sábado, 22 de janeiro de 2011

OLHE AS ESTRELAS
Um dos maiores desafios da oração é aguardar. A maioria de nós não gosta de esperar respostas à oração. Pedimos a intervenção do Senhor e queremos resultados imediatos. Por que Ele está demorando tanto? É como se estivéssemos tentando salvar nossa própria vida, mas a situação não muda absolutamente nada. Ás vezes, piora!
Sem compreender o segredo de esperar com fé, tornamo-nos espiritualmente fatigados ao orar. Começamos a duvidar se as promessas de Deus aplicam-se à nossa situação particular.
Deus entremeou as Sagradas Escituras com lembretes de Seu poder extraordinário porque sabe como é difícil entendermos que nenhum problema é grande demais para Ele. Precisamos desses lembretes de incentivo sempre que enfrentamos montanhas enormes e humanamente irremovíveis que desafiam nossa fé, especialmente aquela montanha chamada demora.
“Quem mediu na concha da sua mão as águas, e tomou a medida dos céus aos palmos, e recolheu numa medida o pó da terra e pesou os montes com peso e os outeiros em balanças? Eis que as nações são consideradas por ele como a gota de um balde, e como o pó miúdo das balanças; eis que ele levanta as ilhas como a uma coisa pequeníssima.
Nem todo o Líbano basta para o fogo, nem os seus animais bastam para holocaustos. Todas as nações são como nada perante ele; ele as considera menos do que nada e como uma coisa vã.” I s 40:12,15-17
Embora escrita em linguagem figurada, essa passagem descreve um Deus tão majestoso que considera insignificantes todos os oceanos e o Universo! Para Ele as cadeias de montanhas são como grãos de areia; as nações, apenas uma gota num balde. E o texto prossegue:
“Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e os desenrola como tenda, para neles habitar; O que reduz a nada os príncipes, e torna em coisa vã os juízes da terra. E mal se tem plantado, mal se tem semeado, e mal se tem arraigado na terra o seu tronco, já se secam, quando ele sopra sobre eles, e um tufão os leva como a palha.” V. 22-24
Isaias não está exagerando. Esse é o Deus grandioso a quem adoramos e servimos! O fato extraordinário é que Ele nos convida a invocar Seu nome no dia da angústia para exercer Seu incrível poder em nosso favor. Deus almeja intervir em nossas causas aparentemente “impossíveis”, problemas que, para Ele, se assemelham a brincadeiras de criança.
Apesar da demora, muitas vezes incompreensível, Deus deseja que saibamos que SEMPRE vale a pena aguardar Suas respostas! Nunca esqueça dessas palavras tranqüilizadoras do Pai: “Haverá mãe que possa esquecer do seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou? Embora ela possa esquecê-lo, Eu não me esquecerei de você!” Is 49:15
Deus também disse: “Nunca o deixarei, nunca o abandonarei” Hb 13:5
Olhe para o céu à noite, contemple as estrelas e inspire-se nelas para fazer o que Abraão fez quando recebeu a promessa do Senhor: acreditou no que Deus havia dito.
(Jim Cymbala, em “ORAÇÃO QUE VENCE BARREIRAS”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário