quinta-feira, 29 de novembro de 2012


CONSCIÊNCIA, UMA BOA AMIGA
Algumas pessoas ignoram os sinais de advertência que Deus lhes dá porque, no fundo dos seus corações, não querem fazer aquilo que Deus está lhes orientando a fazer. Por medo, elas decidem fazer a coisa errada, e depois, mais tarde, desejam de todo o coração que nunca tivessem agido contra a sua consciência.
O Espírito Santo ocupa uma posição de autoridade sobre nós. Ele fala através da nossa consciência, portanto, devemos nos submeter à Sua autoridade. A nossa própria mente, sem a influência do Espírito Santo, nos levará à morte : “A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz” Rm 8:6.
1Co 2:13-15 diz que o homem natural não entende o homem espiritual, no sentido de que a nossa mente racional não entende o nosso coração espiritual. Uma pessoa simplesmente não pode obedecer o Espírito sem prestar atenção á voz da consciência. Quanto mais espiritual o cristão é, mais ele ouve a voz da sua consciência. A consciência do cristão deve ser para ele uma verdadeira e boa amiga.
Não podemos agir adequadamente em fé se tivermos uma consciência culpada por não obedecermos ao que sabemos que Deus quer que façamos. Essa convicção afeta a nossa fé e a nossa adoração à Deus. O apóstolo Paulo falou muitas vezes sobre a sua consciência, dizendo; “Digo a verdade em Cristo, não minto, testemunhando comigo, no Espírito, a minha própria consciência” Rm 9:1.
Não importa o que Paulo fizesse, ele estava acostumado a consultar sua consciência para saber se ela testificava a aprovação de Deus. Paulo disse que sabia que estava fazendo a coisa certa porque o Espírito Santo iluminava sua consciência. Paulo obviamente havia desenvolvido um “ouvido sensível” à voz do Espírito Santo.
Se nossa consciência não testifica, se não cremos que Deus está de acordo com o que planejamos fazer, não devemos prosseguir, ainda que não consigamos explicar porque sentimos que alguma coisa está errada. Não estou falando de basear nossas decisões em sentimentos, mas há uma sensação de desconforto quando Deus está falando através da nossa consciência para impedir-nos de sair do caminho que conduz ao melhor de Deus para nós. Obediência à voz de Deus nos faz ser benção e nos capacita a receber Suas bençãos. é isso que Ele quer de nós.
(Joyce Meyer, em “COMO OUVIR A VOZ DE DEUS”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário