quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

EXERCITANDO A PACIÊNCIA
“No mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo.” Jo 16:33
Se colocarmos na nossa cabeça a idéia de que tudo o que diz respeito a nós, nossas circunstâncias e a nossos relacionamentos deveria ser sempre perfeito – nenhuma dificuldade, nenhum obstáculo, nenhuma pessoa desagradável com quem lidar – então estamos caminhando para uma queda.
Não estou sugerindo que sejamos negativos e pessimistas, sou uma cristã firme em atitudes e pensamentos positivos. Mas estou sugerindo que sejamos realistas o suficiente para percebermos antecipadamente que pouca coisa na vida real é perfeita.
Não me planejo para o fracasso, mas lembro-me de que Jesus disse que nesse mundo teríamos de lidar com tribulações, provações, aflições e frustrações. Essas coisas são parte da vida nesta terra – para o cristão, como também para o não cristão. Mas todos os infortúnios do mundo não podem nos ferir se permanecermos no amor de Deus, manifestando o fruto do Espírito.
“Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade e paciência.”Cl 3:12
Volto-me para essa passagem freqüentemente para me lembrar do tipo de comportamento que deveria estar demonstrando em todas as situações. Recordo a mim mesma que paciência não é a minha habilidade de esperar, mas minha habilidade de manter uma boa atitude enquanto espero.
O capítulo 1 do livro de Tiago nos ensina que deveríamos nos regozijar quando nos encontramos envolvidos em situações difíceis, sabendo que o método de Deus para revelar em nós a paciência é, segundo a Palavra – “várias provações”.
Tenho descoberto em minha própria vida que “várias provações”, finalmente, revelaram a paciência em mim, mas primeiro me trouxeram uma porção de outras coisas que não eram características divinas: como orgulho, ira, rebeldia, autopiedade, lamentação e muitas outras. Parece que essas coisas devem ser enfrentadas e trabalhadas antes que a paciência surja.
Se você se lembra, uma atitude de impaciência foi uma das razões que mantiveram os israelitas vagueano no deserto por quarenta anos.
Como poderiam estar prontos para entrar na Terra Prometida e expulsar os ocupantes para que pudessem possuir a terra se eles não podiam nem mesmo permanecer pacientes e impeertubáveis durante uma pequena dificuldade?
Realmente encorajo-o a trabalhar com o Espírito Santo enquanto Ele desenvolve o fruto da paciência em você. Quanto mais lhe resistir, mais longo será o processo. Aprenda a responder pacientemente a todos os tipos de provações e você se descobrirá vivendo uma qualidade de vida que não é apenas suportada, mas desfrutada em sua plenitude.
(Joyce Meyer, em “CAMPO DE BATALHA DA MENTE”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário