quarta-feira, 6 de abril de 2011

PERFEITA PAZ
Observe o vale entre seu polegar e o indicador. Para passar de um lado para o outro, você tem de atravessá-lo. Deixe que ele o faça lembrar da queda de Davi. Antes de subir, Davi desceu; antes de subir para lutar, Davi desceu para se preparar. Não enfrente seu gigante sem, primeiro, fazer o mesmo. Dedique tempo à oração.
O apóstolo Paulo escreveu: “Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração” Ef 6:18.
A oração gerou os sucessos de Davi. Sua sabedoria junto ao Ribeiro de Besor brotou no momento em que ele “[se fortaleceu] no Senhor, o seu Deus” ISm 30:6. Quando os soldados de Saul tentaram capturá-lo, Davi voltou-se para Deus: “Tu és o meu alto refúgio, abrigo seguro nos tempos difíceis” Sl 59:16.
Como você sobrevive a uma vida de fugitivo nas cavernas? Davi sobreviveu com orações deste tipo: “Misericórdia, ó Deus, misericórdia, pois em Ti a minha alma se refugia. Eu me refugiarei à sombra das Tuas asas, até que passe o perigo. Clamo ao Deus Altíssimo, a Deus, que para comigo cumpre o Seu propósito” Sl 57:1-2.
Quando Davi mergulhava sua mente em Deus, ele levantava-se. Quando não, ele caía. Você acha que ele passou muito tempo em oração na noite em que seduziu Bate-Seba? Que ele escreveu um salmo no dia em que assassinou Urias? Improvável!
Marque bem essa promessa: “Tu, Senhor, guardarás em perfeita paz aquele cujo propósito está firme, porque em Ti confia” Is 26:3. Deus não promete apenas paz, mas PERFEITA PAZ. A paz não adulterada, não manchada, não impedida. Para quem? Para aqueles cuja mente está “concentrada” em Deus. Esqueça as espiadas ocasionais. Ponha de lado as reflexões feitas ao acaso. A paz é prometida àquele que fixa os pensamentos e os desejos no Rei.
Peça a ajuda de Deus. Escolha o refúgio da oração. E não negligencie.
(Max Lucado, em “DERRUBANDO GOLIAS”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário