quarta-feira, 18 de maio de 2011

SUPRINDO, NA HORA CERTA
Uma das razões por que Deus veio a esse mundo em forma humana, na pessoa de Jesus Cristo, foi para mostrar-nos que Deus se preocupa com as nossas necessidades. Jesus identificou-se com elas. Ele confrontou, lidou e lutou contra as necessidades humanas de todo tipo. Ele não sentou-se à distância, julgando os necessitados ou ignorando as necessidades das pessoas. Ao contrário! Ele arregaçou suas mangas e marchou em direção às grandes necessidades conhecidas pelo homem.
Mas que isso, Jesus sabia desde o início de Seu ministério que Seu propósito na terra era o de confrontar e suprir as necessidades humanas. Em Lucas 4:18-19 encontramos Jesus tomando o rolo na sinagoga de Nazaré, no sábado, e lendo Isaias 61:
“O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração. A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor.”
Tão logo fechou o rolo e o devolveu ao assistente, Ele disse: “Hoje se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir” Lc 4:21
Jesus estava declarando ao povo que sabia que Seu propósito principal nesta terra era suprir as necessidades das pessoas.
Se uma frase pudesse resumir o monistério terreno de Jesus seria provavelmente esta: Ele supriu as necessidades das pessoas. Repetidamente os autores do Novo Testamento contaram como Jesus supria a necessodade das pessoas onde estavam e qualquer necessidade que tinham. Nenhuma delas era demais para Jesus; nenhuma era muito grande nem muito pequena. Ele lidou com necessidades tanto físicas quanto espirituais e emocionais. Em Mateus 4:23, lemos sobre os primeiros dias de Seu ministério: “Percorria Jesus a Galileia , ensinando nas sinagogas o evangelho do Reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo.”
Em Atos 10:38, Pedro – uma testemunha ocular do ministério de Jesus – descreveu a obra de Cristo deste modo: “Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e poder, o qual andou por toda parte fazendo o bem e livrando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com Ele.”
Deus nos atende de diversas maneiras e, especialmente, atende na hora adequada e perfeita. Para recebermos a graça do Senhor nos cabe uma prerrogativa: saber esperar. Esperar simplesmente? Não! Não uma espera mundana, mas uma espera santa – em comunhão com Ele com ações de graças.
(C. Stanley, em “DEUS TEM UMA RESPOSTA PARA NOSSAS NECESSIDADES NÃO ATENDIDAS”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário