terça-feira, 1 de janeiro de 2013


ab02996.jpg 2013!
“Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá” Sl 37:5
Terminou 2012, foi um ano difícil para muitos, inesquecível para outros tantos, mediano para uma porção de seres humanos.
Coisas importantes ocorreram em 2012. Tristes ou alegres, cada um de nós sabe das suas. O que importa é o que estamos fazendo das lágrimas e dos sorrisos que experimentamos em 2012. Estamos permitindo a amargura criar raízes? Deixando o medo se cristalizar? Alimentando a raiva? Cultivando o rancor? Lambendo as feridas?
Ou talvez saboreando o sucesso, a vitória, a conquista, acreditando piamente no mérito pessoal e na lei da causa-e-efeito. Afinal, o que faremos com a herança que 2012 nos deixa?
Talvez a pergunta mais oportuna seria – o que faremos com 2012 para 2013 ser melhor?
Não é prudente apenas “virar a página” de 2012 e começar a escrever 2013, devemos fazer um balanço – refletir – isso faz parte daquele doloroso, e necessário, processo chamado “amadurecimento”. Isso significa passar a limpo ganhos e perdas, sucessos e derrotas,  tristezas e satisfações…sem mágoas, sem derrotismo, e também, sem prepotência.
O alvorecer de um novo ano não é um instante mais ou menos abençoado que o nascer de um novo dia; a diferença é que, no caso de 1º de janeiro, estamos recomeçando o ciclo de 12 meses – lá vem mais um  feriadão de carnaval, mais uma Páscoa, outro período de férias, comemoraremos mais um aniversário e celebraremos os daqueles que amamos. Lá vem mais um Dias das Mães, e dos pais. A estação das chuvas chegará outra vez abençoando a terra. Tudo de novo. Ou melhor, tudo velho de novo, com nova roupagem.
Esse RE-recomeço deve ser pautado pela certeza que não somos donos dos nossos destinos, não temos poder para acrescentar um segundo sequer à nossa vida. Por mais que desenvolvamos uma vida saudável, o máximo que conseguiremos com isso é ganhar bem-estar. Podemos evitar inúmeros problemas em nossos relacionamentos e finanças, por exemplo, se seguirmos algumas regrinhas práticas de prudência, paciência, disciplina, bom senso, humildade e solidariedade. Assim sendo, estaremos nos distanciando de muitos e recorrentes incômodos. Mas, não nos iludamos, não temos controle sobre coisa alguma, ter isso bem claro nos ajudará a reconhecer a onipotência de Deus no início de cada ano, e de cada dia.
Coisas boas acontecerão em 2013, coisas ruins também, confiar e crer em Deus não nos imuniza das fatalidades, por outro lado nos dá força, ânimo e determinação para enfrentá-las. Sonhos serão desfeitos em 2013, mas permitamos que novos nos entusiasmem.  Talvez soframos perdas no próximo ano, que isso nos impulsione a amar, e demonstrar esse amor, a cada novo dia, valorizando a presença daqueles que nos são caros.
Contudo, esse racionalismo não nos impede de esperar sempre o melhor, que venha o sublime! Estamos de braços abertos para a copiosa alegria. Que sejamos, em 2013, alcançados pelo sucesso calcado nos parâmetros divinos, não um sucesso de acordo com padrões mundanos. Não a vitória do ego, mas o triunfo da partilha. Não a ovação da materialidade, mas a supremacia da espiritualidade.
Que entre em cena 2013, e nele nos esbanjemos nos braços de Cristo, com fé, dependência  e confiança; nos fartemos com Sua Palavra e nos saciemos na Sua Graça. Esse é o melhor que podemos desejar para cada novo ano, e cada novo dia.
“Em seu coração o homem planeja o seu caminho, mas o Senhor determina os seus passos”
  Pv 16:9
(Neuma Fernandes)

Nenhum comentário:

Postar um comentário