sexta-feira, 19 de outubro de 2012

COLHEITA DEMORADA

“Dele vem a minha esperança” Sl 62:5.
A negligência que geralmente demonstramos para com a resposta às bênçãos que pedimos, mostra como há pouca realidade em nossas orações. O agricultor não se satisfaz sem a colheita; o atirador observa se a bala atinge o alvo; o médico aguarda o efeito do remédio que aplicou; por que não se importará o crente com o efeito da sua oração?
Toda oração, feita com fé, segundo a vontade de Deus, segundo as Suas promessas, ofeerecida no nome de Jesus e sob a influência do Espírito Santo, quer seja por bênçãos temporais ou espirituais, é ou será plenamente respondida. Deus sempre atende às orações de Seu povo, fazendo aquilo que mais contribuirá para a Sua glória e para o bem-estar espiritual e eterno dos Seus.
Assim como sabemos que Jesus Cristo nunca rejeitou ao pecador que se achegou a Ele buscando misericórdia, também cremos que nenhuma oração feita em Seu nome será vã. A resposta à oração é certa, embora talvez não estejamos discernindo a sua chegada. A semente que jaz sob o solo no inverno está lançando raiz, com vistas a florescer e frutificar, embora ainda não apareça na superfície do solo e pareça morta e perdida.
As respostas demoradas não apenas provam a fé, como nos dão oportunidade de honrar a Deus por nossa firme confiança Nele, mesmo diante das aparentes recusas.
(C. H. Spurgeon, em ““PREPARADO PARA O COMBATE DA FÉ”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário