sábado, 31 de agosto de 2013


A FÉ CELEBRA A VIDA

Viver pela fé não significa viver pelo que seus olhos lhe mostram, mas pelo que sua mente, sua alma e seu coração sabem que é verdadeiro. É como diz o conhecido versículo; “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem” Hb 11:1.
É perigoso conduzirmos nossa vida baseados no que vemos, porque aquilo que enxergamos, na maioria das vezes, não é o quadro completo. O olhar pode ser enganoso, a não ser que vejamos a situação do ponto de vista do céu.
A fé é um estilo de vida de retidão baseado na natureza e no caráter de Deus. A ausência de fé cria um vácuo que é rapidamente preenchido pelo medo e pela dúvida. O temor e a insegurança geram a preocupação, que é o oposto da fé.
Não há nada em nosso corpo projetado para lidar com a aflição. Pesquisas científicas já comprovaram que a preocupação ativa enzimas que causam a constrição venosa e arterial o que pode causar desde dores de cabeça até ataque cardíaco. Então, se você diz: “Estou com uma aflição mortal”, não é exagero.
Deus nos criou para vivermos pela fé, o que significa que, a menos que ajamos por ela, estaremos nos autodestruindo. Sem fé em Jesus mergulhamos num mundo de preocupações, tormentos, depressão, o que nos leva a sabotarmos nossa vida. Fomos moldados para viver pela fé. A fé substitui a aflição. Ela nos dá acesso às coisas que nos afligimos se não as temos em mãos.
Davi disse muito á propósito: “Uns confiam em carros, e outros em cavalos, mas nós confiamos no poder do nosso Deus Eterno” Salmo 20:7. A mesma ênfase encontramos nas palavras de Jesus: “Tudo é possível ao que crê” Mc 9:23. Descanse….relaxe….espere…confie na certeza que Deus sabe de todas as suas necessidades e sonhos, e sabe o que é melhor para você.
(Myles Munroe, em “COMPREENDENDO O REINO DE DEUS”)

terça-feira, 27 de agosto de 2013

A FÉ SEM CONFIANÇA É MORTA 

“Confia no Senhor…”.Salmos 37.3.
Confiar é fiar-se em Deus, é saber que Ele está tomando algo para si e avalizando. Confiar é deixar nas mãos de alguém que pode e dá garantia de realizar. Confiar é ter o endosso de uma Pessoa que não pode mentir: “Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta; a qual temos como âncora da alma, segura e firme, e que penetra até ao interior do véu” Hebreus 6.18-19.
A fé sem obras é morta. Não adianta dizermos que confiamos em Deus, se nossas atitudes tem sido de incredulidade. Se verdadeiramente cremos Nele, nossas atitudes vão ser de fé; e entre elas, a confiança em Deus. Do contrário, nossa fé não passa de meras palavras, de uma fé morta. A religião é feita de teoria; mas a vida cristã, de conhecimento e prática: “Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras” Tiago 2.17-18.
Crescer na graça e no conhecimento de Jesus Cristo é nossa necessidade primária para confiarmos em Deus: “Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo” II Pedro 3.18. Precisamos nos voltar para o Senhor. Conhecer e prosseguir em conhecer ao Senhor, e então haverá confiança naturalmente.
(Portal Vida em Cristo)

domingo, 18 de agosto de 2013

SEJAMOS OTIMISTAS

Mentes positivas produzem vidas positivas. Mentes negativas produzem vidas negativas. Bons pensamentos estão sempre carregados de esperança e fé. Maus pensamentos são sempre cheios de medo e dúvida.
Algumas pessoas têm medo de ter esperança porque foram muito machucadas durante a vida. Elas tiveram tantos desapontamentos que acham que não conseguirão suportar a dor de mais um. Portanto elas se recusam a ter esperança para não amargarem mais sofrimento. Evitar ter esperança é um tipo de proteção contra a possibilidade de ser machucado. O desapontamento dói, e como, sabemos disso! Então, em vez de serem feridas recusam a ter esperança ou acreditar que qualquer coisa boa jamais lhes acontecerá. Esse tipo de comportamento estabelece um estilo de vida negativo. Lembre-se de Provérbios: 23:7 “Pois como uma pessoa pensa em seu coração, assim ela é”.
Em Mateus 8:13, Jesus nos diz que nos será feito de acordo com a nossa fé: “…e seja feito conforme a tua fé…” Isso não significa que podemos conseguir qualquer coisa que queiramos apenas por pensar nela. Deus tem um plano perfeito para cada um de nós e não podemos controlá-lo com nossos pensamentos e palavras. Mas devemos pensar e falar de acordo com o desejo Dele para nós.
Se você não tem idéia alguma qual seja o plano de Deus para você neste momento, pelo menos comece a pensar: “Bem, não sei qual é o plano de Deus, mas sei que Ele me ama sem limites. Seja o que for que Ele fizer, será bom e serei abençoado(a)”.
Comece a pensar de forma otimista sobre sua vida, pois o Deus que controla esse universo é BOM. Pratique ser positivo em qualquer situação que surgir. Mesmo que qualquer coisa que esteja acontecendo agora em sua vida não seja boa,espere que Deus trará o bem proveniente dela, como ela prometeu em Sua Palavra.
” É nos assegurado que tendo Deus como parceiro todas as coisas cooperam para o bem daqueles que O amam.” Rm 8:28
(Joyce Meyer, em “CAMPO DE BATALHA DA MENTE”)

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

NADA MENOS QUE O MÁXIMO

“E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim.” Mc 10:47
Com o reconhecimento que era Jesus quem se aproximava, quase posso ver Bartimeu colocar-se em pé de um só pulo. A Bíblia diz que se pôs a clamar –“Jesus, filho de Davi…” Imediatamente aqueles que ali estavam começaram a mandá-lo sentar e ficar quieto – “E muitos repreendiam para que se calasse…” Mc 10:48. Mas quero que você note que Bartimeu se recusou a parar de clamar. Não se deixou desanimar! Sabia o que queria da parte de Deus. Quanto mais a multidão queria abafar a sua fé, mais ele clamava por Jesus – “…mas ele gritava cada vez mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim!” (v. 48)
A fé de Bartimeu não aceitava uma recusa. A fé sempre exige uma resposta! Bartimeu queria receber a cura de Deus para que seus olhos fossem curados. A fé expressa diante de Deus os seus desejos, a fé não silencia, fala, clama, pede, e espera o melhor de Deus!
A fé de Bartimeu era forte e insistente, não se abalava com as dificuldades impostas. Pela fé ele gritou mais alto sabendo que Jesus o escutaria. Havia, sim, obstáculos entre Bartimeu e a resposta a sua oração. Um deles era a multidão que acompanhava Jesus naquele momento. Estou certo que haviam pessoas friamente religiosas naquele meio, e eram eles que estavam incomodados com a fé quente, firme e insistente do cego Bartimeu.
Enquanto andava por aquela estrada poeirenta de Jericó, Jesus ouviu, de repente, alguém chamar Seu nome, era um grito desesperado. Jesus de Nazaré – cujos passos eram dirigidos pelo Espírito Santo – parou ao escutar aquele clamor penetrante da fé. Havia uma certa qualidade naquele clamor – era uma fé tão forte, de tão grande convicção no poder de Deus, que insistia em ser ouvida. Era uma voz cheia de fé que não se deixava calar.
Bartimeu tinha cem por cento de certeza que Deus podia curá-lo, tinha convicção que o poder de Deus podia operar em favor dele, isso é fé. Você tem esse tipo de fé? Está na hora de começar a clamar a Deus com uma voz de fé que quer ser ouvida e atendida. Está na hora de fazer o clamor de fé genuína que nunca desistirá, nem perderá a esperança. Não perca o melhor que Deus tem para você, a Bíblia diz que Deus sempre escuta o clamor dos justos (Sl 34:15).
Á medida que você tem essa fé firme que Deus te dará o que Ele prometeu, você provavelmente terá MUITAS oportunidades para desistir, por causa dos problemas e obstáculos que procurarão bloquear o seu caminho. Bartimeu não desistiu, por isso recebeu sua resposta. Recebeu de Deus o que queria porque não comprometeu a sua fé Nele.
Cuidemos para que não boicotemos nossa fé e aceitemos menos do que o MELHOR DE DEUS PARA A NOSSA VIDA. Não sei o que você vai fazer, mas eu quero receber o MÁXIMO QUE DEUS TEM PARA OFERECER! Nunca entrarei em meio termo! Avançarei até a vitória porque a Palavra de Deus declara que a vitória, em todas as circunstâncias, pertence a mim. Se você crê em Deus e na Sua Palavra, se Jesus Cristo é o seu único Senhor, se você se mantém firme na vontade do Senhor, a vitória te pertence também; logo aceite, literalmente, o que Deus diz na Sua Palavra.
(Kenneth Hagin, em “NÃO DESISTA! SUA FÉ LEVARÁ VOCÊ À VITÓRIA”)

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

ALARGANDO NOSSA ALMA

Esperar é para mim difícil. Quero respostas no momento. Os adiamentos desconcertam-me; as dilações amedrontam-me. Fico desconcertado com as demoras de Deus, interrogando-me sobre o porquê e quando. “Até quando, Senhor?”
Habacuque também quis respostas, mas Deus escolheu fazer as coisas no Seu tempo. “Sobre a minha guarda estarei … para ver O [Deus] que fala comigo,” escreveu. “A visão é ainda para o tempo determinado,” disse Deus, “espera-o, porque certamente virá” .
A fé nunca desiste. Ela sabe que apesar das aparências, tudo está bem. Ela pode esperar sem sinais significativos de que Deus está agindo, porque está segura NELE. “Cada demora é perfeitamente boa, porque estamos nas mãos seguras de Deus,” disse Madame Guyon (1648-1717).
Também nós temos que aprender a ver cada demora como algo “perfeitamente bom.”Adiamentos são razões para orar em vez de ficar ansioso, impaciente e aborrecido. Demoras são oportunidades para Deus construir aquelas qualidades imperecíveis, mas difíceis de adquirir: humildade, paciência, serenidade, e força. Deus nunca diz: “Espera por um instante,” a menos que Ele esteja fazendo algo na nossa situação – ou em nós. Ele espera para ser gracioso.
Assim sendo, toma alento! Se a resposta de Deus demorar, “Espera por ela; porque seguramente virá.”
DEUS ALONGA A NOSSA PACIÊNCIA
PARA ALARGAR A NOSSA ALMA.

(Portal Arautoevangelico)

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

INTIMIDADE

Às vezes, todos nós sentimos que nossas orações são um tiro no escuro. Sentimos como se determinado pedido fosse certo naquele momento, mas quando não vemos uma resposta imediata, perguntamos se era vontade de DEUS. Nossa fé diminui em vez de aumentar, porque dificilmente temos alguma segurança real do que estamos orando. Então, atiramos no escuro e esperamos que DEUS esteja de acordo e responda favoravelmente.
Este não é o jeito que DEUS quer que seu povo ore. Sua Palavra nos dá orientação clara de como descobrir SUA vontade em oração.
DEUS nos faz uma promessa tripla em 1Jo 5:14-15. Primeiro promete ouvir se orarmos segundo a SUA vontade. Segundo, promete que já possuímos aquilo que temos pedido. Terceiro, que saberemos que temos as petições que desejamos.
No versículo 14, a palavra confiança significa ousadia ou segurança. Assim, como filhos de DEUS, podemos ir a ELE aberta e ousadamente fazer nossos pedidos.
Então, como devemos agir quando não temos certeza de como orar? Quando não sabemos o que DEUS pensa sobre nossos pedidos, devemos perguntar a ELE.
Paulo escreveu: “O Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir, mas o mesmo Espírito intercede por nós. Aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede por nós.” Rm 8:27. Em outras palavras, o ESPÍRITO orará através de nós quando não sabemos o que orar, e ao mesmo tempo nos dará entendimento da vontade do SENHOR.
O ponto chave aqui é a intimidade com DEUS, quanto mais intimidade temos com ELE, mais SEU ESPÍRITO SANTO flui em nós, então, mais liberdade teremos para orar, porque mais dentro da vontade DELE estaremos, mais da vontade DELE, para nós, conheceremos.
(Charles Stanley, em “RESOLVA COM ORAÇÃO”)

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

ANIMEM-SE!!!!!

“Logo depois, Jesus foi a uma cidade chamada Naim, e com ele iam os seus discípulos e uma grande multidão. Ao se aproximar da porta da cidade, estava saindo o enterro do filho único de uma viúva; e uma grande multidão da cidade estava com ela. Ao vê-la, o Senhor se compadeceu dela e disse: Não chore.” Lucas 7:11-13
Essa imagem é extraordinária – DEUS compadecido. Dificilmente as pessoas imaginam DEUS comovido, tocado, sensibilizado e condoído. O mais comum é imaginá-LO altivo, inacessível, implacável, indiferente. Outros O veem poderoso e amoroso, mas Sagrado demais para vulnerabilizar-se com a dor humana.
Porém, essa passagem do Evangelho destroi tais concepções. DEUS é atingido por nossas dores, ELE se (com)padece. Sofre junto. Sofre junto de mim e de você. Sofre conosco as nossas aflições.
Mas, ELE é DEUS, e isso faz toda diferença. Qualquer um de nós pode se compadecer do sofrimento alheio. Qualquer um de nós se solidariza, ora e chora as dores dos amigos, parentes ou até mesmo de desconhecidos, mas nada podemos fazer para transformar aquela dor, para mudar aquela situação. ELE pode, sabemos. Infinitas vezes, ELE faz em atenção às nossas súplicas, compadecido, ELE traz a solução.
Mas, outras vezes, SUA posição não é bem a que desejávamos. Nesses momentos, é difícil distinguir SUA compaixão, SEU amor, SUA misericórdia, SEU poder. Philip Yancey, um dos maiores autores cristãos da atualidade, diz com propriedade: “Os mistérios não solucionados e as orações não respondidas perdem sua cor se comparados ao do plano de Deus para os tempos. No final, a oração não respondida me coloca face a face com a profunda diferença entre a minha perspectiva e a de Deus.”
DEUS é misericordioso, poderoso e é amor em essência, mas SUAS virtudes não se esgotam nestas. Aliás, quanta pressunção tentar definí-LO e enumerar SUAS “características”! ELE é maior do que todas as nossas definições juntas, ELE não cabe em nossas palavras por mais excelsas que sejam. SUA perspectiva sobre tudo extrapola as nossas, é disso que fala Yancey.
Sabemos que muitas das nossas orações correm o risco de não serem atendidas e, quando isso acontecer, que nos conforte o coração a consciência que, se ELE não nos atendeu, não foi por falta de amor ou compaixão, ao contrário, foi SEU grande amor, sabedoria e compaixão que fez com que não nos atendesse.
Mas, enquanto oramos e aguardamos, que á fé e a esperança nos encha o coração com a certeza alegre que ELE intervirá, como fez com aquela mãe no meio do velório do filho, devolvendo-o vivo a ela. Sim, que seja essa nossa expectativa nesse espaço de tempo entre nossos clamores e SUA resposta. Afinal, JESUS sempre conclamou as pessoas a serem alegres e esperançosas, SUA boca pronunciava incansavelmente: “Tende bom ânimo!”, ou seja: anima-te!
(Neuma Fernandes)

terça-feira, 6 de agosto de 2013

A EXPERIÊNCIA COM DEUS

A experiência com Deus é sempre inédita. E cada encontro com Deus será original, nunca previsível. As religiões, com seus ritos, procuram domesticar o sagrado, mas Deus não se permite engaiolar por qualquer liturgia. Não existe rede grande o suficiente que prenda o Todo-Poderoso, que é livre para agir como e quando quer. O Espírito é vento selvagem, veemente. O Deus que se deixa prender sistematizado não passa de um ídolo. Em diversas ocasiões Deus manifestou sua presença através de um imenso vazio. Em outras, “as abas de suas vestes encheram o templo”. Ele sempre frustrou magos e feiticeiros que prometeram controlar seus atos. Os verdadeiros profetas sabiam que Deus não se deixa manietar por qualquer amarra.
A experiência com Deus é sempre pessoal, intransferível. A maneira como cada um entende e percebe o Senhor é única. Por isso, ele é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Ele é o Deus que se relaciona com cada pessoa com absoluto respeito à sua individualidade. O Senhor conhece as pessoas pelo nome e se manifesta com total consideração com a história de cada um.
Sendo assim, a experiência com Deus requer radicalidade. Para percebê-lo é preciso um vôo profundo e pleno, igual ao da mariposa que morreu. Conhecer a Deus tem a ver com um mergulho no mistério, mesmo que tal ato custe a própria existência. Os que só tangenciam a labareda por curiosidade nada aprenderão sobre o divino.
Na Índia, contam que um mestre meditava à beira do rio. Seu discípulo se aproximou pedindo ajuda. Ele reclamava não obter sucesso em seus exercícios espirituais – ansiava encontrar-se com Deus e se frustrava. O mestre tomou o jovem pela mão, levou-o até o rio e o forçou a ficar debaixo d’água, segurando-o pelo cabelo. Depois que deixou o rapaz perto de três minutos sem fôlego, puxou-o de volta, deixando que, desesperado, buscasse o ar. O mestre então arrematou: “se você buscar a Deus com a mesma intensidade como procurou o oxigênio que lhe dá vida, certamente, o achará”. “Vocês me acharão, diz o Senhor, quando me buscarem de todo o coração”.
Quando cada um, a seu modo, procura conhecer a Deus e se entrega, radicalmente nessa busca, o achará.
(Soli Deo Gloria - Pr Ricardo Gondim)

domingo, 4 de agosto de 2013

CRER OU SENTIR?

A presença de Deus não é assunto de sentimento. Deus não é perceptível pelos nossos sentidos nem pode ser captado pela nossa emoção. Mesmo que o céu esteja coberto por espessas nuvens negras, o sol continua brilhando em seu percurso. Mesmo que não haja qualquer evidência da presença de Deus, Ele continua presente em todo lugar. “Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também; se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá.” Salmo 139:7-10.
Creio na presença de Deus em todo lugar nesse universo porque a sua palavra afirma que Ele está presente em qualquer lugar. Isto é fé, pois a fé se baseia apenas na suficiência da palavra de Deus. Ainda que eu não sinta a menor comprovação e não haja qualquer sinal de sua presença no universo, eu creio que Deus está bem presente porque sua palavra afirma. A fé está relacionada apenas com a Palavra de Deus. Se não houver sinal da Palavra de Deus não há o menor indicio de fé. Ninguém que crê baseado na Palavra de Deus precisa de qualquer sentimento para corroborar com a sua fé, pois a verdadeira confiança só carece da verdade de Deus para se sustentar.
Isso significa que sou contra o sentimento? Não. Absolutamente não. Mas o sentimento nunca será o fundamento da fé. Ninguém precisa de emoção para crer; se houver alguma emoção em sua crença, tudo bem. O sentimento não pode ser a locomotiva do trem, mas pode ser um vagão. A fé depende somente da Palavra de Deus para se manifestar e o sentimento pode ou não acompanhar a fé. Visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé. Romanos 1:17.
A fé é a recusa de ingressar no pânico. É a certeza que veremos e teremos as coisas que precisamos e pedimos a Deus. Fé não é a “sensação” que seremos atendidos, é a certeza que Deus faz o impossível. Não é o sentimento do coração, mas a palavra da revelação que faz toda a diferença. “Crer ou sentir?” eis a questão! Creia mesmo que não sinta, eis a solução!
(Pr. Glenio Fonseca)

sábado, 3 de agosto de 2013

PONTO EXTREMO

“Bem-aventurado o que espera.” (Dn 12.12.)
Esperar é uma das disposições de espírito que o cristão só aprende a ter após anos de ensino. Para o guerreiro de Deus a marcha, e a marcha acelerada são muito mais fáceis do que ficar parado. Há horas de perplexidade, em que o espírito mais pronto, mais desejoso de servir ao Senhor, não sabe que direção tomar. O que fazer então? Agitar-se em desespero? Voltar atrás covardemente, tomar a direita em temor, avançar presunçosamente? Não, simplesmente esperar. Esperar em oração, todavia. Clame ao Senhor e coloque o caso perante Ele; conte-Lhe a dificuldade e clame por Sua promessa de auxílio.
Esperar com fé. Expresse a sua firme confiança Nele. Creia que, embora Ele o conserve esperando até a meia noite, virá, contudo, no tempo certo; a visão virá, e não tardará.
Esperar em quieta paciência. Não murmure contra a fonte aparente da adversidade.Aceite o caso como é, e ponha-o exatamente assim na mão do Deus do concerto — simplesmente, de todo o coração e sem a interferência da sua vontade — dizendo: “Agora, Senhor, não se faça a minha vontade, mas a Tua. Eu não sei o que fazer; estou num ponto extremo; mas esperarei até que Tu abras as águas. Esperarei, ainda que me faças esperar muito tempo, pois meu coração está firmado só em Ti, ó Deus, e meu espírito espera por Ti, na plena convicção de que ainda serás o meu gozo e a minha salvação, o meu refúgio e a minha torre forte.”
(Morning by Morning)

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

O CORAÇÃO DE DEUS

“Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: sermos chamados filhos de Deus, o que de fato somos!” 1João 3:1
O Mestre não nos quer perfeitos, apenas verdadeiros. Ainda assim, às vezes é tão grande nosso esforço por agradar a Deus e por impressionar as pessoas — tão decididos estamos a ser os cristãos perfeitos —, que vemos nossa energia sugada e nos mortificamos em razão de nossa exterioridade escorregadia e de nossa hipocrisia interior. Sentimo-nos perigosamente frágeis, tão inertes e infrutíferos como a árvore no rigor do solstício de inverno.
Precisamos de uma transfusão de origem divina. O coração do Mestre bate por nós, não contra nós. Ele sempre arrancará o verde falsificado e a esterilidade de nossa hipocrisia, mas jamais quebrará o caniço rachado (cf. Mt 12:20 e Is 42:3) de nossa vida despedaçada. Os ramos deixados ao longo do caminho nunca são arrancados em conseqüência de sua repulsa, mas sempre constituem parte de sua cuidadosa poda.
Por isso, venha e escute as batidas do coração do Mestre. Aproxime-se da realidade cálida daquilo que sua encarnação e ressurreição podem significar na rotina de sua vida. Sinta a vitalidade que retorna à alma quando você se aceita, recebe o amor do Mestre e se deleita com sua graça. Abrace a certeza que Deus tem o melhor para você e quer te entregar Suas maravilhas sem reticências.
“Eu resseco a árvore verde e faço florescer a árvore seca.” Ezequiel 17:24
(Brennan Manning, em “O OBSTINADO AMOR DE DEUS”)

PONTO EXTREMO
“Bem-aventurado o que espera.” (Dn 12.12.)
Esperar é uma das disposições de espírito que o cristão só aprende a ter após anos de ensino. Para o guerreiro de Deus a marcha, e a marcha acelerada são muito mais fáceis do que ficar parado. Há horas de perplexidade, em que o espírito mais pronto, mais desejoso de servir ao Senhor, não sabe que direção tomar. O que fazer então? Agitar-se em desespero? Voltar atrás covardemente, tomar a direita em temor, avançar presunçosamente? Não, simplesmente esperar. Esperar em oração, todavia. Clame ao Senhor e coloque o caso perante Ele; conte-Lhe a dificuldade e clame por Sua promessa de auxílio.
Esperar com fé. Expresse a sua firme confiança Nele. Creia que, embora Ele o conserve esperando até a meia noite, virá, contudo, no tempo certo; a visão virá, e não tardará.
Esperar em quieta paciência. Não murmure contra a fonte aparente da adversidade.Aceite o caso como é, e ponha-o exatamente assim na mão do Deus do concerto — simplesmente, de todo o coração e sem a interferência da sua vontade — dizendo: “Agora, Senhor, não se faça a minha vontade, mas a Tua. Eu não sei o que fazer; estou num ponto extremo; mas esperarei até que Tu abras as águas. Esperarei, ainda que me faças esperar muito tempo, pois meu coração está firmado só em Ti, ó Deus, e meu espírito espera por Ti, na plena convicção de que ainda serás o meu gozo e a minha salvação, o meu refúgio e a minha torre forte.”
(Morning by Morning)