sexta-feira, 24 de maio de 2013

VOCÊ CONFIA EM SI MESMO?

Já percebeu com que freqüência a questão do medo aparece quando Deus está preparando seu povo a avançar mais em nome Dele?
Você vai encontrá-lo nas conversas de Deus com Abraão, Jacó, Moisés, Gideão e Davi, bem como nas conversas de Jesus com os discípulos. “Não temam”, Ele repetiu muitas vezes depois da ressurreição. Quando os enviou a virar o mundo de cabeça para baixo, disse: “Eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mt 28:20).
Os sentimentos de medo e do ato de transpor uma nova fronteira estão juntos, não estão? Percebi que os temores que nos impedem de fazer mais para Deus são quase sempre fundamentados numa inverdade — uma pressuposição enganosa a respeito de nós mesmos, nossas condições — que nos mantém afastados do melhor que Deus tem para nós.
Por exemplo, um medo em que muitos caem baseia-se numa seqüência de mentiras: Minha realização depende de mim. Minha segurança depende de mim. Meu sucesso depende de mim. Ainda que as emoções sejam despertadas por essas mentiras, será que realmente cremos nelas? Não. Na realidade temos vários motivos para acreditar no contrário. As promessas pessoais de Deus, Sua fidelidade através dos tempos e nossas experiências de vida, tudo se soma a uma seqüência de verdades inegáveis: Quando Deus me lidera, Ele provê. O que Deus exige, Ele me capacita a fazer. É muito mais inteligente depender de Deus do que de mim.
Deus cuida hoje de suas preocupações e ansiedades e de seu coração vacilante, mas não quer que esses sentimentos determinem o que você crê, o que faz ou no que venha a se tornar. Jesus disse aos discípulos: “Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino” (Lc 12:32).
Você não está sozinho. Deus lutará por você a partir do momento que você entregar seus propósitos a Ele. E você pode continuar, apesar de quaisquer temores que tenha para tomar posse do terreno que Deus está lhe dando.
(Bruce Wilkinson, em “DE VOCIONAL A ORAÇÃO DE JABEZ”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário