sábado, 20 de fevereiro de 2010

A Única Porta


















A palavra de Deus nos diz que, em meio a grande multidão de seres humanos, existe um povo especial – um povo escolhido por Deus da raça comum antes que as estrelas começassem a brilhar; um povo caro ao coração de Deus antes da fundação do mundo; um povo que foi redimido pelo precioso pelo sangue de Jesus além e acima da humanidade; um povo que é a propriedade de Cristo, o rebanho do seu pasto, as ovelhas que comem da sua mão; um povo de quem a Providência cuida, abrindo um caminho para eles em meio ao emaranhado confuso da vida; um povo que no fim será trazido, um por um, sem mácula diante do trono eterno e preparado para o destino excelso que Deus vai revelar no futuro. Em toda a escritura você lê sobre este povo peculiar e especial. Às vezes ele é chamado de “semente”, outras vezes de “jardim”, “tesouro” e “rebanho”, como no capítulo que lemos. O nome comum no novo testamento para ele é “igreja”, “A igreja de Deus, a qual Ele comprou com seu próprio sangue”. “Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem da água pela palavra”.

(Desconheço o Autor)

Nenhum comentário:

Postar um comentário