domingo, 12 de setembro de 2010

* TUDO ACABARÁ BEM
O mesmo JESUS que falava da fé como um grão de mostarda também nos deixou a história da viúva cansando o juiz com sua persistência. E, na Bíblia inteira temos gigantes lutando com DEUS em suas orações.

Daniel esperou três semanas por uma resposta à sua súplica. Jeremias esperou dez dias antes de obter uma resposta. Depois de escalar o Monte Sinai, Moisés esperou seis dias até ouvir a voz de DEUS. Nós, seres impacientes, ignoramos que DEUS atua devagar.
Pense nos séculos que se passaram entre a ruptura causada por Adão e a reconciliação trazida por JESUS. O plano de DEUS constrói-se lentamente, como uma ópera, não como um sucesso de música popular.
O próprio tédio, o ato de esperar em si, alimenta em nós as virtudes da paciência, confiança, persistência, bondade e compaixão. Mesmo o livro dos salmos, com orações tão repletas de gemidos e lamentações, retorna continuamente ao tema da fidelidade de DEUS - Não importa como se apresentem as circunstâncias, podemos confiar no fato que DEUS governa o universo. A reputação divina repousa no solene pacto de que um dia tudo acabará bem.
(Philip Yancey, em “ORAÇÃO, ELA FAZ ALGUMA DIFERENÇA?”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário