terça-feira, 2 de novembro de 2010

OS FAVORITOS DE DEUS
"Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir."  (Is 59:1)
Revi os textos bíblicos procurando características bíblicas comuns aos “favoritos de DEUS”. Por exemplo, o Anjo Gabriel disse ao profeta Daniel que ele era “muito amado” no céu. Ao falar com Ezequiel, o próprio DEUS confirmou isso, relacionando Nóe, Daniel e Jó como três de seus favoritos. Eles formam um trio interessante: um sobreviveu a uma inundação, o outro à cova dos leões e o último a um holocausto pessoal de sofrimentos. Abraão, chamado “amigo de DEUS”, passou a maior parte da sua vida esperando, impacientemente, que DEUS cumprisse SUAS promessas.
Em Hebreus, o autor registra, em detalhes terriveis, as lutas que podem sobrevir às pessoas fiéis, concluindo: “Homens dos quais o mundo não era digno”. Hebreus acrescenta ainda sobre este grupo impressionante: “Por isso DEUS não se envergonhou de ser chamado o DEUS deles”. Os santos atingem esta condição porque se apegam, teimosamente, à convicção de que DEUS merece nossa confiança, mesmo quando parece que o mundo está desabando. Paradoxalmente, a fé se desenvolve mais quando há incerteza e dúvida. Os favoritos de DEUS, eles em especial, não estão imunes a períodos de testes. Como disse Paul Tournier, onde não há mais oportunidade para duvidar, também não há mais oportunidade para crer.
(Philip Yancey, em “PERGUNTAS QUE PRECISAM DE RESPOSTAS”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário