quarta-feira, 30 de maio de 2012

 
“Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o Senhor, planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.” (Jeremias 29:11)
Acho que todo cristão deveria guardar Jeremias 29:11 na memória: “Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor, “planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.”
É interessante considerar o pano de fundo dessa declaração. Quando Deus disse isso para o Seu povo, os judeus, eles estavam vivendo como escravos na Babilônia. Para eles, o mundo tinha acabado, porque eles achavam que não tinham futuro. Provavelmente acreditavam que Deus havia se esquecido deles, mas Deus assegurou-lhes seu futuro ao dizer: “Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor, “planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.”
Talvez você esteja enfrentando o mesmo dilema – sente-se esquecido e abandonado por Deus. Tenha esperança no fato de que, apesar da condição dos judeus na Babilônia, Deus ainda tinha um plano e um propósito para suas vidas. A nação de Israel precisa atravessar aquela situação para ser aprimorada. Não era porque Deus os odiava, mas porque Deus os amava.
Então, porque o Senhor lhe ama, porque você é Seu filho, Ele fará o que for necessário em sua vida para que você se torne a pessoa que Ele quer que você seja. As situações difíceis pelas quais passamos ocorrem para que aprendamos algo, são bigornas nas mãos do Senhor para nos moldar, nunca para nos destruir. Na próxima vez que você sentir que Deus se esqueceu de você, lembre-se de Jeremias 29:11.
(DEVOCIONAIS DIÁRIOS)
 COMANDO

É duas vezes melhor para nós pensarmos em Deus do que pensarmos em qualquer outra pessoa ou coisa. Deus quer que comecemos e terminemos nossas orações pensando nEle. Quanto mais focados estivermos nas coisas lá do alto, mais inspirados estaremos aqui na terra.
Ampliar. Ao ampliar um objeto, você o aumenta para que possa entendê-lo. Quando ampliamos Deus, fazemos o mesmo. Aumentamos nossa consciência acerca dEle para que possamos entendê-lo melhor. É exatamente isso o que acontece quando adoramos – tiramos nossa mente de nós mesmos e a colocamos em Deus; a ênfase está nEle.
Gosto do modo como a ultima frase da Oração do Senhor é traduzida na The Message [a mensagem] (Mateus 6.13):
“Você está no comando! Você pode fazer o que quiser! Você resplandece na beleza!”
Poderia ser mais simples? Deus está no comando! Este conceito não é estranho para nós. Sabemos o que significa estar no comando de um restaurante ou de uma loja. Mas e estar no comando do universo?
Há muitos exemplos acerca da autoridade de Jesus, mas só mencionarei um de meus favoritos. Jesus e os discípulos estão em um barco atravessando o mar da Galiléia. Uma tempestade surge de repente, e o que era calmo fica violento – ondas terríveis se levantam do mar e batem na embarcação. Enquanto os discípulos se angustiam, Jesus dorme (ELE DORME!). Como Ele pode dormir em um momento como esse? Ou, como perguntaram os discípulos: “Mestre, não te importas que morramos?” (Marcos 4.38).
A tempestade que deixou os discípulos em pânico o deixa com sono. O que pôs medo nos olhos deles o pôs para dormir. O barco era um tumulo para os seguidores de Jesus e um berço para Cristo. Como Ele podia dormir durante a tempestade? Simples – Ele estava no comando do barco.
“Ele, se levantou, repreendeu o vento, e disse ao mar: “Aquieta-te! Acalme-se!” O vento se aquietou, e fez-se completa bonança.” Mc 4:39
Incrível. Ele não entoa um mantra ou balança uma varinha mágica. Nenhum anjo é chamado; nenhuma ajuda é necessária. O mar enfurecido se acalma no mesmo instante. Uma calma imediata. Nem uma onda. Nem uma gota. Nem uma rajada de vento. Em um instante, o mar deixa de ser uma torrente agitada para ser um lago tranqüilo.
É de admirar que os discípulos estivessem dispostos a morrer por Jesus? Eles nunca haviam visto tal poder; nunca haviam visto tal gloria É justo que eles declarem a autoridade de Jesus. É justo que façamos o mesmo. E, quando o fazemos, declaramos sem duvida: o governador do universo governa nossa vida e nosso coração.
(Max Lucado, em “DIAS MELHORES VIRÃO”)

domingo, 27 de maio de 2012

A VITÓRIA É MARAVILHOSA!

“Porque nós, os que temos crido, entramos no repouso [...]” Hb 4.3
No decurso dos anos, tenho passado maravilhosamente com Deus atuando em meu favor, simplesmente deixando-O realizar a obra.
Durante mais de meio século transcorrido, desde o dia em que aprendi a respeito da fé e sobre o que a Bíblia diz: “Nós, porém, que cremos, entramos no descanso”, tenho ficado em estado de descanso. Assimile aquilo que essa Escritura diz! Não diz que entramos em um estado de medo, aflição, queixumes, preocupação ou brigas. Não! Diz que entramos no descanso.
Faz mais de 50 anos que não entro em uma luta. Quando alguém me pergunta: “Como vai à peleja?”, sempre respondo: “A vitória é maravilhosa!” Não há peleja. Estou na vitória. A fé sempre tem bom testemunho!
Interiorize, repita sempre que preciso, e viva essas palavras: Tenho crido. Sou um daqueles que crêem; logo, entro no descanso. Estou em estado de repouso. Ajo como quem entrou no descanso. Não tenho medo nem aflição. Não me preocupo. Não me queixo. Não pelejo. A peleja é do Senhor. A vitória é minha. Estou na vitória”.
(Kenneth E. Hagin, em “ALIMENTO DA FÉ”)

sábado, 26 de maio de 2012

UMA QUESTÃO DE PAZ




“Vocês sairão em júbilo e serão conduzidos em paz…” (Isaías 55:12)
Deus não somente fala conosco através de Sua palavra, e Ele não fala conosco somente através de pessoas e circunstâncias, mas Deus também fala conosco através de Sua paz. Colossenses 3:15 diz: “Que a paz de Cristo seja o juiz em seus corações, visto que vocês foram chamados a viver em paz, como membros de um só corpo. E sejam agradecidos.” Uma outra maneira de se traduzir o versículo seria: “Que a paz de Cristo seja o juiz em seu coração, estabelecida de maneira definitiva em todas as questões que possam surgir.”
A paz de Deus pode agir como um juiz em sua vida. Ele pode estabelecer qual atitude você deve ter. É assim que funciona: talvez você pense que alguma coisa seja a vontade de Deus. Ocasionalmente, as coisas têm se saído bem. Você prossegue, mas então você se sente totalmente sem paz. Alguma coisa dentro de você diz: “Não faça isso.”
O Antigo Testamento conta a história de um grupo de pessoas inteligentes conhecidas como Gibeonitas, que viviam em Canaã. Deus instruiu Josué a não fazer nenhum acordo com o povo daquela terra. Então os Gibeonitas vestiram roupas e sapatos velhos e se fizeram passar por pessoas vindas de um país distante. Eles disseram a Josué que vieram para entrar em um acordo com ele. E Josué, inconscientemente, entrou em acordo com seus inimigos, pois falhou ao não consultar o Senhor.
As coisas podem parecer bem externamente. Tudo pode parecer bem. Tenha cuidado. Aprenda a escutar àquela, ainda pequena, voz. Aprenda a prestar atenção àquela paz (ou à falta dela) porque ela é aquela por cujos caminhos Deus o irá conduzir. Quando você estiver na vontade de Deus, você terá a Sua paz.
(Portal Devocionais Diários)

quinta-feira, 24 de maio de 2012

O SUPRIDOR

“Meu Deus suprirá todas as vossas necessidades segundo as suas riquezas na glória em Cristo Jesus.” Filipenses 4:19
O Deus da Bíblia é um Deus pessoal, embora não privatizável. Paulo fala a partir de sua experiência pessoal, de quem teve suas necessidades supridas por este Deus. Paulo não está só: a expressão aparece 136 vezes na Bíblia. É assim que devemos pensar em Deus: meu Deus, meu Senhor, meu Pai. Um Deus pessoal quer dizer um Deus que se relaciona. Podemos falar com Ele. Podemos ouvi-lO falar conosco.
Podemos crer num Deus inefável, ou num Deus afável. Podemos crer num Deus distante, ou num Deus próximo. O Deus inefável e distante não pode fazer nada por nós. O Deus afável e próximo é o Deus que, de fato, existe, como revelado por Jesus Cristo. Há um único Deus, mas Ele se relaciona conosco individualmente, o que quer dizer que se revela a nós como nós somos, no lugar onde estamos, no modo como nos sentimos. Só precisamos estar atentos.
Deus é ativo. Onde há uma necessidade, Ele entra em ação. Ele tira dos seus depósitos os dons que reparte. E seus depósitos são inesgotáveis.
É com o verbo “suprir” que Ele sustenta o universo. É com este verbo que Ele supre a cada um de nós. Suprir é encher de novo; é acrescentar o que falta. Deus faz mesmo isto conosco.
Quando o povo de Israel peregrinava pelo deserto, para suprir suas necessidades de água, Deus fez ela brotasse e jorrasse em torrentes de uma rocha. Mesmo assim, pouco depois o povo perguntou: nosso Deus “conseguirá também dar-nos de comer? Poderá suprir de carne o seu povo?” (Salmo 78.20).
Que não tenhamos a mesma atitude dos hebreus antigos. Precisamos saber que “Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come também lhes suprirá e multiplicará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça” (2Coríntios 9.10).
(PORTAL PRAZER NA PALAVRA)

quarta-feira, 23 de maio de 2012



DEUS É MAIOR

“Pois quem conheceu (ou compreendeu) a mente (os conselhos e propósitos) do Senhor, que o possa instruir (guiá-lo e orientá-lo)?”  1CORÍNTIOS 2. 16
Não é trabalho seu dar orientações, conselhos e direção a Deus.
Seu trabalho é ouvi-Lo dizer lhe o que está acontecendo e o que você tem de fazer a respeito, deixando o resto para Ele fazer de acordo com o Seu conhecimento e a Sua vontade, e não conforme sua própria vontade.
Deus é Deus, e você, apenas, um ser humano, limitado pelo tempo e o espaço. Você precisa reconhecer, de fato, essa verdade e simplesmente confiar-se a Ele, porque Ele é maior do que você em todos os sentidos. Ele é maior que tudo, maior que seu problema, maior que suas impossibilidades, maior que a maldade do mundo, maior que qualquer situação desesperadora.
Você foi criado à imagem Dele, mas Ele é quem está acima e além de você. Os pensamentos e caminhos Dele são mais altos do que os nossos. Assim, exercite sua audição espiritual para ouví-Lo, seja-Lhe obediente, e Ele lhe ensinará o caminho que deve seguir.
Despeje sobre Ele seus problemas, libertando-se do peso de todas as suas cargas e durma tranquilamente.
(Joyce Meyer, em “DIRETO DO CORAÇÃO”)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

DÁDIVAS SÃO PARA SER VIVIDAS

“Por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas” Hb 11:33
Na Bíblia temos 8.810 promessas que estão divididas em seis categorias específicas. Dessas 8.810 promessas encontramos seis tipos de promessas: promessas de salvação, promessas do Espírito Santo, promessas de orações respondidas, promessas de ajuda temporal, promessas de fortaleza e promessas do céu.
Se não fosse desejo de Deus que nós nos apossássemos de todas essas promessas, por que Ele as fez? Ele QUER que você e eu tomemos posse de todas as coisas lindas, boas e maravilhosas que Ele criou para nós.
Obviamente, aquele que tem a Palavra do Senhor como regra de fé, crê e deseja receber as promessas que o Senhor tem para os seus filhos. E para tomar estas promessas de Deus é preciso transformá-las em realidade, trazendo-as à existência por meio da fé.
Caminhe em fé para ter as promessas do Senhor, pois Ele honra os que o honram. Digo isso com propriedade. Eu fui e sou muito honrado por Deus. O meu Pai pode fazer infinitamente mais do que se pode imaginar, porque ele é Deus.
Por isso não desanime! Tome posse das promessas, pela fé. Homens dos quais o mundo não é digno são homens que vencem reinos, praticam a justiça, obtêm as promessas. Dependa de Deus. Dependa da suficiência de Deus. Aproxime-se Dele, dizendo: “Senhor, eu preciso de ti”.
O salmista Davi disse: “Eu sou pobre e necessitado.” A necessidade e pobreza aqui mencionadas não se referem à questão financeira, mas em entender a pequenez diante de Deus, do quão se é dependente do Senhor. Dependa de Deus, porque o mundo não é digno de pessoas como você, que da fraqueza, pela fé, tira força.
(Márcio Valadão, em “VIVER PELA FÉ”)

sábado, 19 de maio de 2012

SOBERANO, DE FATO!




Deus é SOBERANO. Você considera isso verdade? Vou considerar que você, como eu< concorda com tal acertiva.
Então, faço outra pergunta – O que significa para você a soberania de Deus?
A soberania de Deus me livra da ansiedade. Ela não elimina minhas perguntas. Ela dissipa minha ansiedade. Quando descanso nela, fico livre das preocupações.
Segundo, a soberania de Deus me liberta das explicações. Não preciso ter respostas para todas as perguntas. Fico tranquilo em dizer para algumas pessoas em tempos difíceis: “sabe, eu não sei. Não sou capaz de revelar o plano de Deus nesta situação”.
Terceiro, a soberania de Deus me afasta do orgulho. Assim como qualquer outro ser humano, tenho muitas e muitas dificuldades. Tenho muitos pecados – pecados recorrentes – que me afligem. Pecados com os quais luto e confesso diante de Deus. Mas preciso lhe dizer que por causa da minha firme confiança na soberania de Deus, o orgulho não é uma questão importante para mim. Nunca penso em ser orgulhoso. A soberania venceu a batalha de uma vez por todas! Em vez disso, sou grato por Deus ter me dado o fôlego da vida e a capacidade de pensar, de ministrar e de servir.
(Charles Swindoll, em “O MISTÉRIO DA VONTADE DE DEUS”)

terça-feira, 15 de maio de 2012

SUBMISSÃO E FÉ

Há pessoas que entendem que Deus só responde a orações feitas com plena convicção que Ele fará o que é pedido. Qualquer dúvida quanto a isso é falta de fé e motivo para Deus não responder àquela oração. Há pessoas que até alegam que outros não foram curados porque faltou a plena fé que era isso mesmo que Deus queria.
Jesus ao passar por um momento crucial da sua vida, orou assim, lá no jardim do Getsêmani: “Pai, se queres, passa de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, e sim a tua” (Lucas 22.42). Será que estava faltando fé em Jesus? O que é realmente orar com fé?
Observamos ainda Hebreus 5.7:  “Durante os seus dias de vida na terra, Jesus ofereceu orações e súplicas, em alta voz e com lágrimas, àquele que o podia salvar da morte, sendo ouvido por causa da sua reverente submissão.”
Como podemos orar assim como Jesus orou: com toda fé e ao mesmo tempo com toda submissão à vontade de Deus? O que requer mais fé: pedir um milagre, ou se submeter e aceitar a vontade de Deus quando aquela vontade pode significar a ausência do milagre? O que foi mais difícil para Jesus: Acreditar no poder do Pai, ou aceitar o cálice amargo da cruz?
Porque Jesus orou assim, Ele levantou-se pronto para fazer a sua parte. E você, como tem orado a Deus? Com essa fé submissa?
Se estivermos orando assim, não ficaremos revoltados. Mas, estaremos prontos para aceitar e fazer a vontade de Deus, não como um peso, mas com aquela certeza resoluta e gratificante, com a qual Jesus se levantou do jardim para abraçar a cruz.
Que o Senhor nos ajude a sermos tão confiantes em nosso Deus e Pai como Jesus foi; e ao mesmo tempo, submissos, obedientes e resolutos para aceitar a Sua vontade (que é sempre “boa, agradável e perfeita” Rm 12:2 ). E assim o nosso Deus seja glorificado por essa fé que, sem imposições ou exigências, confia e se submete sempre à vontade do Senhor. Pessoas que possuem essa fé, realmente confiam em Deus e fazem a oração de fé.
(PORTAL HERMENÊUTICA)

domingo, 13 de maio de 2012

ANDANDO SOBRE AS ÁGUAS

“E o barco estava já no meio do mar, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário; Mas, à quarta vigília da noite, dirigiu-se Jesus para eles, andando por cima do mar. Jesus, porém, lhes falou logo, dizendo: Tende bom ânimo, sou eu, não temais.E respondeu-lhe Pedro, e disse: Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas.E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus.” Mateus 14:27-29
O ousado não aguenta ver o sobrenatural  à distância, ele quer vive-lo. Existiam riscos para sair do barco, mas também uma oportunidade de viver algo acima da média. Uma pessoa ousada (em Jesus) vê oportunidades em vez de impossibilidades.
Se Pedro não pedisse a Jesus para liberar uma palavra, 28  provavelmente Jesus chegaria até o barco, se juntaria aos discípulos e continuaria o trajeto, e Ele seria a única pessoa a ter andado por sobre as águas, mas Pedro provocou Jesus a liberar uma Palavra. Ele disse: “Se és tu mesmo, manda-me ir tter contigo.” (Mt 14.28.) Perceba, Pedro atrelou a identidade de Jesus ao liberar de sua Palavra. Ele sabia que Jesus gostava de fazê-los participar dos milagres. Em cima dessa Palavra ele tinha lançado suas redes e provado o sobrenatural. De alguma forma, Pedro reparou que Jesus não queria ser o único a realizar milagres, Ele queria ser o primeiro de muitos que fariam suas mesmas obras e outras maiores ainda.
Deus está levantando em nossos dias, pessoas que não estão esperando  que Jesus chegue ao barco, mas que estão indo ao encontro dEle. Uma geração de provocadores de milagres. Pessoas que estão pedindo ao Senhor: “Libere uma Palavra”. Não querendo mais uma vida comum, igual a todo o mundo. Uma geração ousada.
“Alarga o espaço da tua tenda; estenda-se o toldo da tua habitação, e não o impeças; alonga as tuas cordas e firma bem as tuas estacas. Porque transbordarás para a direita e para a esquerda; a tua posteridade possuirá as nações e fará que se povoem as cidades assoladas.” (Is 54.2-3.)
(Drummond Lacerda, em “OUSADIA ALÉM DAS CIRCUNSTÂNCIAS”)

sábado, 12 de maio de 2012

VAI PASSAR!

“Ainda que eu ande pelo vale (profundo e escuro) da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão(tua vara para me proteger) e o teu cajado(para me guiar) me consolam.” Sl 23. 4
O salmista Davi disse que ele passava pelo vale da sombra da morte. Eis o que você deve fazer em todas as situações e circunstâncias de sua vida. Você deve se lembrar de que você deve apenas passar por ali.
Quando você se sente como se estivesse preso a uma situação que nunca vai mudar, permita que Deus o leve a passar por ela. Quando aquela voz malígna sussurrar: “Você está preso a isso”, ousadamente diga: “Você está errado! Estou apenas passando por aqui”!
Sadraque, Mesaque e Abedenego foram lançados na fornalha ardente, mas Deus os fez passar em segurança pelo fogo. (Veja Daniel 3). A Palavra diz que Deus proverá essa mesma proteção e libertação a todos que colocam sua fé e confiança Nele. Assim, creia nisso enquanto passa pelo vale da sua própria situação.
(Joyce Meyer, em “EU DESAFIO VOCÊ”)

sexta-feira, 11 de maio de 2012

 NO ÚLTIMO SEGUNDO DO SEGUNDO TEMPO…

Isto nunca falha, não é? As coisas não são como parecem. Quando você pensa que não podem ficar piores, elas ficam.
Mas, para os que se sustentam em Deus, também é verdade que, quando tudo parece perdido, as coisas mudam. Gosto das duas primeiras palavras de Ester 6.1: “Naquela noite”. As coisas são assim com Deus. Na última hora, Ele interfere e faz o inesperado. Quando ninguém parece notar e se importar, Ele nota e se importa. “Naquela noite”.
Um princípio teológico magnífico sublinhado repetidamente nas Escrituras é este: Quando Deus parece ausente, Ele está presente. Mesmo quando você pensa que perdeu tudo, Deus usa o fato como uma oportunidade para despertá-lo para a compreensão de que ele se encontra no controle, assim como para levá-lo a ajoelhar-se.
“Deus não é injusto; Ele não se esquecerá do trabalho de vocês e do amor que demonstraram por Ele, pois ajudaram os santos e continuam a ajudá-los.” Hebreus 6.10
Admiro estas palavras: “Deus não é injusto” e “não se esquecerá”. Quando mais ninguém nota, pode ficar certo, Deus observa. Quando ninguém mais lembra, Deus se lembra para que o fato não seja esquecido.
Você sente que Deus tem estado ausente em sua vida, de alguma forma distante? Quero lembrá-lo disto: Ele pode ter parecido ausente para você, mas tem estado presente o tempo todo. Além disso, Ele conhece o seu coração. Sabe a verdadeira condição da sua alma. Sabe de tudo. Mas Ele ouviu o seu clamor e não vai rejeitá-lo.
(Charles Swindoll, em “ESTER – HERÓIS DA FÉ”)
FIDELIDADE
“Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos” Malaquias 3:6
A palavra fiel vem do hebraico aman e do grego pistós. As duas palavras comunicam a ideia de certeza ou estabilidade.
Uma ilustração apropriada seria uma coluna forte que sustém o peso de um edifício ou os fortes braços de um pai que sustém e protege o seu filho indefeso.
Quando a palavra fiel é utilizada em referência a Deus, significa que Ele é digno de absoluta confiança e que o Seu povo pode depender Dele sem dúvida ou reservas. É importante entender que Deus é fiel, não porque Ele faz tudo o que o Seu povo deseja, mas porque Ele faz tudo o que prometeu.
Deus é fiel no Seu amar e, por nos conhecer nos pormenores que nós mesmos desconhecemos, Ele é fiel em nos dar o que verdadeiramente precisamos.
Ele é fiel em nos guardar, nos proteger, nos conduzir, nos ensinar e, é claro, em nos abençoar. É fiel com os que depositam suas vidas em Seu Altar e sabem pacientemente viver sob Sua orientação.
“Porque o SENHOR dos Exércitos o determinou; quem o invalidará? E a sua mão está estendida; quem pois a fará voltar atrás?”  Isaías 14:27
(Paul Washer, em “O ÚNICO DEUS VERDADEIRO”)

quinta-feira, 10 de maio de 2012

JÓIAS PRECIOSAS


Você pode conversar com Deus porque Ele ouve.
Sua voz é importante no céu. Ele o leva muito a serio. Quando você está na presença de Deus, Ele está escutando sua voz. Você não precisa ter medo de ser ignorado. Ainda que você gagueje ou tropece, ainda que o que tenha a dizer não impressione ninguém, Deus irá se impressionar – Ele vai ouvir. Ele ouve a suplica aflita dos idosos na casa de repouso; ouve a confissão brusca de um prisioneiro no corredor da morte. Quando os alcoólatras pedem misericórdia, quando o cônjuge procura direção, quando o empresário sai da rua e entra na capela, Deus ouve. Com atenção. Com cuidado.
As orações são estimadas como jóias preciosas. Purificadas e capacitadas, as palavras sobem em uma deliciosa fragrância até o nosso Senhor. “Da mão do anjo subiu diante de Deus a fumaça do incenso” (Apocalipse 8.4). Incrível. Suas palavras não param até que cheguem ao trono de Deus.
Basta um chamado e a esquadrilha do céu aparece. Sua oração na terra aciona o poder de Deus no céu. Você é este alguém no reino de Deus. Suas orações levam Deus a transformar o mundo. Você talvez não entenda o mistério da oração – não precisa entendê-lo. Mas tudo isso está claro: as ações no céu começam quando alguém ora na terra. Que pensamento maravilhoso!
Quando você fala, Jesus ouve.
E quando Jesus ouve, o mundo é transformado.
Tudo porque alguém orou.

(Max Lucado, em “DIAS MELHORES VIRÃO”)

terça-feira, 8 de maio de 2012

ARMA INVENCÍVEL

“Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus” (Filipenses 2:5)
Pedro testemunhou Cristo sendo traído e preso no jardim do Getsêmani. Ele simplesmente não tinha estômago para testemunhar tal evento. Frustrado e em desespero, Pedro usou sua espada em defesa de seu Senhor, cortando fora a orelha de um dos homens que prendiam Jesus (veja João 18:10). Mas, na verdade, Jesus não desejava essa atitude de Pedro. A espada não era a resposta para a salvação.
Pobre Pedro. Ele estava sempre fazendo a coisa errada na hora errada. Ele dormia quando deveria orar. Ele falava quando deveria ouvir. Ele sentia orgulho quando deveria temer. Agora ele estava lutando quando deveria se render. A filosofia de Pedro estava de cabeça para baixo.
O problema de Pedro era que ele não percebia que lutava contra o inimigo errado. Nossos inimigos não são feitos de carne e osso. Eles são principados e potestades, e não podem ser derrotados por nossas atitudes comuns. Nós muito frequentemente, como Pedro, esquecemos que nossa batalha é espiritual, e que requer armamento espiritual. Nós negligenciamos a arma mais poderosa em nosso arsenal – a oração. Nós somos muito rápidos para protestar, mas não para orar. Nós somos muito rápidos para reclamar, mas não para pregar a palavra. Somos muito rápidos para agir, mas não para orar.
A realidade é que todos nós, eventualmente, ficamos frente a frente com Getsêmanis na vida. Para Jesus, o Getsêmani foi um tempo de sofrimento e dificuldade, o tempo que Ele escolheu para render-se à vontade do Pai. Talvez você tenha tido experiências na vida que não compreendeu. Você não sabe o que está à frente, mas você deve confiar seu desconhecido futuro às conhecidas mãos de Deus. Elas não falham em fazer o melhor por aqueles que colocam a oração diante das angústias, preocupações, temores e dúvidas.
(DEVOCIONAIS DIÁRIOS)

domingo, 6 de maio de 2012


A maior fonte de poder é o nome de Jesus. Não é a nossa preocupação, nem a nossa ansiedade. Ele disse aos discípulos que eles ainda não haviam pedido nada no nome Dele, mas que deveriam começar a fazê-lo e, assim, receberiam de Deus o que pedissem. Quando caminhamos próximos a Deus e oramos no nome de Jesus, também vemos um grande poder liberado por meio de nós e maravilhosas respostas a nossas orações (Jo 16:24-26). Isso coloca todo o enfoque na Pessoa de Jesus e no que Ele realizou na cruz.
Depois que alcancei maior estabilidade em minha vida de oração passei a não ficar tão desapontada se minhas orações não fossem respondidas de imediato ou exatamente como eu tinha pedido. Confiava que Deus responderia no tempo e como Ele próprio havia escolhido. Concentrava-me na ação de orar em vez de me concentrar nas respostas. Era muito libertador para mim.
Depois de orar, liberte-se das preocupações. Isso não significa que não possa orar sobre a mesma coisa novamente, mas depois que terminar de orar, permita que o assunto seja entregue nas mãos de Deus para que você descanse e fique em paz. Não se preocupe se Deus o ouviu ou se você fez tudo direito. Acredite que o Senhor vai tomar conta disso. Aprenda a ser parceiro de Deus. “Porque,quanto ao SENHOR, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente Dele.” (2 Cr 16:9).
(Stormie Omartian, em “O PODER DE ORAR JUNTOS”)

sábado, 5 de maio de 2012

O NOME DO PODER

“E, naquele dia, nada me perguntareis. Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, Ele vo-lo há de dar. Até agora, nada pedistes em meu nome; pedi e receber eis, para que a vossa alegria se cumpra” Jo 16.23,24
Segundo a Aliança, essa promessa em relação à oração talvez seja a declaração mais assombrosa já pronunciada pelo Homem da Galiléia.
O que Jesus quis dizer com a expressão naquele dia? Olhando para o futuro, Jesus dizia, com efeito: “Irei embora para o Calvário. Morrerei. No entanto, serei ressuscitado dentre os mortos, subirei até as Alturas e assentar-me-ei à destra do Pai. Virão dias novos. Uma Nova Aliança ou um Novo Testamento passará a existir, e, naquele dia, nada me perguntareis”. O dia em que vivemos é aquele dia novo a que Ele se referia!
Até agora nada pedistes em meu nome. Os discípulos não oravam em Nome de Jesus enquanto Ele estava na Terra, porque não teria funcionado. Não era necessário, pois, enquanto Jesus estava com eles, Ele supria todas as suas necessidades. Entretanto, chegaria o dia em que Jesus partiria, então, precisariam do Nome Dele. O Nome de Jesus substituiu a Pessoa de Jesus na operação dos milagres, na libertação e no envolvimento de Deus na situação!
(Kenneth E. Hagin, em “ALIMENTO DA FÉ”)


quinta-feira, 3 de maio de 2012


 SENHOR E AMIGO

Se me pedissem para identificar a chave mais importante para uma  oração eficaz, eu diria que é aproximar-se de Deus como seu amigo.
Quando nos chegamos a Deus acreditando que Ele nos vê como Seus amigos, obtemos acesso a novas maravilhas. Assim, experimentamos a liberdade e a ousadia necessárias para uma oração eficaz. Se não conhecemos Deus como amigo, e se não confiamos no fato de que Ele pensa em nós como amigos, ficaremos relutantes em dizer o que precisamos ou em pedir alguma coisa. Se tivermos um relacionamento formal e distante com Deus, nossas orações podem ser legalistas. Mas se nos aproximarmos Dele como nosso amigo, sem perdermos o nosso temor por Ele, nossas orações serão sempre renovadas, animadas e íntimas. 
Uma amizade natural envolve amar e ser amado. Significa saber que alguém está do seu lado, querendo ajudar você, animar você, sempre tendo em mente o seu melhor interesse. Um amigo é alguém que você valoriza, um camarada, um parceiro, alguém que é querido por você, alguém com quem você quer passar tempo e de quem gosta. Você se torna amigo de uma pessoa investindo tempo nela e com ela, compartilhando sua vida com essa pessoa.
Desenvolver uma amizade com Deus é semelhante a desenvolver uma amizade com alguém na terra. Leva tempo. A verdade é que você pode ser tão íntimo de Deus quanto de  seja; tudo depende do tempo que estiver disposto a investir nesse relacionamento. Eu o encorajo a conhecê-lo passando tempo em oração e lendo a Palavra. Sua amizade com Deus também se aprofundará e crescerá conforme você for andando com Ele regularmente, e à medida que tiver experiências com a Sua fidelidade. A diferença entre desenvolver um relacionamento com Deus como amigo e construir relacionamentos com as pessoas é que, em Deus, você acaba tendo um amigo que é perfeito! Alguém que nunca o deixará nem o abandonará. Alguém que é fiel, confiável, amoroso e perdoador.
(Joyce Meyer, em “O PODER DA ORAÇÃO SIMPLES”)

quarta-feira, 2 de maio de 2012


terça-feira, 1 de maio de 2012

RESPONDE, SENHOR!


“Responde-me quando clamo, ó Deus que me fazes justiça! Dá-me alívio da minha angústia; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração”. Salmos 4:1
À primeira vista, este clamor por ajuda parece ser muito exigente. No entanto, uma olhada mais profunda mostra que ele é, na verdade, o clamor de desespero.
Você já esteve numa situação desesperadora? Com certeza eu já me senti desesperado e pessoas me escrevem freqüentemente dizendo-se desesperadas. Mas, veja como este salmo termina! Qual o segredo para sobreviver um longo período de agonia? Acredito que três coisas são importantes:
1) honestidade na nossa vida de oração com Deus,
2) confiança que Deus nos ouve e se preocupa, mesmo quando nossas orações têm o calor da dor e frustração, e
3) louvor genuíno para Deus incluído nas nossas orações, mesmo quando a nossa situação parece desesperadora.
Não é uma fórmula mágica, mas é inspirada pelo Espírito – é o que nos ensina o Salmo 4!
(Portal Iluminalma)