quinta-feira, 14 de abril de 2011

O PRIVILÉGIO DE OBEDECER
Obediência não é um trabalho feito para ganhar algo de Deus. Obediência é a disposição de aprender algo de Deus. Precisamos perguntar a Deus: “Onde preciso Lhe obedecer, Senhor? O que preciso aprender?”
Quando andamos em obediência, não perdemos a direção de Deus para as nossas vidas. Quando O obedecemos, vemos as respostas às nossas orações. Se você não está vendo suas orações serem respondidas, peça ao Senhor que lhe mostre se você está negligenciando a obediência a Ele em alguma área da sua vida.
A Bíblia diz: “Aquilo que pedimos Dele recebemos, porque guardamos os Seus mandamentos e fazemos diante Dele o que Lhe é agradável” 1Jo 3:22. Há uma correlação direta entre obediência e oração respondida. Oswald Chambers diz: “A escuridão intelectual procede da ignorância; a escuridão espiritual procede de algo que não tencionamos obedecer”.
Há caminhos que são corretos e caminhos errados, não podemos confundir os dois. Deus não quer ser um ditador. Ele quer simplesmente nos mostrar como a vida funciona melhor. Quando não vivemos segundo Sua vontade, a confusão entra, e ocorrem coisas que nos aborrecem, nos destroem, nos amarguram. Deus está nos dizendo: “Se você fizer isto, eu faço aquilo”. Seja o que for que Ele nos pede para obedecer, podemos ter certeza que Ele está nos dando um direcionamento que é o melhor para nós.
Obediência não é legalismo. Não exclui a graça de Deus. O legalismo diz: “Você tem que ser perfeito, mediante o seu próprio esforço”. A graça de Deus diz: “Você deve fazer isso para melhorar sua vida, mas Deus o ajudará e o levantará se você cair”.
Quando você chega a um ponto em que confia em Deus de forma tão completa que obedece a qualquer coisa que Ele diz, descobre que obediência não é um fardo, é um privilégio. Você obedecerá porque as recompensas são enormes. Você obedecerá movido pelo desejo de não permitir que nada se interponha entre você e o Pai. Obedecerá porque pagará qualquer preço para que Sua luz não se apague.
(Stormie Omartian, em “O PODER DA FÉ EM TEMPOS DIFÍCEIS”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário