segunda-feira, 1 de dezembro de 2014


ILUMINANDO O CAMINHO

Se você pensa que pode cuidar sozinho de tudo que Deus tem para você fazer, você está pensando muito pequeno. Deus sempre nos chama para algo maior do que nós mesmos.
Toda vez que você se acha incapaz de fazer aquilo para o qual Deus o chamou, quando você se sente como se não tivesse o necessário para ter a vida que Deus tem para você, a adoração é o modo de responder.
Em primeiro lugar, seja grato por sentir-se do modo como você se sente porque isso significa que você é humilde e dependente de Deus. Alegre-se se você se sentir despreparado para a tarefa, pois isso significa que você terá de depender de Deus para capacitá-lo ou fazer isso por Seu intermédio. E Ele o fará porque “Fiel é o que o chama, o qual também o fará” 1Ts 5:24.
Você não precisa fazer as coisas acontecerem; você só precisa adorar a Deus e deixar que Ele as faça acontecer. Você nem mesmo precisa tentar descobrir Seu propósito. Você precisa tentar conhecer a Deus. Ele conhece Seu propósito. Seu louvor iluminará o caminho pelo qual Deus irá guiá-lo ao seu futuro e ao propósito que Ele tem para você. Não é você quem o cumprirá. É Ele quem irá cumpri-lo. “Não por força nem por poder, mas pelo Meu Espírito” (Zc 4:6) diz o Senhor.
(Stormie Omartian, em “O PODDER TRANSFORMADOR DA ORAÇÃO”)

terça-feira, 19 de agosto de 2014

BOM DEMAIS PARA SER VERDADE?Podemos esperar que DEUS justifique os decentes, mas os sujos? Uma coisa é tornar as pessoas justas, mas e aquelas que são realmente más? Com certeza a cobertura é dada ao motorista que tem uma ficha limpa, mas o que excede a velocidade embriagado? Como pode a justificação para os maus?
Em sua cata aos romanos, Paulo é claro – até o calvário de Jesus, todos os esforços da salvação foram a terra para cima. O homem inflou o seu balão com o seu próprio ar quente e não foi capaz de deixar a atmosfera. A conclusão é inevitável: a auto-salvação simplesmente não funciona. O homem não tem uma maneira de salvar-se a si mesmo.
Mas, Paulo anuncia que DEUS tem uma maneira. Onde o homem falha, DEUS supera. A salvação vem do céu para baixo. Por favor, note: A salvação é dada por DEUS, guiada por DEUS, capacitada por DEUS e originada de DEUS. A dádiva não é do homem para DEUS. É de DEUS PARA O HOMEM.
Nesse ponto, você pode ser tentado a colocar condições sobre a graça. Nós podemos ser perdoados por determinados pecados, mas não por outros, ou, Sim, posso ver como tais e tais pessoas poderiam conseguir entrar no céu, mas outras???? Tais atitudes vão contra a GRAÇA infinita de DEUS. Além disso, elas ignoram as verdades bíblicas de que, separados de CRISTO, todos nós somos igualmente culpados diante de um DEUS santo. Todos nós precisamos de JESUS, porque todos nós pecamos e estamos abaixo do padrão de perfeição de DEUS. Na economia do céu ninguem está em melhor condição do que qualquer outro. Todos nós temos uma dívida enorme que somente JESUS tem capacidade de pagar.
Esta pode ser a verdade espiritual mais difícil para abraçarmos. Por alguma razão, as pessoas aceitam JESUS como Senhor antes de aceitá-LO como Salvador. É mais fácil compreender o Seu poder do que a Sua misericórdia. Iremos celebrar o túmulo vazio antes de nos ajoelharmos ao pé da cruz.
Bem no fundo, frequentemente acreditamos que o que Jesus fez por nós pode ser “bom demais para ser verdade”. Esta é de longe a objeção mais comum para a graça. Mas, pode crer, é bom demais, e é verdade, é por isso que é Páscoa!
“Pois também Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus.” Pedro 3:18
(Max Lucado, em “NAS GARRAS DA GRAÇA”)

quarta-feira, 30 de julho de 2014

SIGA ESSE CONSELHO“Se algum de vocês estiver sofrendo, ore.” (Tg 5:13)
Pode parecer simples demais a solução apresentada por Tiago a quem está sofrendo: recorrer à oração. O conselho contrasta com os que geralmente são dados hoje:
Se alguém está sofrendo, procure se distrair: ligue a televisão, leia um livro, vá ao cinema.
Se alguém está sofrendo, beba, fume maconha (ela sempre provoca sensações agradáveis), faça amor (o sexo é sempre bom), vá ao shopping (as compras sempre distraem).
Se alguém está sofrendo, tome fluoxetina ou qualquer outro antidepressivo.
Se alguém está sofrendo, procure o pastor (ele sempre ora por você) ou o psicólogo (ele sempre o ouve).
Se alguém está sofrendo, dê um tiro no ouvido.
Tiago poderia mencionar situações semelhantes:
Se alguém está aflito, ore.
Se alguém está triste, ore.
Se alguém está passando por um contratempo, ore.
Se alguém está com uma doença supostamente grave, ore.
Se alguém está desanimado, ore.
Para quem está sofrendo e já ora, Tiago diria: continue a orar.
Para dar esse tipo de conselho, subentende-se que Tiago é um usuário da oração. É também uma espécie de doutor em oração, como se vê em versículos anteriores e posteriores. Ele entende de oração. Sabe do que fala. Não é um aventureiro, um novato em oração, um palpiteiro, um irresponsável.
A promessa do Pai confirma o conselho de Tiago: “Se me chamarem no dia de aflição, eu os livrarei, e vocês me louvarão” (Sl 50.15).
(Elben César, em “REFEIÇÕES DIÁRIAS COM OS DISCÍPULOS”)

sexta-feira, 25 de julho de 2014

CADA NOITE TEM SEU DIA SEGUINTE“Porque Ele bem sabia o que estava para fazer. ” João 6:6
Eis o segredo da fé e da paz do cristão. Sejam quais forem as circunstâncias em que se encontra aquele que confia no Salvador e lhe obedece, Jesus sabe de antemão o que fará por ele. Dificuldades ou sofrimentos são necessários para seu crescimento espiritual. Sua vida não pode ser diferente da vida do Mestre.
Cada noite tem seu dia seguinte. Quando atravessamos a escuridão, somos for- talecidos pela certeza de que Jesus já sabe como fará brilhar a luz. Em nossas inde- cisões, quando não sabemos o que fazer nem como agir, é bom conhecer o repouso da fé e lembrar que Jesus sabe como intervir. Ele tem seu plano traçado para nós e para os nossos; e, ainda que permita essas circunstâncias para nos experimentar, mede as dificuldades e, a seu tempo, nos fará sair vitoriosos.
Para nós, a prova amarga e interior está cheia de mistérios e dores que algumas vezes nos esmagam, mas devemos saber ver a prova de hoje como quem a contem- plará amanhã. Quando Deus nos pede atos de fé e obediência sem apoio visível, devemos andar e obedecer como fez Abraão, que partiu sem saber para onde ia. E, mais tarde, veremos que o Senhor já nos havia providenciado a saída do túnel, fazendo-nos entrar em uma obra previamente preparada, para nela prosseguirmos com toda a facilidade.
Sim, ele sabe o que fará! Assim como aos primeiros discípulos, Jesus nos pede para entregarmos aquilo que possuímos, mesmo sendo apenas cinco pães e dois peixes, e que façamos o que nos diz. Ele é o primeiro, e será sempre o primeiro a saber como nos livrar da dificuldade.
Quando Jesus nos chamou, em toda a nossa fraqueza e ignorância, sabia de antemão o que ia fazer! “Quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida” (Jo 8:12).
(Hugh E. Alexander, em “ORVALHO DA MANHÔ)

sexta-feira, 27 de junho de 2014

MAIS QUE SUFICIENTE
“Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o Senhor a
Abrão e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-poderoso; anda em minha presença
e sê perfeito.”
GÊNESIS 17.1
No hebraico, idioma original desse versículo do Antigo Testamento, está escrito: “Eu sou El Shaddai”. Deus Se revelou a Israel por sete nomes, que revelavam a aliança
que estabelecera, e uma dessas designações foi El Shaddai, que literalmente significa o Deus que é mais do que suficiente, ou o Todo-suficiente. Você será fortalecido em sua fé, se pensar em Deus como Aquele que é mais do que suficiente!
Em todas os episódios narrados no Antigo Testamento, Deus Se revelou como El Shaddai – o Deus que é mais do que suficiente. Quando, por exemplo, Deus livrou os israelitas da escravidão no Egito, os soldados do Faraó foram ao encalço deles para prendê-los e levá-los de volta à escravidão. De um lado dos israelitas havia o deserto; do outro lado, montanhas. Diante deles, havia o mar Vermelho. Tudo indicava que estavam encurralados, mas confiaram em Deus, no Deus que é mais do que suficiente, e Ele dividiu o mar! Os abismos coalharam-se no coração do mar (Ex 15.8)! As águas foram paralisadas! Estancaram-se em montão de cada lado, como se houvesse um muro impedindo o escoamento, e Israel atravessou, andando até ao outro lado. Nosso Deus é mais do que suficiente!
(Kenneth E. Hagin, em “ALIMENTO DA FÉ”)

quarta-feira, 25 de junho de 2014

QUÃO FORTE É DEUS?Ocupe-se com a natureza de Deus não com o tamanho dos seus próprios bíceps…A pergunta fundamental na vida não é: “Quão forte sou eu?”, mas “Quão forte é Deus?”. Foi o que Deus ordenou a Moisés. Lembra-se da conversa diante da sarça em chamas? O tom foi determinado na primeira sentença. “[...] Tire as sandálias dos pés, pois o lugar em que você está é terra santa” (Êx 3:5). Com essas quinze palavras Moisés foi matriculado num curso sobre Deus. Imediatamente os papéis são definidos. Deus é santo. Aproximar-se dele, por menor que seja a distância, é pretensão demais… Não se gasta tempo convencendo Moisés do que ele é capaz de fazer, mas se gasta muito tempo explicando a Moisés o que Deus é capaz de fazer.
Você e eu temos a tendência de fazer o oposto. Explicaríamos a Moisés que ele é a pessoa ideal para retornar ao Egito… Depois o lembraríamos de que ele é a pessoa perfeita para viajar pelo deserto… Gastaríamos tempo revisando com Moisés seu currículo e sua força.
Deus, porém, não age assim. A força de Moisés não é levada em conta. Não há palavras de estímulo, não há tapinhas nas costas. Nem ao menos uma palavra é proferida para recrutar Moisés. Mas muitas palavras são usadas para revelar Deus. A questão fundamental não é a força de Moisés, mas sim a força de Deus.
(Max Lucado, em “A GRANDE CASA DE DEUS”)

terça-feira, 3 de junho de 2014

PLATAFORMAS DE LANÇAMENTO 
Deus não coloca necessidades em nossas vidas a fim de sermos seres humanos incompletos e imperfeitos.
Essas necessidades existem dentro de nós de modo a compelir-nos a buscar a Deus e dependermos Dele para nos fazer inteiros e completamente produtivos e eficazes dentro de um plano maior e propósito que Ele tem para nós aqui na terra. Nossas necessidades, em outras palavras, tornam-se nosso potencial. Na solução e na superação de necessidades pelo poder do Espírito Santo, verdadeiramente entramos na plenitude de tudo aquilo para o qual fomos criados a realizar, alcançar e cumprir em nossas vidas. Nossas necessidades são plataforma de lançamento para concretizar o propósito para nossas vidas. Elas são o ponto de partida para aprendermos, crescermos, nos desenvolvermos e finalmente chegarmos à plenitude da estatura de Cristo Jesus.
Louve a Deus pelas necessidades que Ele colocou dentro de você. Elas são a evidência de que Deus está trabalhando o tempo todo para supri-las, e que Ele o ama bastante para querer que você se torne a pessoa com quem Ele deseja passar toda a eternidade.
(C. Stanley, em “NECESSIDADES NÃO ATENDIDAS”)

segunda-feira, 2 de junho de 2014



sábado, 17 de maio de 2014

CONFIANTES DURANTE O SILÊNCIO DE DEUS

Não importa quão bonita e brilhante seja nossa imaginação acerca do mundo e da vida que esperamos, Deus tem algo melhor reservado para nós. Porém, algumas vezes valorizamos tanto nossos sonhos que sequer conseguimos pensar em algo superior.
Não se esqueça de que nossa visâo e nosso conhecimento são limitados. Devemos ver as coisas do ângulo que Deus as enxerga a fim de observarmos os fatos de modo mais amplo e completo. Em Isaias está escrito:
Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que Nele espera.” (64:4)
Paulo citou este mesmo versículo de forma um pouco diferente para os cristãos de Corinto:
“Mas, como está escrito: as coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que O amam.” 1Co 2:9
A extensão e a beleza do que Deus planejou para nós estão além de nossa compreensão. Por isso á fé é tão importante. Ela nos ensina a esperar pelo melhor de Deus. Se formos fiéis , o Senhor revelará algo superior na Sua hora e da Sua maneira.
(Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ”)

segunda-feira, 5 de maio de 2014

SATISFAÇÃO REAL

“Meu Deus suprirá todas as vossas necessidades segundo as suas
riquezas na glória em Cristo Jesus”.”
Filipenses 4:19
Paulo dá esta promessa aos Filipenses somente depois de
enfatizar a eles que tinha achado a graça do Senhor suficiente em
tempos bons e ruins, em tempos de fartura e em tempos de
necessidade.
A chave para esta promessa não é apenas a provisão de
Deus, mas também nossa confiança Nele para satisfazer o que mais
precisamos em Cristo Jesus. Quando nossos corações anseiam estar
cheio Dele mais do que qualquer outra coisa, para sermos agradáveis a Ele,

para sermos abençoados pela Sua presença, para receber a segurança de vida além
da morte, seguramente podemos confiar que Ele nos dará tudo que realmente precisamos!
Deus é egocêntrico? Não, Ele apenas sabe que nossa essência só pode se sentir farta Nele.

Mesmo que tenhamos tudo que ansiarmos, não conseguiremos ser plenos se não tivermos
encontrado comunhão verdadeira com Ele.
(Portal Iluminalma )

sexta-feira, 2 de maio de 2014


sábado, 26 de abril de 2014

DE CABEÇA ERGUIDA  
“Tu, Senhor, me fazes andar de cabeça erguida.” (Sl 3.3.)
SE ESTAMOS DE CABEÇA baixa, só enxergamos o chão, as tiriricas, as florzinhas, os bichinhos, o pó da terra. Se estamos de cabeça erguida, só enxergamos o céu, as árvores, o palpável, a mesmice de sempre. Se estamos “cabiscimas”, só enxergamos o invisível , o além, o que o olho nunca viu nem o ouvido nunca ouviu. Se olhamos para baixo, vemos a terra se abrir para recolher o nosso corpo. Se olhamos para cima, vemos os céus se abrirem para recolher o nosso espírito.
É necessário aprender a mudar de postura, da cabeça baixa para a cabeça erguida, da atenção dada ao chão para a atenção dada aos céus, da fixação da morte para a fixação da ressurreição.
O salmista desprezava a cabeça baixa e valorizava a cabeça erguida. Dizia que era Deus quem o fazia “andar de cabeça erguida” (Sl 3.3).
De fato, Deus sabe substituir a cabeça baixa pela cabeça erguida. Ele sabe corrigir a anomalia do queixo caído. Quando Deus mostra o seu amor, a sua misericórdia, o seu perdão, o seu poder, a sua glória, a cabeça baixa se levanta. Quando Deus afasta o véu e deixa o cabeça-baixa ver o que ainda está para acontecer, a vontade de olhar para cima aumenta e a vontade de olhar para baixo diminui.
Afinal, qualquer providência para afastar para bem longe a melancolia da
cabeça baixa é sempre bem-vinda.
(Elben Lenz César, em “REFEIÇÕES DIÁRIAS COM O SABOR DOS SALMOS”)

quinta-feira, 24 de abril de 2014

O ARCO QUEBRADO

“Naquele dia quebrarei o arco de Israel no vale de Jezreel” (Os 1.5)
Quando a peça de maior valor se quebra, ficamos de pés e mãos amarrados. A peça de maior valor, a peça imprescindível, varia de uma pessoa para outra, de uma época a outra, de uma circunstância a outra. Pode ser uma atiradeira, um conjunto de arco e flechas, uma espada, uma espingarda, um revólver, um lança-bombas. Como também pode ser uma casa, uma dentadura, um veículo, um celular, um notebook.
Qualquer apetrecho experimentado e continuamente usado, quando é quebrado, gera insegurança e até pânico. Significa perder o imperdível.
Nessa hora de arco quebrado, de dentadura quebrada, de carro quebrado, de celular quebrado….da vida de cabeça para baixo, Deus nos deixa vazios, indefesos, humilhados e estáticos. Então começa a hora e a vez Dele agir!
(Elben Lenz César, em “ REFEIÇÕES DIÁRIAS COM OS PROFETAS MENORES”)

terça-feira, 22 de abril de 2014

PARCERIA SANTA 

Deus se recusa a executar Sua vontade sozinho; Ele quer que oremos antes de realizar a Sua vontade (Ele nos quer como parceiros). Assim, que é oração? É como segue: primeiro Deus tem uma vontade; segundo, tocamos Sua vontade; daí oramos, e, terceiro, enquanto oramos, Deus nos ouve e realiza aquilo que é, de fato, a Sua vontade.
Quão grande engano é pensar que, orando a Deus, o homem dá início às coisas que o próprio homem quer que Deus faça. A Bíblia mostra que primeiro é Deus que tem a vontade; é Ele quem deseja realizar determinada coisa. Ele nos dá a conhecer Sua vontade para que eu a declare. Isto se chama oração. É o próprio Jesus que nos ensina a orar, pois é o próprio Deus quem deseja que o Seu nome seja santificado, Seu reino venha e Sua vontade seja feita na terra. Mas Deus não fará que isso ocorra automaticamente; espera que Seus filhos orem.
Nós, filhos de Deus, nós que aceitamos Jesus como nosso único e suficiente Salvador, precisamos aprender este tipo de oração, para isso temos que ser sensíveis ao que Deus deseja realizar. Precisamos estar dispostos a interceder pelos demais e estar “antenados” para os “fardos de oração” que, por vezes, invadem nossos corações. O que são estes fardos? É uma necessidade (inexplicável) de orar por algo ou alguém.
Tal sensibilidade só ocorre quando nos colocamos nas mãos do Senhor, desejosos que Ele opere em nós e por meio de nós. É assim, como essa santa disposição que trazemos um pouco do Reino de Deus para a terra, e para as nossas vidas.
(Watchman Nee, em “O MINISTÉRIO DE ORAÇÃO DA IGREJA”)

sexta-feira, 18 de abril de 2014


O NOME DE DEUS EM SEU CORAÇÃO
“Torre forte é o nome do Senhor; para ela correrá o justo e estará em alto retiro” Pv 18:10
Quando você estiver confuso acerca do futuro, vá para o Jeová-Raá, seu atencioso pastor. Quando estiver ansioso quanto às provisões, fale com Jeová Jiré, o Senhor da providência. Está sendo desafiado pelos poderosos? Peça ajuda a Jeová-Shalom, o Senhor é paz. Seu corpo está enfermo? Suas emoções abaladas? Jeová-Rafá, o Senhor que cura, o contempla agora. Você se sente como um soldado encurralado atrás das linhas inimigas? Refugie-se em Jeová-Nissi, o Senhor é a minha bandeira.
Meditar acerca dos nomes de Deus lembrará a você as características do Senhor. Pegue estes nomes e guarde-os em seu coração.
Deus é O Senhor que guia,

O Senhor que provê,
a voz que na tormenta nos traz a paz,
O médico que cura o doente, e
a bandeira que guia o soldado.
(Max Lucado, em “A GRANDE CASA DE DEUS”)

domingo, 16 de março de 2014

SIGA O IMPULSO DE DEUS  
O que Annie Dillard diz sobre o trabalho de autores em seu livro “A Vida do Autor” é verdade sobre a vida: “Não segure o que é melhor para um lugar mais adiante no livro, ou para outro livro; dê, dê tudo, dê agora.”
Há o que se admirar na vida. Siga-o. Cace-o. Não escute o choramingar daqueles que se contentaram com uma vida de segunda categoria e querem que você faça o mesmo para que eles não se sintam culpados. Seu alvo não é uma vida longa – é uma vida vivida!
Você não pode ser criticado por aquilo que você não experimenta, não é? Você não pode cair se nunca escalar, não é verdade? Então, tome o caminho mais seguro. Ou… você pode seguir os impulsos de Deus. Ele diz “Aquele que tentar salvar a sua vida a perderá.” O tempo escapa. Os dias passam. Anos minguam. A vida termina. E aquilo que viemos fazer precisa ser feito enquanto há tempo!
(Max Lucado, em “ELE AINDA REMOVE PEDRAS”)

terça-feira, 11 de março de 2014


SE DESNUDE DIANTE DE DEUS 
“E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer” Lc 18:1
Se o povo de Deus não persistir em oração, será que Jesus encontrará fé na terra? O Senhor narra essas histórias para que entendêssemos a importância de persistir em oração. Precisamos aprender a orar com insistência, precisamos agarrar-nos a Deus até receber a resposta. Temos que orar e continuar orando, e abalar os céus até vermos a resposta de nossas petições. Essa persistência não tem como objetivo “acordar” Deus, nem implorar, nem fazer barganhas com Ele, nem convencê-Lo a nos dar o que pedimos. Ele já está convencido e desejoso de abençoar-nos, ajudar-nos e salvar-nos. Isso é do caráter Dele. Ele é que deseja acordar-nos e convencer-nos.
Além de ser persistentes em oração, precisamos também fazer orações incisivas e específicas. Em Marcos 10:46-52, encontramos a história do sego Bartolomeu que gritava enquanto Jesus passava pelas ruas de Jericó. Jesus foi até ele e perguntou: “Que queres que eu faça?”
Jesus gosta quando insistimos e não O largamos de mão, MESMO não recebendo uma resposta imediata, aliás seria melhor dizer – PRINCIPALMENTE quando não recebemos uma resposta imediata. Ele quer que insistamos e continuemos em oração. E quer também que façamos orações específicas. Hoje Ele ainda nos diz:
“O que queres que eu faça?”
Reconheço que nem sempre sabemos definir com precisão todos os detalhes de nossa petição, mas procuremos ser objetivos quanto ao que sentimos e necessitamos, devemos evitar orações vagas, cheias de religiosidade, orações sem “coração”. Devemos colocar todos os nossos sentimentos expostos em nossas orações diante do Senhor. Se estivermos pedindo algo que não entra em Seus planos para nós, Ele mudará nossa oração no decorrer do tempo. Mas, se orarmos em conformidade com Seus propósitos, Ele nos abençoará nos atendendo.
Devemos orar com destemor, certos que Deus responderá da melhor maneira para nós. Vamos abandonar as tradições religiosas e nos livrar de convenções para assim buscarmos a Deus “nus”, em total entrega e confiança. Se nos convencermos que Deus tem TOTAL interesse em TODAS as questões que envolvem nossa vida, oraremos assim. E se orarmos veremos Seu poder, repleto de amor, operar em cada problema, necessidade e aflição que enfrentamos.
(Dean Sherman, em “BATALHA ESPIRITUAL”)

sexta-feira, 7 de março de 2014

ALEGRIA AO SEU ALCANCE 

Existe uma deliciosa alegria que vem de Deus. Uma alegria cujas consequências não podem apagar. Circunstâncias não podem roubar a paz que vem dela.
Ele promete isto nove vezes. E o faz para um publico meio inesperado. Aqueles que choram. Os mansos. Os que têm fome e sede. Os misericordiosos. Os puros de coração. Os pacificadores. Os perseguidos. É para este bando de peregrinos que Deus promote uma bênção especial. Uma alegria celestial.
Mas esta alegria não é barata. O que Jesus promote não é um truque para lhe dar arrepios ou uma attitude mental. Não, Mateus capítulo 5 descreve a reconstrução radical do coração. Não é uma mudança de atitude acidental. É a demolição da antiga estrutura e a criação de uma nova.
Alegria de Deus. E está dentro de seu alcance. Você está a uma decisão de distância dessa alegria.
(Max Lucado, em “O APLAUSO DO CÉU”)

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

BEM ESTAR 
“Ponham-se nas encruzilhadas e olhem; perguntem pelos caminhos
antigos, perguntem pelo bom caminho. Sigam-no e acharão descanso.”

JEREMIAS 6.16
O que mais importa não é o fato que eu conheço a Deus, mas, sim, algo muito maior que está implícito neste conhecimento — ele me conhece. Eu estou gravado nas palmas de suas mãos. Nunca sou esquecido por Ele. Todo o meu conhecimento Dele depende da iniciativa permanente da parte de Deus em me conhecer. Eu O conheço porque Ele me conheceu primeiro e continua a me conhecer.
Ele me conhece como meu melhor amigo, na verdade Ele me conhece muito melhor que este amigo. Não há um único momento em que Ele tira seus olhos de mim ou que se distrai e me esquece; portanto, não há um momento sequer em que Ele deixa de cuidar de mim. Este é um conhecimento extremamente significativo. Há um indizível conforto — o tipo de conforto que nos dá poder, isto é, não nos enfraquece — em conhecer este Deus que está constantemente consciente de mim, cuidando de mim, para o meu bem, e não apenas para o meu conforto.
Há um conforto e bem estar imensos na consciência de que O Deus que criou o universo e a vida, e os mantém, permanece dia e noite ao meu lado. Não como um mordomo pronto a me atender, mas como um pai-parceiro, disposto a me ajudar a ser melhor.
(J. I. Packer, em “O CONHECIMENTO DE DEUS”)

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

COMO PEDIR FÉ SEM FÉ? 

“Peçam com fé e não duvidem de modo nenhum.” (Tg 1.6a)
Tiago acaba de dizer que Deus responderá à oração “porque é generoso e dá com bondade a todos”. Esse “todos” não inclui os crentes sem fé. Daí a exortação: “Tenham também coragem ao pedir e acreditem de verdade, sem pensar duas vezes” (1.6). Nesse caso, aquele que não tem fé deve primeiro suplicar por fé, e não por sabedoria ou qualquer outra coisa. Porém, como pedir fé se a oração sem fé não é válida? Como se pode pedir fé sem fé?
Talvez haja uma fé tão pequena quanto a substância ainda informe que está no útero de uma mulher que acabou de engravidar. É pequena, mas existe. Jesus não disse que a pequena fé, do tamanho de uma semente de mostarda, seria suficiente para transportar montanhas de um lugar para outro (Mt 17.20)? Os discípulos de Jesus não foram humildes e honestos para pedir ao Senhor: “Aumente a nossa fé” (Lc 17.5)? E o pai daquele endemoninhado não disse a Jesus: “Eu tenho fé! Ajuda-me a ter mais fé ainda!” (Mc 9.24)?
E se aquele que ora acha que nem a fé do tamanho de um embrião ele tem, ele pode começar a subir a montanha da fé confessando essa carência. Ele deve sentar-se entre os que creem e, desse modo, ser imperceptivelmente contagiado por eles. Ele deve se aproximar da Palavra de Deus, pois “a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem vem por meio da pregação a respeito de Cristo” (Rm 10.17, AS21). Ele deve levar a sério o que está registrado no livro do profeta Isaías: “Escutem, os que têm sede: venham beber água! Venham, os que não têm dinheiro [ou os que não têm fé]: comprem comida e comam! Venham e comprem leite e vinho, que tudo é de graça” (Is 55.1). Abraão não creu de uma hora para a outra. A fé do chamado “pai da fé” foi crescendo de lance em lance, de degrau em degrau.
Fé pequena não é uma sina!
(Devocional da Revista Ultimato)

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

OS FELIZES
Muitas pessoas são perseguidas, não por causa da justiça, mas por uma outra coisa qualquer.
Cuidado para você não fazer um falso juízo de si mesmo!
Alguns são perseguidos, insultados e mal-tratados por conta da sua personalidade desagradável, intratável e intolerável; outros por serem rudes, carrancudos, insensíveis, mal educados; outros porque são orgulhosos e críticos; outros porque são preguiçosos e irresponsáveis (alguém já disse que incompetência mascarada de piedade irá gerar perseguição!); outros por serem mentirosos e contadores de papo; outros por serem fanáticos religiosos e completamente desprovidos de sabedoria para abordar alguém, testemunhar e falar do Evangelho; outros por não terem o menor caráter; outros por causas que não valem a pena brigar e morrer.
Felizes são os que:
Reconhecem sua pobreza espiritual e mendigam diante de Deus;
Choram pelos seus e pelos pecados do mundo e os confessam diante de Deus;
Vivem mansamente e não revidam na mesma moeda, mas se aquietam, confiantemente, diante de Deus, a espera de sua justiça;
Têm fome e sede de justiça e santidade;
Perdoam e estendem misericordiosamente as mãos para ajudar;
Purificam os seus corações, querendo ver a Deus;
promovem a paz, do homem com Deus, do homem com o seu próximo.
Felizes são os que, por assim serem, e viverem, incomodam o mundo de tal maneira, a ponto de serem perseguidos!
Estes são de fato cidadãos do Reino de Deus!
(Pr Samuel Munguba Jr)

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

MUITO ALÉM O ÓBVIO

A realidade, pela minha experiência, além de ser complicada, costuma ser estranha. Ela não é clara, não é óbvia, raramente é do jeito que você esperava.
Por exemplo, quando você entendeu que a Terra e os outros planetas giram em torno do sol, você naturalmente achava que todos os planetas tivessem sido feitos para se emparelhar — todos com a mesma distância uns dos outros, ou pelo menos, a distâncias que proporcionalmente aumentam; que fossem do mesmo tamanho, ou pelo menos que fossem ficando maiores ou menores à medida que se distanciassem do sol. Na verdade, você não encontra explicação ou razão (que nós podemos ver) para os tamanhos nem para as distâncias. Alguns planetas têm uma lua; um tem quatro; outro, duas; alguns nenhuma e outro tem um anel.
A realidade costuma, de fato, ser algo que você jamais teria imaginado. Essa é uma das razões por que eu acredito no cristianismo. Trata-se de uma religião que você nunca teria conseguido inventar.
Pois é, DEUS é imprevisível..
(C. S Lewis, em “CRISTIANISMO PURO E SIMPLES”)

domingo, 16 de fevereiro de 2014

SOMOS LIMITADOS

Compreender que Deus age de forma inesperada é razão para reconhecermos nossos limites. Se insistirmos em pensar que devemos saber tudo ou que somos capazes de fazer qualquer coisa, continuaremos frustrando-nos, pois Deus não opera de acordo com as nossas diretrizes. Na realidade, aceitar as próprias limitações é uma experiência libertadora. É um dos elementos-chave da fé genuína.
Quando você tiver dúvidas sobre o que fazer, confie no Senhor. Quando nada fizer sentido algum, creia. Conhecer nossos limites nos liberta como nenhuma outra coisa o faz. Por que? Porque a fé do Reino submete suas limitações ao ilimitado Deus. Nas mãos Dele, nossas restrições se tornam forças. Paulo declarou que o poder de Deus se aperfeiçoa em nossas fraquezas, por isso falou:
“Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessedades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando estou fraco, então, sou forte.” 2Co 12:10
Conhecer nossas limitações nos faz confiar no poder de Deus e em Sua sabedoria, em vez de confiar em nossa capacidade particular.
Pedro pensou que poderia permanecer firme por Cristo usando sua própria força, mas falhou de forma humilhante quando o temor por sua segurança o levou a negar Jesus três vezes. Contudo, quando Pedro reconheceu suas fraquezas e as submeteu a Deus, ele se tornou um exemplo de fé, proclamando corajosamente o evangelho diante de reis e imperadores.
Confie suas limitações ao Deus ilimitado. Não insista em querer saber tudo. O que tiver de compreender, Ele lhe ensinará. Não fique frustrado por causa das coisas que não pode realizar. Toda vez que precisar fazer algo – o Senhor o capacitará. Deixe Deus ser Deus em sua vida. Permita que o guie quando você estiver pronto.
“SENHOR, o meu coração não se elevou nem os meus olhos se levantaram; não me exercito em grandes matérias, nem em coisas muito elevadas para mim. Certamente que me tenho portado e sossegado como uma criança desmamada de sua mãe; a minha alma está como uma criança desmamada.” Sl 131:1-2
(Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ”)

sábado, 15 de fevereiro de 2014

AMOR E BONDADE

HÁ bondada no amor; mas amor e bondade não são sinônimos; e quando a bondade é separada dos demais elementos do amor, ela envolve uma certa indiferença em relação ao objeto da sua benevolência, ou até mesmo certo conformismo em relação a ele.
A bondade se dispõe de forma bastante rápida à remoção do seu objeto – todos nós já encontramos pessoas cuja bondade em relação aos animais as leva a matá-los para evitar que sofram. A bondade pura e simples não se importa se o seu objeto vem a ser bom ou mau, contanto que ele escape do sofrimento.
De acordo com as Escrituras são os bastardos que são mimados; os filhos legítimos, que têm a incumbência de levar adiante a tradição da família, acabam sendo disciplinados (Hb 12.8). É para as pessoas com as quais não nos importamos nem um pouco que pedimos felicidade incondicional. Quando se trata dos nossos amigos, cônjuges, e filhos, somos exigentes e preferimos muito mais vê-los sofrendo do que vivendo em uma felicidade conformada e alienante.
E parece, a julgar pelos registros, que apesar de Deus ter nos repreendido tantas vezes, Ele jamais se referiu a nós com desprezo. Ele nos recompensou pela extravagante benevolência do seu amor por nós, no sentido mais profundo, mais trágico, mais inexorável.
(C. S. Lewis, em “O PROBLEMA DO SOFRIMENTO”)

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

DEUS LIDA COM IMPOSSIBILIDADES
Deus lida com impossibilidades. Nunca é tarde para Ele operar, quando um impossível Lhe é trazido em inteira certeza de fé, por alguém em cuja vida e circunstâncias precisa realizar-se o impossível para que Deus seja glorificado.
Tem sido dito muitas vezes, e com verdade, que o cristianismo é a única religião que pode resolver a questão do passado do homem. Deus pode “restituir… os anos que o gafanhoto comeu” (Jl 2.25); e Ele o fará quando pusermos toda a situação, e a nós mesmos, confiantes e sem reservas, na Sua mão. E isto, não por causa do que nós somos, mas do que Ele é. Deus perdoa, e sara, e restaura. Ele é “o Deus de toda a graça”. Louvemos o Seu nome, e confiemos Nele.
Nós temos um Deus que se deleita nos impossíveis. Nada é difícil
demais para Ele. Nós temos um Deus que reina absoluto e resoluto sobre tudo e para Ele tudo, simplesmente tudo, lhe é possível, tratável, modificável, curável e realizável.
“Crê tu nisso?” Creia e verás maravilhas!
(Andrew Murray, em “A VIDA INTERIOR”)

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

A FORÇA DA FÉ
Durante a Segunda Guerra Mundial, alguns pobres e perseguidos políticos se refugiaram em um porão escuro e frio da Alemanha. Quando as tropas dos exércitos aliados libertaram a Europa do jugo nazista, achou-se inscrito numa das paredes daquele triste refúgio:
Creio no sol, mesmo que não brilhe.
Creio em Deus, mesmo que permaneça em silêncio.
Creio no amor, mesmo que se oculte.
As energias que brotam no coração, fascinam. Conhecemos a força de vontade e o poder do pensamento positivo. Sabemos também que as palavras possuem vida própria. A mais poderosa de todas as nossas energias, porém, vem da fé. Ela é dom. Com fé, o espírito triunfa sobre a matéria. A fé invoca o eterno sobre o temporal. Nela, a vida vibra. Fé revela que pontos de interrogação têm valor. Fé zomba da certeza – toda certeza encurta os horizontes e somente a dúvida alonga os anseios do coração para além do horizonte. Fé diz não ao grito do desespero. Fé se faz cega ao escárnio da impossibilidade.
Com fé, cremos na força subjetiva do caráter. Quando se manifesta, agimos semelhantes ao homem que num incêndio se joga no vazio, sem ter absolutamente nada senão a voz do bombeiro que orienta o salto. Todo o cristão é um cego, obstinado a dizer sim, quando todos os indícios evidenciam um não.
Fé faz com que as pessoas se comportem como a mãe quando entregou o filho nas mãos do cirurgião. A única garantia que esta mãe possuía era o médico ser uma extensão do seu amor. Pela fé, ela nada tem senão amor como guia. Fé é sempre uma aposta: Deus não desistirá de nós em tempo algum. A única certeza da fé descansa na fragilidade de um querer bem gratuito e unilateral.
Jesus falou a um homem ansioso e decepcionado com a vida: Se creres verás a glória de Deus. Semelhante a ele eu creio. Faltam-me evidências, por isso creio. Minha fé mora além da razão. Por uma tênue intuição, percebo: a glória que o nazareno prometeu pode ser traduzida como esperança, paz ou descanso.
(Soli Deo Gloria-Pr Ricardo Gondim )

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

ENXERGUE-SE COMO REALMENTE É

O enigma sombrio da vida é iluminado em Jesus; o significado, o propósito e o alvo de tudo o que nos sucede, e como fazer que tudo valha a pena só podem ser aprendidos com o Caminho, a Verdade e a Vida. Nada que exista pode existir fora dos limites de sua presença; nela nada é irrelevante, tudo adquire importância.
A tristeza de Deus reside em nosso medo Dele, da vida e de nós mesmos. Como o pai que acolhe os filhos nos braços ao fim de um dia longo e cansativo, assim Deus anseia envolver-nos em seu abraço. Qualquer que tenha sido seu passado ou presente, venha; recline-se no abrigo do amor que Ele oferece e escute o pulsar do coração do Mestre. Permita que Ele lhe ensine sobre a vida, e sobre a eternidade como filho querido de Aba. Sem titubear, enxergue-se como realmente é. Então observe quem você está destinado a ser à medida que transita pela terra como filho de Deus nesta jornada chamada “vida”.
“Não tente segurar a mão de Deus; deixe que Ele segure a sua. Deixe que Ele cuide do `segurar’ enquanto você se concentra no `confiar’.”
(H. William Webb-Peploe)

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014


 PURA SINTONIA 
Preciso ouvir a voz de Deus todos os dias, e quero ouvir a Sua voz a respeito de TUDO. Para ouvir a Deus, precisamos estar dispostos a esperar pela sabedoria, movidos por uma paixão de querer a vontade Dele mais que qualquer outra coisa.
Ouviremos Deus muito mais claramente se estivermos determinados a não nos mover no calor das nossas emoções e desejos. Seremos abençoados se esperarmos e nos certificarmos de que ouvimos a Deus antes de dar qualquer passo. Só então devemos fazer o que Deus nos instruindo a fazer, mesmo que nos doa, mesmo que nos custe algo.
Aprenda a esperar. As emoções que sobem e nos enchem de energia cairão, e a energia emocional não nos levará para onde realmente precisamos ir. Precisamos da energia de Deus, que é a determinação do Espírito Santo para avançarmos e fazermos o que Deus disse.
Deus tem uma vontade e um plano para todas as pessoas. Cada pessoa precisa descobrir o que Deus quer que ela faça, e depois esperar o tempo Dele para fazê-lo.
“Como é feliz o homem que me ouve, vigiando diariamente à minha porta, esperando junto às portas da minha casa. Pois todo aquele que me encontra, encontra a vida e recebe o favor do Senhor. Mas aquele que de Mim se afasta, a si mesmo agride.” Pv 8:34-36.
Podemos perder o melhor de Deus por estarmos com pressa de conseguirmos o que queremos. Se não esperarmos, principalmente nas áreas mais importantes, traremos problemas às nossas vidas. PACIÊNCIA é estar cada vez mais sintonizado com Deus em todo o tempo.
(Joyce Meyer, em “COMO OUVIR A VOZ DE DEUS” )

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

FÉ INFANTIL E FÉ PUERIL 

O salmo 131, um dos mais curtos, mostra a diferença entre a confiança pueril e a confiança infantil em Deus:
Senhor, o meu coração não é orgulhoso e os meus olhos não são arrogantes. Não me envolvo com coisas grandiosas nem maravilhosas demais para mim.
De fato, acalmei e tranqüilizei a minha alma. Sou como uma criança recém-amamentada por sua mãe; a minha alma é como essa criança.
Ponha a sua esperança no Senhor, ó Israel, desde agora e para sempre!
O cristão deve ser não como uma criança que chora desesperada para mamar, mas como uma criança recém-amamentada que dorme ao lado da mãe, feliz por estar com ela. E, exatamente como a criança aos poucos perde o hábito de considerar a mãe a única fonte de satisfação de seus desejos e aprende a amá-la por si mesma, o cristão, depois de lutar, chega ao estado de espírito no qual anseia por Deus em Si mesmo, e não como meio de satisfação de seus desejos. O centro gravitacional da sua vida mudou.
Dependência doentia versus confiança pueril. Com frequência sinto que estou andando em uma corda bamba entre fé infantil e a fé pueril. A diferença, contudo, é crucial: um tipo de fé me mantém em infância perpétua, enquanto a outra conduz a um relacionamento adulto com Deus.
Philip Yancey, em “O DEUS (IN)VISÍVEL”

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

AS TATUAGENS DE DEUS

“Para onde poderia eu escapar do Teu Espírito? Para onde poderia fugir da Tua presença? Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura também lá estás. Se eu subir com as asas da alvorada e morar na extremidade do mar, mesmo ali a Tua mão direita me guiará e me susterá.” (Salmos 139: 7-10)
Às vezes tentamos arduamente entrar na presença de Deus, mas a verdade é que é impossível se esconder Dele. Ele está constantemente nos buscando. Talvez você sinta que o Senhor não está perto de você, mas é por isso que é tão importante conhecer a Palavra. O profeta Isaías fez uma reclamação perante o Senhor, contando-lhe o que o Seu povo dizia: “Mas Sião diz: O Senhor me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim”. E o Senhor responde ao povo: “Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas das minhas mãos te gravei; os teus muros estão continuamente perante mim” (Isaías 49: 14-16).
Os pais não foram os primeiros a terem a ideia de carregar sempre fotos de seus filhos – Deus carrega uma foto de Seus filhos por toda a parte. Da próxima vez que questionar seu valor como pessoa, lembre-se que Deus tem uma foto sua tatuada nas palmas de Suas mãos.
(Joyce Meyer, em “PAZ”)

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014