grandes coisas em nós. Segundo, em viver
para trazer glória a Deus. Então, vamos pedir, imaginar/sonhar e dar a
toda glória devida a Deus; depois, vamos louvá-lo por fazer coisas muito
maiores do que pedimos ou até imaginamos!
Que o Pai nos perdoe por nossos sonhos pequenos, nossas
orações egoístas e nossos alvos de curto prazo. Que Ele desperte no nosso
coração a sua vontade e abra nossos olhos para os Seus planos pelo
poder do seu Espírito Santo agindo em nós. Que tudo isso se faça para Sua glória e louvor. No nome de Jesus. Amém.
(Portal Iluminalma)

domingo, 30 de janeiro de 2011

ÚNICO E SEGURO CAMINHO
A fé nasce da experiência pessoal com Jesus como Senhor. Esperança é o ato de acreditar na promessa de Jesus acompanhada da expectativa de cumprimento. Confiança é o feliz casamento da fé com a esperança.
No evangelho de Lucas, o centurião confessa sua fé em Jesus com as seguintes palavras: “Senhor [...] não sou digno que entres na minha casa”; e confessa sua esperança: “…porém manda com uma palavra e o meu rapaz será curado” (7:7). Então, Jesus “…voltando-se para o povo, disse: “Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta” (7:9).
Fé + Esperança = Confiança.
No evangelho de João, um oficial do rei, cujo filho estava doente, vai até Jesus e pede: “Senhor, desce, antes que meu filho morra”. E Jesus diz: “Vai [...] teu filho vive” (Jo 4:49-50). O homem põe sua confiança nas palavras proferidas por Jesus e segue para casa. Novamente vemos a fé na pessoa de Jesus e a esperança em Sua promessa.
Em Marcos, um pai leva a Jesus seu filho possuído por um espírito imundo e pede: “…se tu podes alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos”. Jesus responde; “Se podes! Tudo é possível ao que crê”. Então o pai do menino exclama de imediato: “Eu creio! Ajuda-me na minha falta de fé!” (Mc 9:22-24). O que está faltando neste caso? Esperança. O homem crê em Jesus, mas falta-lhe convicção de que sua expectativa de cura se confirmará.
Fé e esperança atuam juntas na formação do discípulo que confia.
Em seu discurso de despedida, Jesus diz: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo a quem enviastes” (Jo 17:3).
Este é um ponto de importância crucial para nossa compreensão do que significa confiar em Jesus – o conhecimento de quem é Jesus. Este conhecimento é fruto de um encontro de fé com Jesus, o Cristo. Sem a experiência é impossível receber a revelação de Deus no Cristo. Somente Jesus revela quem é Deus. Ele é a nossa fonte de informação acerca da transcendência e da divindade. Não podemos deduzir coisa alguma a respeito de Jesus com base no que pensamos saber sobre Deus; precisamos, porém, deduzir todas as coisas a respeito de Deus com base no que sabemos sobre Jesus.
Não há fé isenta de dúvida, nem esperança imune de ansiedade, nem confiança livre de preocupações. Dúvida, ansiedade e preocupação lançam sobre nós sua sombra em variados graus. Conquanto internamente venhamos a dar consentimento a essas diversas facetas do medo, elas não são motivo para alarme, pois não são atos voluntários. Quando ameaçam nos consumir, podemos vencê-los com um ato de confiança simples e espontânea: “Jesus por tua graça aquieto-me por um momento e ouço-te dizer – ‘Sou Eu! Não tenhas medo!’ “.
Jamais subestime o poder da verdade que se libera em nossa experiência com Jesus e se amplia em nossa fidelidade na busca de Sua face.
Depois da experiência inicial, a perseverança na busca vitalícia de uma intimidade cada vez maior com Jesus, por mais que venhamos a tropeçar e cair, transforma-se não apenas num antídoto para a desesperança e o desespero, mas na trilha segura que leva à certeza divina que supera as dúvidas, a ansiedade e as preocupações.
O único caminho para conhecer e conviver com Deus (bebendo da Sua paz, do Seu poder e da Sua sabedoria) é conviver íntima e profundamente com Jesus Cristo, e nada mais.
(Brennan Manning, em “CONFIANÇA CEGA”)

sábado, 29 de janeiro de 2011

UMA QUESTÃO DE TEMPO
A frase “tempo é precioso” não poderia ser mais verdadeira do que na nossa caminhada com Deus. Entretanto, seria mais exato dizer: “O tempo Dele é precioso”.
Quando chegamos ao nível em que confiamos que o tempo de Deus é perfeito, podemos nos sentir contentes, não importa onde estamos, pois sabemos que Deus jamais nos abandonará. Manter uma paixão pelo tempo presente significa abraçar a luz que temos onde estamos nesse momento e confiar que ela é suficiente.
Escrevi parte deste livro nas primeiras horas antes do amanhecer, em vários quartos de hotel que compartilhei com meu marido ou com minha filha. Assim, para não incomodá-los, eu usava uma pequena lanterna que eles me presentearam. A luz fina da lanterna me permite enxergar apenas a linha que estou escrevendo ou lendo. No passado, eu teria ficado impaciente com esse arranjo, pois acharia que não tinha luz suficiente para trabalhar com liberdade e rapidez. Agora, porém, desde que aprendi a estar contente onde estou e com a luz que possuo, tenho paciência e estou agradecida pela luz da lanterna. “Ora, quem despreza o dia das coisas pequenas?” Zc 4:10. A luz que tenho é suficiente para que eu faça o que fui chamada para fazer neste momento.
Sermos gratos pelo que temos não significa que jamais teremos mais. Deus não diz: “Se você está tão contente onde está, então vou deixá-lo aí”. Ele sempre nos mantém crescendo e nos movimentando ao longo do caminho. Se nesse momento você não está num lugar onde gostaria de estar, não fique frustrado ou intimidado. Não permita que o lugar onde você está se torne uma profecia do lugar onde você vai estar.
A boa notícia é que se você está num lugar desconfortável, Deus garante que você não ficará ali para sempre. É só uma questão de tempo. Por outro lado, se você está num lugar bom, prepare-se para mudanças, logo irá adiante também, empurrado para além da sua área de conforto.
Pessoas que caminham na direção do Senhor têm um senso de propósito, que claramente marca os limites de suas vidas e tornam as decisões mais fáceis. São mais confiantes, mais compassivos, mais conscientes e mais sintonizados com o que acontece no presente.
Devemos apreciar cada estágio da vida do ponto onde estamos, sem tentar, enlouquecida e ansiosamente, sair dali sem a orientação e direção de Deus. Devemos viver plenamente o que Deus está nos dando para viver agora. Isso só pode acontecer quando somos dirigidos pelo Espírito de Deus a cada dia.
Devemos, como filhos de Deus, viver cada situação com gratidão, fé e confiança no Seu perfeito plano para cada um de nós, pois. “Tudo fez perfeito em seu tempo” Ec 3:11
(Stormie O martian, em “O PODER DA FÉ EM TEMPOS DIFÍCEIS”)

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

 ESPÍRITO SANTO – O VERDADEIRO GUIA
Embora seja corretíssimo lembrar das coisas boas que Deus fez em nossas vidas, jamais devemos nos ater ao conhecimento que adquirimos no passado e acharmos que sabemos tudo. Precisamos de novas revelações a cada dia. Caminhar com Deus é um processo dinâmico. Ao longo do caminho chegamos aos planaltos onde o Senhor nos concede descanso, mas logo nos ordena que levantemos e nos conduz adiante no caminho. Ele jamais permite que descansemos nos sucessos do passado. Se fizermos isso ficaremos estagnados, orgulhosos ou descuidados e não estaremso aprendendo Dele, nem confiando Nele.
O modo de avançarmos numa vida saudável psicológica e espiritualmente é andar no Espírito. Fazemos isso quando o guia de nossa vida é a Palavra de Deus e não revistas, gurus de televisão, filosofias profanos e pessoas ímpias. Andamos no Espírito quando, todos os dias, pedimos a Deus direção, orientação e revelação. Andamos no Espírito quando submetemos todos os aspectos da nossa vida – relacionamentos, trabalho, decisões, pensamentos e ações – à oração, em vez de deixar tudo por conta do acaso. Andamos nos Espírito quando determinamos a cada manhã adorar a Deus e concentrar nossa mente nas coisas para as quais Ele nos chamou.
Uma das definições de luz é revelação. Daí procede o dito”trazer luz à situação”. Quando voc~e sentir que é necessário Deus fazer brilhar uma luz na sua situação, peça que Ele lhe dê revelações. Ele revelará tudo o que você precisa saber para lidar com as dificuldades que está enfrentando nesse exato momento, e lhe dará um novo entendimento. Não sente na escuridão, pois Deus tem um caminho para você andar agora, um caminho iluminado com a luz da revelação divina.
“Eis que faço uma coisa nova, agora sairá à luz; porventura não a percebeis? Eis que porei um caminho no deserto, e rios no ermo.” Is 43:19
(Stormie Omartian, em “O PODER DA FÉ EM TEMPOS DIFÍCEIS”)

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O ESPÍRITO DENTRO DE NÓS
A água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna… E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; o Espírito de verdade.
(João 4:14; 14:16-17).
O ESPÍRITO DENTRO DE NÓS
Devemos notar a condição permanente da habitação do Espírito Santo. É permanente porque é baseada em uma redenção consumada e em Cristo ocupando Seu lugar nos céus. Agora somos parte de uma “nova criação” (2 Coríntios 5:17), temos a vida eterna, e não há nenhuma exigência que tenhamos de cumprir para que Ele permaneça em nós.
Você já pensou na imensa desonra feita ao Espírito de Deus e a Cristo quando negamos a perpetuidade dessa habitação? Se o Espírito pudesse nos abandonar após ter habitado dentro de nós, isso equivaleria a negar o caráter perfeito e duradouro da obra de Cristo. Portanto, Sua obra teria sido inútil e, se o Espírito Santo deixasse o crente, o próprio Cristo teria de deixar o Seu trono na glória também.
O Senhor usa a água como símbolo do Espírito que ministra vida e refrigério. Não importa para onde o homem se dirija em busca de refrigério, seja nos prazeres, na reputação, no poder, na riqueza, ou em qualquer outra coisa, ele será frustrado nessa procura. Mas podemos perder o frescor que marca os primeiros estágios da vida divina em nós, como os que em Éfeso abandonaram o “primeiro amor” (Apocalipse 2:4). Nenhuma mudança exterior e visível aconteceu, pois continuavam extremamente zelosos, a verdade era pregada de maneira clara, as doutrinas eram ensinadas com perfeição, e tinham um agudo senso do que era certo e errado. Mas onde estava a exuberância do primeiro amor?
Estou convencido de que não temos a menor idéia do que significa para o Espírito Santo habitar dentro de nós. Se soubéssemos, como seríamos pessoas humildes, como iríamos aborrecer o pecado, seríamos rápidos em nos esquivar até das formas mais sutis do mal, e, acima de tudo, que grande reverência a Deus nos caracterizaria!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

EXERCITANDO A PACIÊNCIA
“No mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo.” Jo 16:33
Se colocarmos na nossa cabeça a idéia de que tudo o que diz respeito a nós, nossas circunstâncias e a nossos relacionamentos deveria ser sempre perfeito – nenhuma dificuldade, nenhum obstáculo, nenhuma pessoa desagradável com quem lidar – então estamos caminhando para uma queda.
Não estou sugerindo que sejamos negativos e pessimistas, sou uma cristã firme em atitudes e pensamentos positivos. Mas estou sugerindo que sejamos realistas o suficiente para percebermos antecipadamente que pouca coisa na vida real é perfeita.
Não me planejo para o fracasso, mas lembro-me de que Jesus disse que nesse mundo teríamos de lidar com tribulações, provações, aflições e frustrações. Essas coisas são parte da vida nesta terra – para o cristão, como também para o não cristão. Mas todos os infortúnios do mundo não podem nos ferir se permanecermos no amor de Deus, manifestando o fruto do Espírito.
“Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade e paciência.”Cl 3:12
Volto-me para essa passagem freqüentemente para me lembrar do tipo de comportamento que deveria estar demonstrando em todas as situações. Recordo a mim mesma que paciência não é a minha habilidade de esperar, mas minha habilidade de manter uma boa atitude enquanto espero.
O capítulo 1 do livro de Tiago nos ensina que deveríamos nos regozijar quando nos encontramos envolvidos em situações difíceis, sabendo que o método de Deus para revelar em nós a paciência é, segundo a Palavra – “várias provações”.
Tenho descoberto em minha própria vida que “várias provações”, finalmente, revelaram a paciência em mim, mas primeiro me trouxeram uma porção de outras coisas que não eram características divinas: como orgulho, ira, rebeldia, autopiedade, lamentação e muitas outras. Parece que essas coisas devem ser enfrentadas e trabalhadas antes que a paciência surja.
Se você se lembra, uma atitude de impaciência foi uma das razões que mantiveram os israelitas vagueano no deserto por quarenta anos.
Como poderiam estar prontos para entrar na Terra Prometida e expulsar os ocupantes para que pudessem possuir a terra se eles não podiam nem mesmo permanecer pacientes e impeertubáveis durante uma pequena dificuldade?
Realmente encorajo-o a trabalhar com o Espírito Santo enquanto Ele desenvolve o fruto da paciência em você. Quanto mais lhe resistir, mais longo será o processo. Aprenda a responder pacientemente a todos os tipos de provações e você se descobrirá vivendo uma qualidade de vida que não é apenas suportada, mas desfrutada em sua plenitude.
(Joyce Meyer, em “CAMPO DE BATALHA DA MENTE”)

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

SEJA PERFEITO!
O problema real da vida cristã aparece onde as pessoas normalmente não o procuram. Ele aparece no instante em que você acorda cada manha. Todos os desejos e esperanças para o dia correm para você como animais selvagens. E a primeira tarefa de cada manhã consiste simplesmente em empurra-los todos para traz; em dar ouvidos a outra voz, tomando aquele outro ponto de vista, deixando aquela outra vida mais ampla, mais forte e mais calma entrar como uma brisa. E assim por diante, todos os dias. Mantendo distância de todoas as inquietações e de todos os aborrecimentos naturais, protegendo-se do vento.
No começo, somos capazes de faze-lo somente por alguns momentos. Mas então o novo tipo de vida estará se propagando por todo o nosso ser, porque entao estamos deixando Cristo trabalhar em nós no lugar certo. Trata-se da diferença entre a tinta, que está simplesmente deitada sobre a superfície, e uma mancha que penetra naquela superfície.
Quando Cristo disse “sede perfeitos”, quis dizer isso mesmo. Ele quis dizer que temos que entrar no tratamento completo. Pode ser duro para um ovo se transformar em um pássaro; seria uma visão deveras divertida, e muito mais difícil, tentar voar enquanto ainda se é um ovo. Hoje nós somos como ovos. Mas você não pode se contentar em ser um ovo comum, ainda que decente. Ou sua casca se rompe ou você apodrecerá.
(C.S Lewis, em “CRISTIANISMO PURO E SIMPLES”)

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O CARÁTER DE JESUS
“Caráter” é uma palavra de dignidade, ganha existência na disciplina e no trabalho. O caráter é o “nós” escondido, o que somos no escuro. Nossa vida exterior se veste de roupas e de protocolo, mas nossa vida interior deve ser alimentada pela fonte das águas do caráter. Pode-se comprar personalidade por um bom preço, mas caráter não se vende nem se compra.
Como obter caráter? Tanto o caráter quanto a santidade encontram-se onde é extrema a nossa necessidade de Jesus. Nossa necessidade é mais aparente quando a vida despeja provações em cima de nós! Ser submetido a provas extremas é prender a dependência espiritual. Quando nossa alma dilacerada é colocada nas estacas da empalação, conseguimos definir nossa necessidade. Sofrer a indignidade de circunstâncias avassaladoras é o que dá asas ao espírito.
Precisamos lembrar que Jesus nunca foi mais dono de seu caráter do que quando estava sendo amarrado, açoitado e crucificado. Nenhum romano que o obeservasse teria a impressão de que Jesus estava se saindo vitorioso. Quando alguém é forçado a morrer desnudado na frente da própria mãe, pode parecer um derrotado, sem ninguém na terra para atestar que é um bom caráter. Jesus, no entanto, estava vencendo gloriosamente. E, durante a prolongada dor de ser abandonado pelos homens, manteve-se em perfeita união com o Pai.
Em Filipenses 2, Paulo, Timóteo e Epafrodito clamaram juntos: “Prisão, bendizemo-la!”. Desolado pelos tetos baixos de pedra e pelas grades de ferro, Paulo entoa o seu cântico libertador da condição de servo. O caráter semelhante ao de Cristo não aparece sem que tenhamos perdido o controle. Enquanto estamos no controle, andamos com os passos largos da arrogância, da autosuficiência e sentimo-nos satisfeitos com nossas fraquezas, que estamos certos de serem fortalezas. Mas quando perdemos o controle, percebemos nossas fraquezas e deixamos que Deus as transforme em fortalezas. O lado da cruz em que os pregos estão é o lado da sabedoria na crucificação; o lado da morte, onde estão os pregos, é o lugar onde nasce o caráter.
Nasce? Não, é forjado!
A forja é a bigorna em que o calor e o martelo são aplicados sobre o metal recalcitrante. São os golpes ressonantes e contundentes sobre o ferro em brasa que lhe dão forma.
“Nisso exultais, ainda que agora, por um pouco tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provações. Assim acontece para que fique comprovado que a fé que vocês têm, muito mais valiosa do que o ouro que perece, mesmo que refinado pelo fogo, é genuína e resultará em louvor, glória e honra” 1Pe 1:6-7
(Calvin Miller, em “NAS PROFUNDEZAS DE DEUS”)

domingo, 23 de janeiro de 2011


Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.
O que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu Deus?
(1 Pedro 5:5; Miquéias 6:8).
GRANDE E HUMILDE AO MESMO TEMPO
Reconheçamos que em geral essa virtude chamada humildade não é bem apreciada e ainda menos praticada.
A humildade é uma das características maravilhosas que distinguiram o Senhor Jesus Cristo. Ele nunca buscou a popularidade; ao contrário, fugia dela (Marcos 1:37-38). Ele, o grande Deus, do céu e da terra, a quem tudo pertence, foi humilde entre os humildes. Nascido na pobreza, aprendeu o ofício de carpinteiro. Apesar de Sua divina sabedoria e de Seu perfeito conhecimento, esperou fazer 30 anos para começar Seu ministério público: anunciar o reino de Deus, ensinar e curar. “Quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente” (1 Pedro 2:23).
O Senhor Jesus é nosso modelo, mas como é difícil seguir Suas pegadas! Uma verdadeira humildade deveria diferenciar o cristão. Todos procuram seus próprios interesses, querem dominar os outros, se vangloriar e fazer valer seus direitos. Humildade demanda muita força moral e um real compromisso com o Senhor. “Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração” (Mateus 11:29).

sábado, 22 de janeiro de 2011

OLHE AS ESTRELAS
Um dos maiores desafios da oração é aguardar. A maioria de nós não gosta de esperar respostas à oração. Pedimos a intervenção do Senhor e queremos resultados imediatos. Por que Ele está demorando tanto? É como se estivéssemos tentando salvar nossa própria vida, mas a situação não muda absolutamente nada. Ás vezes, piora!
Sem compreender o segredo de esperar com fé, tornamo-nos espiritualmente fatigados ao orar. Começamos a duvidar se as promessas de Deus aplicam-se à nossa situação particular.
Deus entremeou as Sagradas Escituras com lembretes de Seu poder extraordinário porque sabe como é difícil entendermos que nenhum problema é grande demais para Ele. Precisamos desses lembretes de incentivo sempre que enfrentamos montanhas enormes e humanamente irremovíveis que desafiam nossa fé, especialmente aquela montanha chamada demora.
“Quem mediu na concha da sua mão as águas, e tomou a medida dos céus aos palmos, e recolheu numa medida o pó da terra e pesou os montes com peso e os outeiros em balanças? Eis que as nações são consideradas por ele como a gota de um balde, e como o pó miúdo das balanças; eis que ele levanta as ilhas como a uma coisa pequeníssima.
Nem todo o Líbano basta para o fogo, nem os seus animais bastam para holocaustos. Todas as nações são como nada perante ele; ele as considera menos do que nada e como uma coisa vã.” I s 40:12,15-17
Embora escrita em linguagem figurada, essa passagem descreve um Deus tão majestoso que considera insignificantes todos os oceanos e o Universo! Para Ele as cadeias de montanhas são como grãos de areia; as nações, apenas uma gota num balde. E o texto prossegue:
“Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e os desenrola como tenda, para neles habitar; O que reduz a nada os príncipes, e torna em coisa vã os juízes da terra. E mal se tem plantado, mal se tem semeado, e mal se tem arraigado na terra o seu tronco, já se secam, quando ele sopra sobre eles, e um tufão os leva como a palha.” V. 22-24
Isaias não está exagerando. Esse é o Deus grandioso a quem adoramos e servimos! O fato extraordinário é que Ele nos convida a invocar Seu nome no dia da angústia para exercer Seu incrível poder em nosso favor. Deus almeja intervir em nossas causas aparentemente “impossíveis”, problemas que, para Ele, se assemelham a brincadeiras de criança.
Apesar da demora, muitas vezes incompreensível, Deus deseja que saibamos que SEMPRE vale a pena aguardar Suas respostas! Nunca esqueça dessas palavras tranqüilizadoras do Pai: “Haverá mãe que possa esquecer do seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou? Embora ela possa esquecê-lo, Eu não me esquecerei de você!” Is 49:15
Deus também disse: “Nunca o deixarei, nunca o abandonarei” Hb 13:5
Olhe para o céu à noite, contemple as estrelas e inspire-se nelas para fazer o que Abraão fez quando recebeu a promessa do Senhor: acreditou no que Deus havia dito.
(Jim Cymbala, em “ORAÇÃO QUE VENCE BARREIRAS”)

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

O dom de Deus

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3:16).
O dom de DeusJoão 3:16, o versículo bíblico de hoje, tem sido denominado de “o evangelho em miniatura”. Toda a glória do amor de Deus é irradiada nesta pequena porção das Escrituras. Examinemos esse versículo mais de perto:
Qual a origem desse amor? O próprio Deus.
Qual a extensão desse amor? É tão grande que Deus deu o Seu próprio Filho.
A quem esse amor foi demonstrado? Ao mundo inteiro. Ninguém pode dizer que está excluído.
Como esse amor se manifestou visivelmente? Na Pessoa do Filho de Deus.
Quem pode desfrutar e se beneficiar dele? Todos os que crêem em Jesus Cristo.
O que significa “não pereça”? Que escaparão da condenação divina e da morte eterna.
E o que receberão? A vida eterna!
Como, então, é possível reclamar ou estar insatisfeito com as condições que Deus providenciou para nós?
Será que você está com medo do futuro, desencorajado, desanimado? Ou confiante no amor desse Deus fiel e onipotente?
A sua vida se tornou fria, você demonstra pouco interesse em seguir a Jesus Cristo, ou Seu amor ainda o toca e “constrange” (2 Coríntios 5:14)?
Ainda esconde de Deus certas áreas de sua vida, ou já rendeu a Ele tudo o que se relaciona com você?
Quem experimenta o grandíssimo poder do amor divino jamais consegue ser a mesma pessoa!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Propósitos de Deus Tudo que vem de Deus é perfeito, “grandes são as Suas obras, dignas de admiração de todos os que as amam. Sua obra é toda ela majestade e magnificência. E eterna a Sua justiça.” (Sal. 110: 2-3).
Quando queremos muito que aconteça um milagre, para cura e libertação de uma pessoa amada, pedimos ao Pai do Céu que tenha misericórdia daquela pessoa, e instantemente intercedemos em nossas orações para que a graça de Deus seja derramada.
Com o passar do nosso tempo, observamos que o tempo de Deus ainda não se completou, para que sua promessa fosse cumprida, então algumas vezes esmorecemos na nossa fé. O esmorecimento na nossa fé é uma armação do maligno, que lança esse dardo inflamado contra nós, objetivando nos afastar do recebimento da graça que por vezes está tão perto de se concretizar.
Temos que ser perseverantes na fé, para que o inimigo não se manifeste em oposição ao recebimento da nossa graça.
Quando estamos realmente determinados a conquistar a misericórdia, o compadecimento e as graças de Deus, nosso comportamento muda, nossas orações são mais intensas, nossa intercessão é rodeada de jejum e clamor, nossa inquietude sensibiliza e mobiliza as pessoas em nossa volta, logo todos entram em corrente de oração a fim de que nosso pedido seja atendido pelo Senhor Nosso Deus.
Percebamos quantas coisas boas para o Senhor estamos realizando: louvor, oração, jejum, dedicação, tempo para ouvir e divulgar a palavra... Talvez, aquela pessoa por quem pedimos cura e libertação, fosse utilizada pelo Senhor Nosso Deus, para que nós nos voltássemos com mais amor para Ele.
Porém, como “as obras de Suas mãos são verdade e justiça, imutáveis os Seus preceitos, irrevogáveis pelos séculos eternos, instituídos com justiça e equidade” (Sal. 110: 7-8), devemos acreditar que além de receber a graça da cura e libertação daquela pessoa, receberemos também de Deus a nossa própria cura e libertação, pois estamos trabalhando nos propósitos de Deus.
(www.boasmensagens.net)

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

“Confia no SENHOR e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado.

Deleita-te também no SENHOR, e Ele te concederá os desejos do teu coração.
Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nEle, e Ele o fará.
E Ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia.
Descansa no SENHOR, e espera nEle.”
Salmo 37:3-7

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O Caminho da Vitória
Há um tempo para cada coisa na vida, tudo tem seu tempo. (cf. Ecle. 3: 1-8).
Não podemos colocar a carroça na frente dos bois, por isso, devemos seguir nosso caminho conforme a seqüência natural das coisas. Só conseguimos passar em um exame ou em uma prova se antes nos prepararmos e estudarmos para isso. Existe o tempo de preparação, de estudo, depois virá o tempo de avaliação e cobrança, para tanto, temos que nos dedicar e aproveitar ao máximo o nosso tempo seja qual for à tarefa que estivermos executando.
Algumas barreiras têm que ser vencidas quando perseguimos um objetivo na vida. Determinação, organização, persistência e fazer as coisas em silêncio, são procedimentos básicos para combater o desvio do objetivo, a preguiça, o desânimo e a inveja.
Primeiro: temos que determinar o nosso objetivo, que deve ser um alvo por vez; segundo: devemos manter tudo organizado, isso ajuda no combate a preguiça; terceiro: persistir para não desanimar; e por último: trabalhar em silêncio, pois quem fala demais atrai pessoas invejosas.
Espelhar-nos em alguém de sucesso, que já chegou onde queremos chegar, nos fortalece e evita o desvio do nosso objetivo.
A persistência é indispensável na nossa trajetória, pois somos humanos fracos, passivos de erros, que caímos com freqüência. A persistência nos ajuda a levantar e começar de novo.
Cada passo positivo em direção do alvo deve ser comemorado, isso aumenta nossa confiança e combate o desânimo.
Organizar o tempo para execução das tarefas, nos permite ter uma vida normal, sem perder o foco no nosso objetivo. Isso afunda a preguiça.
"Temos que aceitar a instrução desde jovens, com isso ganhar uma sabedoria que durará até a velhice. Vamos ao encontro dela, como aquele que lavra e semeia; espera pacientemente seus excelentes frutos; teremos alguma pena em cultivá-la, mas, em breve, comeremos os seus frutos." (Eclo. 6: 18-20).

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

MAIS VIVOS, MAIS HUMANOS, MAIS CRISTÃOS



















“E eu te porei contra este povo como forte muro de bronze; e pelejarão contra ti, mas não prevalecerão contra ti; porque eu sou contigo para te guardar, para te livrar deles, diz o SENHOR.” Jr 15:20-21
O profeta Jeremias levanta pesadas objeções contra nossas insensatas maneiras de buscar formas de atuação que se transformam em vidas moldadas e aprovadas pela multidão.
O nível moral da nossa sociedade é vergonhoso. A integridade espiritual de nossa cultura é deprimente. Qualquer área de nossa vida, quando influenciada pelos padrões das grandes massas, torna-se pior. Quanto maior a multidão, menos a vida. O naturalista romano, Plínio, o Velho, disse certa vez aos romanos que, se não fosse possível construir uma casa bonita, deveriam fazê-la grande. Essa prática continua muito popular em nossos dias: se não posso fazer bem, devo fazer grande. O resultado é que a vida diminui a cada adição.
Em contrapartida, toda vez que protegemos uma área de nossa vida da influência da multidão e respondemos ao chamado de Deus nos tornamos muito mais humanos, muito mais nós mesmos e praticamos as lições da fé, nos tornamos mais vivos.
Ninguém se torna um ser humano de qualidade como Jeremias, simplesmente adotando uma postura de vencedor. Foram suas orações, em segredo porém constantes, que o levaram a desenvolver a maturidade e a sensibilidade espiritual que tanto almejamos. O que fazemos em segredo determina o grau de sanidade que demonstramos em público. A oração é o ato confidencial que desenvolve uma vida que é, ao mesmo tempo, autêntica e profundamente humana.
A verdade do mundo, propagada pelas multidões, nos convida a confiar nos nossos potenciais; nos remete a fazer de âncoras, as mais variadas práticas esotéricas e místicas….o mundo nos convence de tantas tolices! A vida de homens como Jeremias, por outro lado, nos depara com um exemplo raro e magnífico de fé. Um homem que teve sua fé provada por situações dramaticamente difíceis, mas resistiu valente, se curvando diante do único Deus, o Todo-Poderoso, por horas incontáveis de fervorosas orações.
Ele se fortaleceu e cresceu diante de Deus. Ele venceu o mundo e glorificou o nome de Deus. Ele nos convida a fazer o mesmo.
(Eugene Peterson, em “ÂNIMO!”)

domingo, 16 de janeiro de 2011

Com fé, perseveramos, lutamos, alcançamos, e DEUS é glorificado.

sábado, 15 de janeiro de 2011

SÓ QUERO VER COMO DEUS VAI RESOLVER!
“Aí o SENHOR disse a Gideão: Com estes trezentos homens que lamberam a água, eu libertarei vocês e lhes darei a vitória sobre os midianitas. Diga aos outros que voltem para casa.” Juízes 7:7
Um querido irmão na fé, idoso e calejado na sua caminhada como homem de Deus, costumava dizer nas horas difíceis: “Eu não tenho saída. Só quero ver como Deus vai resolver esta situação!”. Gideão, ao descer a encosta com seus trezentos soldados, também não sabia como seria a batalha . Ele recebeu sinais muito claros de Deus para enfrentar, com o exército reduzido, o inimigo.
O plano estava bem montado e em execução, o coração de todos palpitava forte. Havia adrenalina abundante correndo em suas veias, contudo o silêncio era absoluto. E, quando todos estão posicionados, irrompe o grito – “À espada, pelo SENHOR e por Gideão!”. As trombetas de chifres de carneiro ressoaram e as tochas acesas são levantadas: o acampamento inimigo ficou cercado.
O resultado nós conhecemos, os israelitas venceram a batalha. Mas, o que foi mesmo que eles fizeram? Praticamente nada! Ficaram no seu lugar, sapateando e fazendo muito barulho. Do alto puderam “ver como Deus resolveu a situação”.
Eu não sei que situação você enfrenta. De mim mesmo sei que muitas situações nos afligem permanentemente nos fazendo mergulhar no pessimismo, no desânimo, na desesperança e na incredulidade. Diante de mim tenho, num mural, um pequeno cartaz feito por minha filha. Nele está escrito: “Jesus Cristo + eu = Maioria Absoluta”. Quem sabe deveria fazer um cartaz igual para o seu quarto, seu ambiente de trabalho ou sua cozinha! É sempre bom lembrar que nunca estamos sozinhos, Aquele que está conosco – Jesus, é vencedor nato, e Ele fará vencedor cada um daqueles que O chamarem para dentro de suas lutas.
Invoque Jesus para te ajudar, coloque teus anseios nas mãos Dele e permaneça, despreocupadamente, como aquele ancião sábio, aguardando para ver como Deus solucionará o teu problema ou realizará o teu milagre. Garanto que Ele é bem CRIATIVO, Ele vai te surpreender!
(Devocional Orando em Família)

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

PALAVRA EFICAZ
“Assim também ocorre com a palavra que sai da minha boca; ela não voltará para mim vazia, mas fará o que desejo e atingirá o propósito para o qual envei.” Is 55:11 (grifo do autor)
Observe que quando Deus afirma isso, Ele não estava querendo dizer que enviaria Sua Palavra das nuvens. Ele estava se referindo ao que já havia dito ao que lhes estava dizendo através do profeta Isaias. Essencialmente, Ele estava declarando: “As palavras desse homem são as minhas palavras. Ele é a minha voz. As palavras não retornarão para mim vazia, mas farão exatamente o que Eu as enviei para fazer através desse homem.” Isso é tremendo!
A Palavra de Deus é chamada de “semente” nas Escrituras. O método de Deus para reproduzir ou dar à luz é Sua Palavra pela qual somos: nascidos de novo (ver 1Pe 1:23), purificados (ver João 15:3), curados (ver Salmo 107:20). Quando Deus fala Sua Palavra, Ele está regando as sementes que vão gerar vida. A Palavra de Deus NUNCA é ineficaz; ele SEMPRE dá resultados. Quando declaramos a Palavra de Deus em uma situação, como o Espírito Santo nos dirige, estamos regando as sementes de Deus que dá a Ele as condições para gerar vida.
Jô 22:28 declara: “Se projetas alguma coisa, ela te sairá bem”. A palavra “projetar” significa literalmente “decidir ou ordenar” – determinar algo e então ordená-lo. O significado real de omer, a palavra traduzida como “coisa” é”uma palavra; uma ordem; uma promessa”.
Uma tradução mais exata poderia ser: “Você vai ordenar ou declarar uma palavra”. Então Ele diz que “sairá bem”. “Sair bem” é a palavra qum , que significa não apenas estabelecer, mas também “levantar ou erguer”. O que eu creio que Deus está dizendo é: “Você vai ordenar ou declarar uma palavra e ela vai brotar e estabelecer algo na terra”.
Estabeleça os planos de Deus sobre sua vida, sobre as pessoas que você ama, sobre as circunstâncias que te rodeiam, semeando sementes desses planos. Plante seu próprio “jardim pessoal de oração”, cuide bem dele e veá que a Palavra de Deus vai produzir uma imensa colheita.
Jô 6:25 diz: “Oh! Como são persuasivas as palavras retas!”. Persuasiva é a palavra marats, que também significa “imprimir”. Como o anel de sinete de um rei imprime um documento com seu selo, nossas palavras (inspiradas pelo Espírito Santo, em conformidade com a vontade de Dele) selam nossa salvação, as promessas de Deus, nossos destinos e muitas outras coisas.
(Dutch Sheets, em “ORAÇÃO INTERCESSÓRIA”)

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

NADA MENOS QUE O MÁXIMO
“E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim.” Mc 10:47
Com o reconhecimento que era Jesus quem se aproximava, quase posso ver Bartimeu colocar-se em pé de um só pulo. A Bíblia diz que se pôs a clamar – “Jesus, filho de Davi…” Imediatamente aqueles que ali estavam começaram a mandá-lo sentar e ficar quieto – “E muitos repreendiam para que se calasse…” Mc 10:48. Mas quero que você note que Bartimeu se recusou a parar de clamar. Não se deixou desanimar! Sabia o que queria da parte de Deus. Quanto mais a multidão queria abafar a sua fé, mais ele clamava por Jesus – “…mas ele gritava cada vez mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim!” (v. 48)
A fé de Bartimeu não aceitava uma recusa. A fé sempre exige uma resposta! Bartimeu queria receber a cura de Deus para que seus olhos fossem curados. A fé expressa diante de Deus os seus desejos, a fé não silencia, fala, clama, pede, e espera o melhor de Deus!
A fé de Bartimeu era forte e insistente, não se abalava com as dificuldades impostas. Pela fé ele gritou mais alto sabendo que Jesus o escutaria. Havia, sim, obstáculos entre Bartimeu e a resposta a sua oração. Um deles era a multidão que acompanhava Jesus naquele momento. Estou certo que haviam pessoas friamente religiosas naquele meio, e eram eles que estavam incomodados com a fé quente, firme e insistente do cego Bartimeu.
Enquanto andava por aquela estrada poeirenta de Jericó, Jesus ouviu, de repente, alguém chamar Seu nome, era um grito desesperado. Jesus de Nazaré – cujos passos eram dirigidos pelo Espírito Santo – parou ao escutar aquele clamor penetrante da fé. Havia uma certa qualidade naquele clamor – era uma fé tão forte, de tão grande convicção no poder de Deus, que insistia em ser ouvida. Era uma voz cheia de fé que não se deixava calar.
Bartimeu tinha cem por cento de certeza que Deus podia curá-lo, tinha convicção que o poder de Deus podia operar em favor dele, isso é fé. Você tem esse tipo de fé? Está na hora de começar a clamar a Deus com uma voz de fé que quer ser ouvida e atendida. Está na hora de fazer o clamor de fé genuína que nunca desistirá, nem perderá a esperança. Não perca o melhor que Deus tem para você, a Bíblia diz que Deus sempre escuta o clamor dos justos (Sl 34:15).
Á medida que você tem essa fé firme que Deus te dará o que Ele prometeu, você provavelmente terá MUITAS oportunidades para desistir, por causa dos problemas e obstáculos que procurarão bloquear o seu caminho. Bartimeu não desistiu, por isso recebeu sua resposta. Recebeu de Deus o que queria porque não comprometeu a sua fé Nele.
Cuidemos para que não boicotemos nossa fé e aceitemos menos do que o MELHOR DE DEUS PARA A NOSSA VIDA. Não sei o que você vai fazer, mas eu quero receber o MÁXIMO QUE DEUS TEM PARA OFERECER! Nunca entrarei em meio termo! Avançarei até a vitória porque a Palavra de Deus declara que a vitória, em todas as circunstâncias, pertence a mim. Se você crê em Deus e na Sua Palavra, se Jesus Cristo é o seu único Senhor, se você se mantém firme na vontade do Senhor, a vitória te pertence também; logo aceite, literalmente, o que Deus diz na Sua Palavra.
(Kenneth Hagin, em “NÃO DESISTA! SUA FÉ LEVARÁ VOCÊ À VITÓRIA”)

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

APRENDA A ESPERAR
Manipular é tomar questões nas suas próprias mãos e tentar fazer o que deseja através dos seus próprios esforços para controlar pessoas e situações. Às vezes tentamos controlar ou manipular a Deus justificando nossas ações manipuladoras.
Um bom exemplo bíblico pode ser encontrado em 1Samuel. Quando o profeta e sacerdote Samuel ungiu Saul para ser o primeiro rei de Israel, ele deixou bem claro a Saul sobre as limitações de seu cargo. Oferecer sacrifícios ao Senhor continuaria sendo privilégio e responsabilidade de Samuel, o sacerdote. Contudo, pouco mais de anos depois, Saul se viu diante de uma terrível batalha em Gilgal, seu exército estava em flagrante desvantagem frente ao exército inimigo. O rei mandou chamar Samuel para que ele oferecesse sacrifícios ao Senhor e consultasse a vontade de Deus sobre aquele assunto. Mas após sete dias o sacerdote ainda não havia chegado. Os soldados de Saul estavam impacientes, cada vez mais amedrontados; o rei, cada vez mais ansioso e aflito. Quanto mais Samuel se demorava a chegar, mais inquietos ficavam todos. Naquela altura Saul resolveu o problema com suas próprias mãos:
“Então disse Saul: Trazei-me aqui o holocausto e as ofertas pacíficas. E ofereceu holocausto. Mal acabara ele de oferecer o holocausto, eis que chega Samuel.” 1Sam 13:9-10
Aquele ato de desobediência diante de Deus custou a Saul a perda do seu trono, Saul não mais foi o escolhido de Deus como rei a partir daquele momento. O profeta Samuel disse a Saul:
“Procedeste loucamente em não guardar o mandamento do Senhor; pois teria agora o Senhor confirmado teu reino para sempre. Mas agora não subsistirá teu reino…” 1Sam 13:130-14
Até aquele momento de desobediência, imprudência, falta de sabedoria e pressa, ao oferecer um sacrifício fora da liderança e da provisão de Deus, Saul havia sido o maior, mais poderoso e mais admirável homem de todo Israel. Mas agora não mais era. Saul perdeu tudo o que lhe era importante por causa de seu ato desobediente. Não apenas perdeu o favor pessoal de Deus, como também perdeu toda a possibilidade de transferir seu trono a um de seus herdeiros. E como os eventos mostraram nos anos que se seguiram, Saul perdeu sua sanidade e sua paz de coração.
Saul não pôde esperar pela provisão de Deus para suprir sua necessidade no TEMPO DIVINO. Muitas pessoas atualmente estão com problemas exatamente pela mesma razão. Elas não esperam pelo tempo e pelo método de Deus. Elas estão tão consumidas pela sua necessidade que vão agir diante de Deus ou fora Dele. Elas manipulam circunstâncias, pessoas e eventos, buscando resolver seu problema de acordo com seu tempo e com seus esquemas astuciosos.
Tome qualquer pecado em qualquer lugar, em qualqur tempo. Tome grande parte dos problemas que enfrenta-se no decorrer da vida, e você vai achar uma grande quantidade de manipulação em ação – pessoas agindo a seu próprio tempo, de acordo com seus próprios planos, o que constitui um ato de desobediência diante de Deus.
O resultado final nunca é bom. O resultado imediato pode parecer bom, mas não por muito tempo. O resultado final estará sempre comprometido pela decepção, insatisfação, falta de realização e sucesso inexpressivo.
Ninguém pode tirar vantagem de Deus para ter suas necessidades supridas e sair disso intacto. Quão melhor é ESPERAR EM DEUS para suprir nossas necessidades segundo Seu modo e Seu tempo!
(Charles Stanley, em “DEUS TEM UMA RESPOSTA PARA NOSSAS NECESSIDADES NÃO ATENDIDAS”)

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

"Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.
Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas."(I Tim 6:11-12)

domingo, 9 de janeiro de 2011

O GRANDE DESAFIO
Eu gostaria de garantir-lhes um fim para a dor e a aflição. Mas não posso. Posso, porém, apresentar-lhes a promessa que o apóstolo Paulo faz em Romanos 8, de que todas as coisas podem ser redimidas, podem contribuir para o bem. Mais adiante, nesse mesmo capítulo, Paulo especifica algumas dessas coisas que ele provou na vida, incluindo doenças, espancamentos, encarceramentos, naufrágios e seqüestros. Olhando para trás, Paulo pôde ver que, contra todas as probabilidades, Deus redimiu até aqueles acontecimentos críticos.
Em todas essas coisas somos mais que vencedores, por meio Daquele que nos amou”, conclui Paulo. “Porque eu estou bem certo que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem as do futuro, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra coisa poderá separar-nos do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”. O amor de Deus é a verdade fundamental do universo, e eu oro para que vocês não deixem a aflição ofuscar este fato.
Nós cristãos relembramos o dia mais sombrio de toda a história humana não como a Sexta-Feira Sombria, a Sexta-Feira Trágica, a Sexta-Feira Desastrosa. Não. Comemoramos a Sexta-Feira Santa. Aquele dia terrível tornou possível a salvação do mundo e também a Páscoa, um eco antecipado da radiante promessa de Deus de renovar TODAS as coisas.
Em vez de oferecer um falso otimismo, eu lhes apresento o grande desafio de confiar num Deus que pode redimir o que agora parece irredimível.
(Philip Yancey, em “PARA QUE SERVE DEUS”)

sábado, 8 de janeiro de 2011

VOCÊ CONHECE DEUS?

Por que duvidamos do Deus Todo-Poderoso, que criou todas as coisas, que mantém o controle sobre tudo, que nos ama com amor infinito e que fez em Sua Palavra promessas tremendas a nosso respeito?
O motivo real, acredito eu, é que realmente não conhecemos a Deus. Podemos conhecer bastante a respeito de Deus, mas isso não é o mesmo que conhecê-Lo. Você pode conhcer bastante sobre uma pessoa que vive na casa ao lado, seu nome, nome de sua esposa, quantos filhos tem, que tipo de animal de estimação cria, que carro dirige, que profissão exerce, onde trabalha. Você pode conhecer muitos dos seus gostos que vão do tipo de pizza que recebe em casa ao tipo do cortador de grama que escolheu para comprar. Mas tudo isso não é o mesmo que conhecer seu vizinho. Não é o mesmo grau de informação e entendimento que você receberia se gastasse tempo com ele durante semanas, meses e anos em que vivem próximos um do outro, conversando, rindo e partilhando dos momentos importantes da vida, inclusive aqueles que são alegres e aqueles tristes. De longe você não poderá conhecer seu vizinho e nem ainda conhecer algumas coisas a respeito de seu vizinho. E assim se dá com o nosso relacionamento com Deus.
Paulo disse em Filipenses 4:19 – “O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus” . “MEU DEUS”. Ele mantinha um bom relacionamento com Deus. Sabia que Deus conhecia tudo sobre ele, Paulo, e sobre toda a sua situação. Por conhecer a Deus intimamente, Paulo sabia que Ele não o abandonaria nem o desprezaria. Deus supriria o que lhe faltava.
Novamente vamos remontar ao nosso relacionamento com nosso vizinho. Você pode saber que seu vizinho é capaz de ajudá-lo de muitas maneiras – em questões práticas e financeiras. Você pode saber que ele tem uma determinada ferramenta ou equipamento que poderia lhe emprestar. Você pode até supor que , porque seu vizinho ajudou a outros, ele também o ajudará. Saber, porém, que seu vizinho é potencialmente capaz de ajudá-lo e poderia estar inclinado a isso, não é o mesmo que saber que seu vizinho, de fato, vai ajudá-lo.
A certeza absoluta, inabalável, que seu vizinho irá ajudá-lo só vem se você o conhecer intimamente. Novamente isso é verdade em respeito ao nosso relacionamento com Deus. Saber que Deus pode ajudar não é a mesma coisa que saber com certeza, no seu coração, que Deus irá ajudá-lo.
“Louvai ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre. Salmos 106:1
“Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca.”Lm 3:25
“Pois tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para todos os que te invoca.” Sl 86:5
Que a certeza de Paulo invada o seu coração; que a convicção destes versículos acalmem tua alma na certeza que Deus irá suprir as tuas necessidades da maneira mais surpreendente e ideal possível. Não duvide!
(Charles Stanley, em “DEUS TEM UMA RESPOSTA PARA NOSSAS NECESSIDADES NÃO ATENDIDAS”)

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

GIRANDO












“Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?” Mateus 6:27
Mark Martin, famoso piloto norte-americano de corridas de automóvel, sofreu um grave acidente em sua carreira. Numa competição, alguns carros, descontrolados, começaram a rodar na pista; outros colidiram. A fumaça tomou conta do ar e a visibilidade era muito pouca. Tudo aconteceu muito rápido e Martin também começou a girar. O chefe da sua equipe, usando o rádio, perguntou se ele havia conseguido passar ileso por aquele tumulto. Martin imediatamente respondeu que não podia conversar naquele momento, pois ainda estava girando.
Às vezes nos sentimos assim também. Se alguém nos pergunta como estamos, temos vontade de responder que ainda estamos “girando”. Talvez porque estamos passando por uma crise financeira, ou por algum problema no trabalho, ou tentando concertar nosso casamento ou nosso relacionamento com a família. Em tais situações, quando nossa vida parece estar girando e fora de controle, é comum sentirmos medo e ansiedade. É por isso que as palavras de Jesus nos confortam. Se Deus cuida dos passarinhos e das flores no campo, Ele certamente cuidará de nós. Portanto, vamos deixar de nos preocupar, até mesmo quando nos sentimos como se estivéssemos “girando”.
(Portal Luz Para o Caminho)

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

 
A Fidelidade de Deus é suficiente para nós!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
“Bendito o varão que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor. Porque é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto.” (Jr. 17.7-8.)
(Dóris Moura)

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

OBRIGADO SENHOR
Obrigado SENHOR pelo teu amor por mim, pelas tuas misericórdias em minha vida, embora eu não mereça, o Senhor está sempre comigo, me sustentando, fortalecendo, restaurando, protegendo com suas mãos poderosas de todo mal, somente de Deus podemos esperar: amor verdadeiro, consolo, força e misericórdia.
Esse trecho de um louvor, diz tudo que eu quero dizer neste momento:
“ TE AGRADEÇO POR ME LIBERTAR E SALVAR POR TER MORRIDO EM MEU LUGAR, TE AGRADEÇO, JESUS TE AGRADEÇO, EU TE AGRADEÇO.”
A TODOS OS IRMÃOS (DO MUNDO INTEIRO) DESEJO QUE O SENHOR DERRAME BENÇÃOS SOBRE VÓS EM 2011.
FELIZ ANO NOVO E QUE DEUS OS ABENÇOE
(Edilene Maria Lima da Silva)


terça-feira, 4 de janeiro de 2011

MOVA O SOL“Então Josué falou ao SENHOR, e disse na presença dos israelitas: Sol, detém-te em Gibeom, e tu, lua, no vale de Ajalom. E o sol se deteve, e a lua parou.” Js 1:12-13
Ninguém poderia acusar Josué de orar limitadamente. Ele ordenou ao sol e à lua que se detivessem. E eles obedeceram! O relógio do sol parou ao meio-dia e não voltou a funcionar até a mesma hora do dia seguinte. Deus acrescentou um dia
O povo de Deus travava uma batalha em Seu nome, e a escuridão teria impedido o exército de Israel de vencer. O Deus que criou o sol, a lua, a luz e as trevas poderia suspender facilmente o processo natural para consumar Seus propósitos.
A lição que podemos extrair é que devemos orar com ousadia. Nossa oração normalmente não tem poder porque não cremos que Deus possa ou queira fazer tanto. Perdemos a coragem ao demorarmos em todas as “razões’ para Ele não responder nossas orações. Josué, entretanto, mostra-nos como alcançar o sol. Ele orou de maneira estranha! Josué não estava provando que era ele quem se achava no comando, mas estava deixando Deus manifestar Seu imenso poder!
Diga: Senhor, ensina-me a não te limitar com orações pequenas e medrosas. Dá-me fé para orar com ousadia!
(Comentário contido na Bíblia da Mulher que Ora)

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

PURA SINTONIA
Preciso ouvir a voz de Deus todos os dias, e quero ouvir a Sua voz a respeito de TUDO. Para ouvir a Deus, precisamos estar dispostos a esperar pela sabedoria, movidos por uma paixão de querer a vontade Dele mais que qualquer outra coisa.
Ouviremos Deus muito mais claramente se estivermos determinados a não nos mover no calor das nossas emoções e desejos. Seremos abençoados se esperarmos e nos certificarmos de que ouvimos a Deus antes de dar qualquer passo. Só então devemos fazer o que Deus nos instruindo a fazer, mesmo que nos doa, mesmo que nos custe algo.
Aprenda a esperar. As emoções que sobem e nos enchem de energia cairão, e a energia emocional não nos levará para onde realmente precisamos ir. Precisamos da energia de Deus, que é a determinação do Espírito Santo para avançarmos e fazermos o que Deus disse.
Deus tem uma vontade e um plano para todas as pessoas. Cada pessoa precisa descobrir o que Deus quer que ela faça, e depois esperar o tempo Dele para fazê-lo.
“Como é feliz o homem que me ouve, vigiando diariamente à minha porta, esperando junto às portas da minha casa. Pois todo aquele que me encontra, encontra a vida e recebe o favor do Senhor. Mas aquele que de Mim se afasta, a si mesmo agride.” Pv 8:34-36.
Podemos perder o melhor de Deus por estarmos com pressa de conseguirmos o que qeremos. Se não esperarmos, principalmente nas áreas mais importantes, traremos problemas às nossas vidas. PACIÊNCIA é estar cada vez mais sintonizado com Deus em todo o tempo.
(Joyce Meyer, em “COMO OUVIR A VOZ DE DEUS”)

domingo, 2 de janeiro de 2011

sábado, 1 de janeiro de 2011

POR QUE PERSEVERAR?
Por que perseverar? Por que continuar enfrentando as fortes correntes da tentação, medo, ira, perda, estresse, impossibilidades, e erros? Por que lutar contra a deserção? Por que vencer a inferioridade? Por que continuar esperando? Por que? Vou contar-lhe o porquê. Porque é na arena da realidade que o verdadeiro caráter é forjado, moldado, temperado e polido. Porque é nela que a vida de Jesus Cristo tem a máxima possibilidade de ser reproduzida em nós. Substituindo uma teologia interna frágil por um conjunto de convicções fortes, confiáveis, que nos capacitam a lidar com a vida em vez de fugir dela.
Em virtude de a vida ser uma tarefa, precisamos de forças para enfrentá-la, e não de velocidade para escapar dela.
Quando os alicerces sacodem, quando o chão desaba e golpes brutais tentam espremer-nos no canto da dúvida e da incredulidade, precisamos do que a perseverança e a paciência geram – disposição para enfrentar os problemas de frente, determinação para manter-se firme e sabedoria para ver a mão de Deus em TUDO.
Sem perseverança nos caminhos que Deus quer que trilhemos e sem paciência para esperar o tempo Dele, somos vencidos facilmente. Por outro lado, perseverando pacientemente na fé e na confiança do poder do Senhor, glorificamos o Pai e vemos nossas orações atendidas da melhor forma possível.
(Charles Swindoll, em “PERSEVERANÇA”)