domingo, 9 de janeiro de 2011

O GRANDE DESAFIO
Eu gostaria de garantir-lhes um fim para a dor e a aflição. Mas não posso. Posso, porém, apresentar-lhes a promessa que o apóstolo Paulo faz em Romanos 8, de que todas as coisas podem ser redimidas, podem contribuir para o bem. Mais adiante, nesse mesmo capítulo, Paulo especifica algumas dessas coisas que ele provou na vida, incluindo doenças, espancamentos, encarceramentos, naufrágios e seqüestros. Olhando para trás, Paulo pôde ver que, contra todas as probabilidades, Deus redimiu até aqueles acontecimentos críticos.
Em todas essas coisas somos mais que vencedores, por meio Daquele que nos amou”, conclui Paulo. “Porque eu estou bem certo que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem as do futuro, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra coisa poderá separar-nos do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”. O amor de Deus é a verdade fundamental do universo, e eu oro para que vocês não deixem a aflição ofuscar este fato.
Nós cristãos relembramos o dia mais sombrio de toda a história humana não como a Sexta-Feira Sombria, a Sexta-Feira Trágica, a Sexta-Feira Desastrosa. Não. Comemoramos a Sexta-Feira Santa. Aquele dia terrível tornou possível a salvação do mundo e também a Páscoa, um eco antecipado da radiante promessa de Deus de renovar TODAS as coisas.
Em vez de oferecer um falso otimismo, eu lhes apresento o grande desafio de confiar num Deus que pode redimir o que agora parece irredimível.
(Philip Yancey, em “PARA QUE SERVE DEUS”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário