sábado, 6 de abril de 2013

MÉTODO DIFERENTE

Aprendemos no Antigo Testamento como Deus age muito diferente do que poderíamos imaginar. Ele se move lentamente, de forma imprevisível e paradoxal.
Para fundar Sua tribo escolhe um pagão da região que hoje é o Iraque e o faz passar por uma série de testes, em muitos dos quais Abraão não se sai bem. No Egito, por exemplo, ele demonstra uma moral inferior aos adoradores do sol.
Depois de prometer uma descendência numerosa como as estrelas do céu e a areia do mar, o que Deus faz é dar prosseguimento a uma “clínica de infertilidade”. Abraão e Sara esperam até os noventa anos para ver o primeiro filho; a nora deles, Rebeca, permanece estéril por muito tempo; o filho dela, Jacó, tem de esperar catorrze anos pela esposa dos seus sonhos, para descobrir então que ela também é estéril. Três gerações de mulheres estéreis não parece ser uma maneira muito eficiente de construir uma grande nação.
Depois de fazer promessas semelhantes de uma terra especial, Deus faz os israelitas passarem por um desvio no Egito, onde eles apodrecem por quatro séculos até que Moisés chega para conduzi-los à terra prometida, peregrinação deplorável que leva quarenta anos em vez das duas semanas esperadas. Evidentemente Deus trabalha com um calendário diferente do usado por seres humanos impacientes.
Porém, sempre faz a coisa certa, na hora perfeita.
(Philip Yancey, em “A BÍBLIA QUE JESUS LIA”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário