quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A LUVA DE DEUS
Aqui vai uma questão prática. Estude a Bíblia um pouco por vez. Deus parece enviar mensagens da mesma maneira que mandou o maná: uma porção diária por vez. Ele fornece “ordem sobre ordem, ordem sobre ordem, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali” (Is 28.10). Escolha profundidade em vez de quantidade. Leia até que um versículo atinja você; então pare e medite sobre ele. Copie o versículo numa folha de papel, ou escreva no seu diário, e reflita diversas vezes sobre ele.
Na manhã que escrevi isso, por exemplo, minha hora de meditação me levou a Mateus 18. Estava apenas no quarto versículo do capítulo quando li isto: “Portanto, quem se faz humilde como esta criança, este é o maior no Reino dos céus”. Eu precisava me aprofundar. Copiei as palavras em meu diário e ponderei sobre elas durante todo aquele dia. Em vários momentos perguntei a Deus: “Como posso ser mais parecido com uma criança?”. Ao final do dia, fui lembrado de minha tendência a me precipitar e de minha propensão a me preocupar.
Será que vou aprender o que Deus deseja? Se eu ouvir, aprenderei.nNão desanime se sua leitura gerar uma colheita pequena. Há dias em que uma porção menor é tudo de que precisamos.
É assim acontece com o estudo da Bíblia – o entendimento chega aos poucos, durante toda uma vida. Existe algum outro livro que tenha sido descrito desta maneira: “Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração” (Hb 4.12)?
“Viva e eficaz.” As palavras da Bíblia têm vida! Substantivos com pulsação. Adjetivos musculosos. Verbos que se movem para frente e para trás pela folha. Deus trabalha por meio dessas palavras. A Bíblia é para Deus o que a luva é para o cirurgião. Ele as usa para tocar fundo em você.
(MAX LUCADO, em “DEUS ESTÁ NO CONTROLE”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário