quarta-feira, 26 de junho de 2013

 UMA VISITA INDESEJÁVEL

“Aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento.”
Tiago 1:6
Dúvida. Ela é uma vizinha intrometida. Ela é uma visita indesejável. Ela é uma hóspede detestável. Ela o incomodará. Ela o irritará. Ela desaprovará seu julgamento. Ela chutará o assento que está debaixo de você e se recusará a ajudá-lo a levantar. Ela dirá para você não acreditar no invisível, embora não ofereça nenhuma resposta para a insuficiência do visível… Seu objetivo não é convencê-lo, é confundi-lo. Ela não oferece soluções, ela apenas levanta questões.
Você teve alguma visita dela ultimamente? Se você se encontra indo à igreja a fim de ser salvo e não porque você é salvo, então você a tem escutado. Se você se encontra duvidando que Deus pode perdoá-lo por isso, um pouco de óleo de cobra foi vendido a você. Se você está mais descrente sobre o Cristianismo do que sincero sobre Cristo, adivinhe quem veio para o jantar? Se você está questionando se Deus se importa com seus problemas e está disposta a ajudá-lo, imagino quem está enebriando seu coração. Sugiro que você coloque um cadeado em seu portão. Sugiro que você pregue uma placa de “Não Entre” em sua porta.
A dúvida é uma companhia desnecessária, dispensável.
Não precisamos de alguém para confiar que seja maior do que nós? Não estamos cansados de confiar nas pessoas desta terra para que nos compreendam? Não estamos cansados de confiar nas coisas desta terra para que nos fortaleçam? Um marinheiro que está se afogando não pede ajuda para outro marinheiro que esteja se afogando… Ele sabe que precisa de alguém mais forte do que ele.
A mensagem de Jesus é esta: Eu sou essa pessoa. Confie em Mim.
Não duvide do Seu amor, nem da Sua bondade e muito menos do Seu poder.
(Max Lucado, em “A GRANDE CASA DE DEUS”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário