domingo, 8 de maio de 2011

ALÉM DAS EMOÇÕES
Diante de um passo importante, devemos fazer a nós mesmos os seguintes questionamentos: “Isso faz sentido?”; “O que irá acontecer se eu tomar essa decisão?”; “Quais vantagens eu trarei para minha vida e para a minha família?”. E, o mais importante de tudo: “Como essa decisão irá afetar a minha vida espiritual e a minha intimidade com Deus?”.
As circunstâncias são importantes para determinar a vontade de Deus. Algumas vezes Ele deseja que passemos por essas circunstâncias desafiadoras com espírito de reflexão cuidadosa. Porém, em outras ocasiões Ele quer que esperemos para ver o que Ele irá fazer. A questão é que Ele sempre deseja que O consultemos através de Sua Palavra, da oração e que busquemos aconselhamento com cristãos mais maduros em quem confiamos. Quando seguimos esse procedimento com maior freqüência, iremos aprender o que fazer, particularmente ao tomarmos decisões sobre assuntos que as Escrituras nada dizem.
Quando tomamos uma decisão NÃO é errado penar sobre como nos sentimos, mas devemos ser extremamente cuidadosos. Imagine por apenas um momento o que teria acontecido se Jesus Cristo tivesse baseado a Sua decisão de ir para a cruz apenas em Suas emoções. A dor íntima que Jesus sentiu no Getsêmani era tão intensa que a Sua transpiração caía ao solo como gotas de sangue. Ele orou para que o cálice do sofrimento fosse afastado Dele, mas as palavras que disse para o Pai naquela oração servem como um guia para todos nós: “Não se faça a minha vontade, e sim a Tua” Lc 22:42.
A emoção pode ser algo bem enganoso quando temos que tomar decisões. Qualquer decisão que envolver uma incerteza (a maioria delas envolve) gera sentimentos negativos. Esses sentimentos confusos são bem previsíveis. Quanto mais próximos estamos de tomar a decisão, mais forte as emoções negativas se tornam, o inverso também é verdade. Infelizmente, muitos cristãos equiparam essas dinâmicas espirituais com serem guiados pelo Espírito Santo. Quando eles têm sentimentos negativos, acreditam que o Espírito está dizendo “não”. Eles sentem que Ele já tirou deles a sua paz.
Por outro lado, quando têm sentimentos positivos, sentem que o Espírito está dizendo “sim”, dando-lhes paz em seus corações. O maior problema com esta estratégia é que ela faz parecer que Espírito de Deus está sendo ambivalente e instável. A verdade é que Deus nunca muda quando se trata de Sua vontade para nós, mas nós sim.
É por isso que devemos ter cuidado ao nos basearmos apenas em nossas emoções. Elas irão nos enganar. Na verdade, muitas decisões devem ser tomadas APESAR das emoções, pois sabemos que é a coisa certa a ser feita.
“Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na Lei do Senhor, e nela medita dia e noite.” Sl 1:1-2
(Gene Getz, em “ABRAÃO – UM MODELO DE OBEDIÊNCIA E FÉ”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário