segunda-feira, 25 de novembro de 2013

FIO DA MEADA
“O Senhor é a minha força e o meu escudo;
Nele o meu coração confia, e Dele recebo ajuda.
Meu coração exulta de alegria,
e com o meu cântico lhe darei graças.”
Salmos 28:7
Fico deslumbrada com a criatividade de DEUS. Quanto mais vivo, mais encantada me sinto com as “saídas” que ELE nos presenteia. Com as estratégias que usa para nos ensinar sobre SEU amor, e fortalecer nossa confiança NELE.
DEUS está sempre nos mostrando SUA capacidade de se envolver com nossa vida e SUA comoção com nossas dificuldades. SEU zelo por nós é tão evidente! O que mais me encanta é que SUAS respostas são quase sempre imprevisíveis. SUA originalidade é espantosa, adoro isso em DEUS!
Dia desse fui pega de surpresa mais uma vez por essa capacidade divina, foi em um evento comum, mas o fato me fez aprender mais da misericórdia do SENHOR.
Estávamos, eu e minha irmã, presas num engarrafamento monstruoso, um verdadeiro nó cego no trânsito, não víamos saída daquilo, parecia que passaríamos o resto do dia presas naquele emaranhado absurdo de carros, caminhões, ônibus e motos. Então, fiz uma oração rápida e silenciosa, só ELE ouviu. Disse simplesmente -”SENHOR, nos tira dessa situação!”; Não foi uma oração automática, foi “consciente”, foi uma escolha, preferi orar a maldizer aquele momento. Em vez de reclamar, optei orar.
Foi um momento de superação, pois odeio, com todas as minhas forças, engarrafamentos e filas. Normalmente fico irritada e não paro de reclamar do caos da cidade, da inconveniência de morar numa metrópole, da incompetência das autoridades diante dos problemas urbanos, etc…etc…etc. Mas, naquela hora, pensei – não vou reclamar, vou orar, é a minha melhor opção. E foi mesmo! Não somente porque DEUS nos tirou do engarrafamento, me fazendo experimentar mais uma vez SUA dedicação fiel, mas, principalmente, por ter sido confrontada outra vez com essa lição – orar é sempre a melhor opção.
Não sei se ELE teria nos arrancado daquele “novelo sem fio da meada” se não tivesse orado, talvez sim…talvez não. Mas, o importante foi aprender que não vale a pena perder tempo com futilidades – reclamar, maldizer, espernear….Nada disso resolve coisa alguma, só nos adoece. A saída é correr imediatamente para QUEM constrói as saídas.
JESUS usou aquela situação tão banal para me mostrar novamente que ELE pode tudo, porém SUA solução pode vir de diversas formas, seja qual for, é a melhor para nós naquele momento específico. O importante é chama-LO, essa deve ser nossa primeira atitude no meio dos engarrafamentos da vida, entregar a situação a ELE, em lugar de nos afobarmos.
SUA resposta naquele dia trouxe-me outro aprendizado, pude usá-la como uma bela metáfora. ELE não destravou o tráfego para que saíssemos de lá, ELE nos mostrou um caminho paralelo no qual entramos depois de descermos um barranco com certa dificuldade, percorremos uma via bastante empoeirada, entramos em ruas enlameadas, seguimos por um labirinto de becos e ruelas nada amistosas, perdemos o referencial de onde estávamos até que encontramos a avenida que, finalmente, nos levaria para casa. Demorou, mas chegamos ao nosso destino.
Não é exatamente assim que ocorre? Muitas vezes mergulhados em um problema, oramos, DEUS age e nos tira da situação, mas, para nosso espanto, nos vemos em uma outra situação conflituosa, problemática, ficamos desorientados, mas se continuarmos confiando na SUA ajuda, ELE traz a solução.
O segredo é sempre confiar na ajuda de JESUS, sempre deixá-LO no comando, e não resmungar quando as coisas ficam complicadas… e mais complicadas. Quando a confusão é grande, o certo é orar, ficar atentos às SUA condução, obedecer SUAS orientações e relaxar na certeza que sairemos dos “engarrafamentos” e chegaremos em casa, em paz.
(Neuma Fernandes)

Nenhum comentário:

Postar um comentário