sexta-feira, 10 de maio de 2013


ERGUENDO A CABEÇA 
“Louvar-te-ei, Senhor, de todo o meu coração…”
 Sl 9:1
Lia era mulher de Jacó, mas não tinha seu amor. Teve filhos com Jacó, mas não seu afeto. Mesmo tendo um ventre fértil, tinha um coração árido. Sua história foi marcada pelo desprezo. O sentimento de rejeição amargava sua alma. Até o dia que nasceu Judá. Então, essa mulher chorosa, disse: “Desta vez, louvarei ao Senhor”.
Por isso, chamou o menino de Judá, que significa louvor. O louvor não é consequência da vitória, mas a sua causa. O louvor nos coloca acima das circunstâncias. É ultracircunstancial. Jesus, o Filho de Deus, o Messias, o Salvador do mundo, descende de Judá. Por meio de Jesus podemos também transformar nosso pranto em júbilo, nossa dor em fonte de consolo e nossa tristeza em alegria.
Jesus, o descendente da tribo de Judá, é aquele que enxuga as nossas lágrimas, terapeutiza nossa dor e restaura a nossa sorte. Não precisamos caminhar pela vida esmagados pela roda pesada das circunstâncias adversas, nem torturados por sentimentos avassaladores. Podemos erguer-nos das profundezas da nossa angústia e dizer como Lia: “Desta vez eu louvarei ao Senhor”.
(Devocional Luz do Caminho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário