quarta-feira, 30 de julho de 2014

SIGA ESSE CONSELHO“Se algum de vocês estiver sofrendo, ore.” (Tg 5:13)
Pode parecer simples demais a solução apresentada por Tiago a quem está sofrendo: recorrer à oração. O conselho contrasta com os que geralmente são dados hoje:
Se alguém está sofrendo, procure se distrair: ligue a televisão, leia um livro, vá ao cinema.
Se alguém está sofrendo, beba, fume maconha (ela sempre provoca sensações agradáveis), faça amor (o sexo é sempre bom), vá ao shopping (as compras sempre distraem).
Se alguém está sofrendo, tome fluoxetina ou qualquer outro antidepressivo.
Se alguém está sofrendo, procure o pastor (ele sempre ora por você) ou o psicólogo (ele sempre o ouve).
Se alguém está sofrendo, dê um tiro no ouvido.
Tiago poderia mencionar situações semelhantes:
Se alguém está aflito, ore.
Se alguém está triste, ore.
Se alguém está passando por um contratempo, ore.
Se alguém está com uma doença supostamente grave, ore.
Se alguém está desanimado, ore.
Para quem está sofrendo e já ora, Tiago diria: continue a orar.
Para dar esse tipo de conselho, subentende-se que Tiago é um usuário da oração. É também uma espécie de doutor em oração, como se vê em versículos anteriores e posteriores. Ele entende de oração. Sabe do que fala. Não é um aventureiro, um novato em oração, um palpiteiro, um irresponsável.
A promessa do Pai confirma o conselho de Tiago: “Se me chamarem no dia de aflição, eu os livrarei, e vocês me louvarão” (Sl 50.15).
(Elben César, em “REFEIÇÕES DIÁRIAS COM OS DISCÍPULOS”)

sexta-feira, 25 de julho de 2014

CADA NOITE TEM SEU DIA SEGUINTE“Porque Ele bem sabia o que estava para fazer. ” João 6:6
Eis o segredo da fé e da paz do cristão. Sejam quais forem as circunstâncias em que se encontra aquele que confia no Salvador e lhe obedece, Jesus sabe de antemão o que fará por ele. Dificuldades ou sofrimentos são necessários para seu crescimento espiritual. Sua vida não pode ser diferente da vida do Mestre.
Cada noite tem seu dia seguinte. Quando atravessamos a escuridão, somos for- talecidos pela certeza de que Jesus já sabe como fará brilhar a luz. Em nossas inde- cisões, quando não sabemos o que fazer nem como agir, é bom conhecer o repouso da fé e lembrar que Jesus sabe como intervir. Ele tem seu plano traçado para nós e para os nossos; e, ainda que permita essas circunstâncias para nos experimentar, mede as dificuldades e, a seu tempo, nos fará sair vitoriosos.
Para nós, a prova amarga e interior está cheia de mistérios e dores que algumas vezes nos esmagam, mas devemos saber ver a prova de hoje como quem a contem- plará amanhã. Quando Deus nos pede atos de fé e obediência sem apoio visível, devemos andar e obedecer como fez Abraão, que partiu sem saber para onde ia. E, mais tarde, veremos que o Senhor já nos havia providenciado a saída do túnel, fazendo-nos entrar em uma obra previamente preparada, para nela prosseguirmos com toda a facilidade.
Sim, ele sabe o que fará! Assim como aos primeiros discípulos, Jesus nos pede para entregarmos aquilo que possuímos, mesmo sendo apenas cinco pães e dois peixes, e que façamos o que nos diz. Ele é o primeiro, e será sempre o primeiro a saber como nos livrar da dificuldade.
Quando Jesus nos chamou, em toda a nossa fraqueza e ignorância, sabia de antemão o que ia fazer! “Quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida” (Jo 8:12).
(Hugh E. Alexander, em “ORVALHO DA MANHÔ)